quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Coluna do blog

...e seguindo a canção
Ontem esta coluna publicou na cabeça toda uma sorte de preocupação com a violencia que se abateu sobre Fortaleza no fim de semana, indo um pouco além, numa atrevida análise quase sociológica dos fatos. Menos de 72 horas depois, aqui vizinho, em Itapagé, a 130 quilometros de Fortaleza, 10 presos foram mortos dentro da cadeia numa guerra de gangues. Ou teria sido mais um fato pontual? Pois bem; a coluna recebeu um artigo escrito por uma professora universitária do Cariri com preocupações semelhantes e uma visão alargada do momento. Isto aqui: "No dia 7 de janeiro de 2015, há três anos, dois atiradores, Saïd e Chérif Kouachi, mataram 12 pessoas em Paris, incluindo parte da equipe do jornal Charlie Hebdo. Até aquele momento, aquele atentado foi considerado um dos piores que Paris havia presenciado e, imediatamente, uma gigantesca comoção mundial se fez. O clamor, a dor, a indignação tomou conta das redes sociais. Orações de desespero, manifestações de solidariedade e EMPATIA com a dor dos franceses que foi demonstrada nos milhões de perfis no mundo que passaram a estampar as cores da bandeira francesa com o lema solidário, "Je suis Charlie". Aqui no Brasil isso não foi diferente, de tal maneira que, na época ficava-se na dúvida sobre em que país estávamos. Pois bem, ontem dia 27 de janeiro de 2018, um grupo armado metralhou um clube pobre da periferia da capital cearense, Fortaleza, e muito pouco se falou. Os mortos foram adolescentes, mulheres, alguns trabalhadores autônomos num forró. Ninguém mudou o perfil, tão pouco, empunhou algum slogan dizendo, "Je suis Cajazeira", "Je suis Fortaleza"...  Quem se importa com isso? Foram 18 pobres a menos, "que se matem" é o que dizem e pensam alguns. Para a periferia, acossada pelas facções criminosas que dominam esses bairros, não há democracia, não há solidariedade. Há o medo, o desespero, a desgraça de não ter nascido em Paris. O simples espaço geográfico que habitam condiciona os olhares, os sentimentos, a desconfiança, a rejeição. Meus conterrâneos são os esquecidos moradores de uma periferia de uma capital do Nordeste. São invisíveis. A lista de mortos do jornal não trazia nomes, "duas adolescentes", "um motorista de aplicativo"  um ambulante...  não são ninguém, só têm um sexo e uma idade. Nesse país grande e equivocado chamado Brasil, se chora pelo distante e se comemora a tragédia e a dor dos que estão perto. Uma nação que odeia o pobre porque é o reflexo no espelho que quer negar" .Professora, Dra. Sônia Meneses,Universidade Regional do Cariri.

A frase: "Quem vê cara... não vê o resto". Atualizando os adágios populares.


Angústia da espera (Nota da foto)
Enquanto as águas não chegam os moradores das barrancas do Rio Salgado aguardam ansiosas pelas cheias. Tem chovido na região mas a angústia da chegada da enxurrada está cada vez maior. No primeiro grande inverno depois da inauguração dos açude Castanhão o Salgado, sozinho, encheu o resrvatório.

Água no sertão
O prefeito Ednaldo Lavor (PDT) assinou o convênio com a Caixa Econômica Federal para o início das obras de construção da adutora do distrito de Alencar, em Iguatu.De acordo com o gestor, a obra irá custar em torno de R$ 3 milhões.

Quem pergunta...
A enquete do Tribunal de Justiça do Ceará  perguntou se os internautas concordam com a proposta da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados que impede o corte de água e luz por inadimplência antes de 90 dias do vencimento.

Quer saber
120 participantes  opinaram.. Do total, 92% (110 votos) são favoráveis a medida, pois alegam que os serviços são essenciais ao consumidor. Já os outros 8% (10 votos) são contrários à proposta. Para eles, se o consumidor não pode custear o serviço, é correto que seja interrompido.

Sabe o lixo,de Caucaia?
A  Prefeitura passou a divulgar a programação diária dos mutirões de limpeza de ruas e avenidas de Caucaia. Os trabalhos estão sendo executados pela Secretaria Municipal de Patrimônio, Serviços Públicos e Transporte (SPSPTrans).

Era isso?
Esta semana, pela 13a. semana consecutiva, houve aumento no preço dos combustíveis com maior acréscimo recaindo "na pessoa" da gasolina. Quase dois dólares por um litro de gasolina e ninguém diz nada. Nadica de nada. Só paga.

Estrutura
O Pleno do Tribunal de Justiça do Ceará  apreciará, nesta quinta-feira, às 13h30, projeto de lei que dispõe sobre a ampliação da estrutura judiciária para instalar Vara Especializada no Combate ao Crime Organizado na Comarca de Fortaleza.

Pagando o pato
O juiz Zanilton Batista de Medeiros, titular da 39ª Vara Cível de Fortaleza, condenou o Banco do Brasil a pagar indenização por danos morais e materiais de R$ 21.693,22 para empresário que teve nome negativado por cobrança indevida.

Saudades de Ivens
A M.Dias Branco acaba de fechar a compra da Piraque, industria de massas do Rio de Janeiro. Negócio pra R$1,55 bilhão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bom dia

Militares aceitam proposta encaminhada por comissão e decidem encerrar paralisação  ...