terça-feira, 30 de novembro de 2010

Castelão - Ordem de serviço será assinada dia 13


O governador Cid Gomes (PSB) assinará, no próximo dia 13 de dezembro, a ordem de serviço para as obras de reforma e ampliação do estádio Castelão. O equipamento será palco para a realização da Copa do Brasil FIFA 2014. O consórcio formado pelas empresas Galvão Engenharia S/A, Serveng Civilsan S/A e BWA Tecnologia de Informação LTDA, responsável pelas obras, investirá R$ 518 milhões no estádio. A data foi confirmada durante reunião realizada na última sexta-feira (26), na Residência Oficial, com o governador Cid Gomes, os secretários Ferruccio Feitosa (Esporte), Adahil Fontele (Infraestrutura) e representantes da Sociedade de Propósito Específico (SPE) formada pelos vencedores da licitação para a assinatura do contrato da primeira Parceria Público Privada do Estado.

As obras terão início pela parte externa, possibilitando assim a realização dos clássicos, da final e semifinal do primeiro turno do Campeonato Cearense de 2011. “Sempre tivemos um compromisso forte com o futebol cearense e por isso decidimos fazer um estudo mais detalhado do projeto de reforma, onde identificamos que seria possível realizarmos essas partidas sem prejudicar o andamento das obras”, reforça o secretário Ferruccio Feitosa.

Licitação
O resultado da licitação destinada à reforma, ampliação, adequação, operação e manutenção do estádio Castelão foi divulgado pela Procuradoria do Estado do Ceará em sessão pública realizada no dia 29 de outubro. Nela, o consórcio formado pelas empresas Galvão Engenharia S/A, Serveng Civilsan S/A e BWA Tecnologia de Informação LTDA, foi declarado vencedor. As obras têm recursos totais no valor de R$ 518.606 milhões, que incluem a operação do estádio por oito anos.

Ceará na Copa
Das quatro capitais nordestinas escolhidas como sedes do Mundial, Fortaleza será a única do Nordeste com capacidade para sediar uma semifinal, já que a arena cearense terá capacidade para 66.700 espectadores, quando o exigido pela Fifa é de 60 mil pessoas. Em relatório oficial, a FIFA afirmou que o projeto do Castelão está apto para este fim, tendo em vista o detalhamento dos espaços descritos e a qualificação das áreas, especialmente de atletas, hospitalidade, VIP e imprensa.

Atraso
O ritmo lento das obras de estádios e de infraestrutura urbana nas 12 cidades-sedes da Copa do Mundo acendeu o alerta vermelho. A 33 meses da realização da Copa das Confederações – o “teste” para a Copa do Mundo – segundo análise do Sindicato da Arquitetura e Engenharia (Sinaenco), a edição brasileira do evento de 2013 é a mais atrasada. Para o sindicato, nenhum estádio tem obras em estágio avançado.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já aprovou cinco projetos de financiamento para construção e remodelação de estádios e os contratos aprovados para Manaus, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro e Cuiabá somam quase R$ 1,9 bilhão.

Custo
O Brasil gastará R$ 22,46 bilhões para garantir a infraestrutura e a organização da Copa, o que deverá movimentar cerca de R$ 140 bilhões nos próximos quatro anos. Os setores mais beneficiados se enquadram nas áreas da construção civil (R$ 8,14 bilhões), alimentos e bebidas, serviços prestados às empresas, nos ramos de eletricidade, água, esgoto e limpeza urbana, além dos serviços de informações, turismo e hotelaria. Cerca de R$ 15 bilhões serão investidos nas 12 capitais-sedes do evento, representando um impacto de R$ 7,18 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB) das capitais que vão sediá-lo.

Penso eu - Dia 13 é dia de Santa Luzia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pauta pra hoje

Ministros da Justiça e da Defesa chegam para avaliar as ações contra o motim de policiais Os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa),...