domingo, 22 de abril de 2018

Bom dia

Luiz Marques
17 h ·

Acabo de ler matéria publicada no Jornal O Povo de hoje,em que se diz”Através de nota a Secretaria da saúde (SMS) respondeu que os recursos para a Santa Casa de Misericórdia vêm shendo realizados regularmente, conforme acordo e prazos pactuados com a instituição “. MENTIRA. Quem deve repasses, por serviços pactuados e realizados em Outubro, Novembro e Dezembro de 2017 e Janeiro e Fevereiro de 2018 não realiza regularmente os repasses pactuados com a instituição. Mais adiante afirma a “nota” da SMS: “ foi efetuado o pagamentos mais de 50 % do valor citado e que o restante desta quantia está programado para os próximos dias, mediante prestação de contas da instituição e repasse do Ministério da Saúde”. Aqui a MENTIRA E TRIPLA”: A “ intitulação “ já prestou conta de todos os serviços referentes aos recursos reclamados; 0 Ministério da Saúde, com dados disponíveis na Internet, já repassou para aSMS, os recursos ora reclamados; Por fim, parte dos repasses reclamados trata-se de convênio com o Estado, com recursos já repassados pelo Governo Estadual, boa parte, em Outubro de 2017, e outra parte em Janeiro de 2018. O que há, na realidade, é uma burocracia injustificável, para não dizer outra coisa, em que um setor da SMS informa uma coisa e outro setor outra diferente. Sempre mantivemos com a SMS o melhor relacionamento, e sempre suportamos atrasos pontuais e esporádicos , porém na atual administração, tais atrasos e uma tônica. Quanto ao aumento do teto financeiro reclamado pelos médicos para realização de cirurgias, com eles somos absolutamente solidários, e mais uma vez deve ser respondido pela SMS. A Santa Casa reafirma o seu mais absoluto respeito aos profissionais da Saúde e aos seus inúmeros pacientes que nos procuram, e que muitas vezes são recusados ou encaminhados pelos hospitais públicos.
 
Do face do provedor Luiz Marques

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Capa do jornal OEstadoCe