quinta-feira, 29 de março de 2018

Jeri não anda bem das pernas

Após ganhar aeroporto, Jericoacoara quer limitar o número de visitantes

Portal O Dia
Inaugurado em junho de 2017, o aeroporto de Cruz, a 250 quilômetros de Fortaleza, foi apelidado de aeroporto de Jericoacoara, apesar de a praia cearense estar em Jijoca, cidade vizinha.
O governo do Ceará classifica o equipamento como regional e diz que poderá levar turistas a outros municípios do litoral oeste, como Camocim. A estimativa, porém, é que mais de 90% dos passageiros que fazem o percurso nos dez voos semanais tenham Jeri como destino.
A vila já recebe mais de 600 mil pessoas por ano, entre brasileiros e estrangeiros. Com a facilidade de um voo direto das principais cidades brasileiras, esse número tende a aumentar. O aeroporto tem capacidade para 600 mil passageiros por ano.
Desde setembro do ano passado, é cobrada taxa de R$ 5 por dia para cada turista que entra na vila de Jericoacoara. Desse valor, 40% obrigatoriamente têm que ser usados na preservação ambiental -similar ao que é feito em Fernando de Noronha.
O governo estuda ainda definir limite para visitantes e restringir o acesso de carros particulares ao parque nacional, que engloba as cidades de Jijoca, Cruz e Camocim.
SEGURANÇA
A expectativa dos moradores da região é que essas ações de preservação das praias acabem resultando também em melhorias nos equipamentos públicos, como praças e parques, e em mais segurança.
“Ainda não estamos sentindo o efeito de um aumento de turistas por causa do aeroporto. Mas esperamos isso,  e queremos ver se conseguimos melhoria em estruturas de água e esgoto, energia elétrica, entre outros”, afirma Elenildo Veríssimo da Silva, 38, presidente do Conselho Comunitário de Jericoacoara. “O benefício trazido pelo turismo tem que vir também para o morador”, diz.
Fonte: Folha Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Capa do jornal OEstadoCe