domingo, 20 de agosto de 2017

A luz


Ainda bem que tem o sol.

Mega Sena

Resultado Concurso 1960 (19/08/2017)

Acumulou!

Sorteio realizado no Caminhão da Sorte em PRESIDENTE VENCESLAU, SP
  • 01
  • 18
  • 25
  • 37
  • 39
  • 43

Olhaí o que é que o Camilo vai fazer hoje

Agenda do governador Camilo Santana para este domingo, 20 de agosto de 2017:
6h30: II Corrida das Escolas Públicas Estaduais
Local: Aterro da Praia de Iracema

Despassitos brasilienses

Temer, Maia e Gilmar se reúnem fora da agenda; tema seria reforma política


Reprodução/TV Globo
Gilmar Mendes
Gilmar Mendes e Rodrigo Maia na casa do presidente da Câmara
Em uma atitude que tem se tornado rotina nos últimos tempos, o presidente Michel Temer participou na tarde deste sábado (19) de uma reunião não registrada em sua agenda oficial.
Ele se deslocou do Palácio do Jaburu para se encontrar com os presidentes do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na casa deste último.
A assessoria do Palácio do Planalto confirmou o encontro, mas não disse o que foi discutido. A de Gilmar afirmou que o tema foi a reforma política em debate no Congresso e o parlamentarismo, sistema de governo defendido por Temer e por alguns líderes de partidos governistas. A Folha não conseguiu falar com Maia neste sábado.
O encontro também não foi registrado nas agendas dos presidentes da Câmara e do TSE.
Com um histórico de idas e vindas e de muito improviso, a reforma política pode ter alguns de seus pontos votados na próxima semana pela Câmara, entre eles a criação de mais um fundo público para abastecer as campanhas e a mudança do modelo de eleição para o legislativo.

Reprodução/TV Globo
Temer e Maia
O presidente Michel Temer deixa a casa de Rodrigo Maia em Brasília
Temer e Gilmar já se encontraram outras vezes sem registro oficial em suas agendas.
No último dia 8 o presidente da República recebeu também fora da agenda a futura procuradora-geral da República, Raquel Dodge. A visita veio a público após ser registrada por um cinegrafista da TV Globo, por volta das 22h.
Ela disse à Folha que o motivo do encontro foi a discussão de detalhes de sua posse.
O episódio em que Temer ficou sob ameaça de perder o cargo –a conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, da JBS– também ocorreu no final da noite, fora da agenda oficial da Presidência da República.
CRÍTICAS
Gilmar tem se dedicado a debater a instituição do parlamentarismo no Brasil.
Rejeitado pela população brasileira em dois plebiscitos, o último em 1993, o parlamentarismo é composto por um governo comandado por um primeiro-ministro escolhido pelo Poder Legislativo, que pode trocá-lo a qualquer tempo. O atual sistema brasileiro é o presidencialismo.
Gilmar também tem criticado a proposta da reforma política debatida pelos deputados, em especial o ponto que limita mandato de novos ministros do Supremo.
"Não posso deixar de registrar, a proposta de fixar mandato de 10 anos para tribunais é mais uma das nossas jabuticabas [...] Podemos até discutir mandato para corte constitucional, mas não na reforma política. Uma coisa não tem nada a ver com a outra", disse.

Quem chamou o idiota?

Possível candidato do PSDB a presidência da República em 2018, o prefeito João Doria xingou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que poderá ser seu principal adversário ao Planalto, de “sem vergonha”, “corrupto”, “covarde” e “preguiçoso”. As palavras foram pronunciadas durante um encontro com empresários do LIDE nesta sexta-feira (18) durante um almoço em Fortaleza.
“Eu não queria. Tinha prometido a mim mesmo que não faria, mas vou mandar um recadinho para o ex-presidente Lula: você, além de sem vergonha, preguiçoso, corrupto e covarde, declarou hoje que o João Doria não deveria viajar, mas administrar a cidade de São Paulo. Lula, além de tudo talvez você não saiba ler. Você é inexpressivo. Na primeira avaliação (da gestão) eu fechei com 70% de aprovação, enquanto o seu prefeito Fernando Haddad fechou com 15%”, disse o tucano em tom exaltado.

Galeguim puxa faca e chama pra briga

‘Se não me tirarem, não arredo um passo do caminho que começamos a trilhar, diz Tasso

Animado com a repercussão do programa do PSDB que causou a indignação de setores governistas do partido, o presidente interino Tasso Jereissatti (CE) disse na noite dessa sexta-feira (18) que está disposto a continuar a implementar medidas para reconectar o partido com a sociedade. Se não for afastado, diz, semana que vem comandará uma reunião com presidentes regionais do partido para discutir calendário de convenções.
Se não me tirarem, e eu continuar, não arredo um passo do caminho que começamos a trilhar para refundar o PSDB. É impressionante a recepção da propaganda na opinião pública e a raiva que provocou em alguns políticos. Isso mostra como estamos distantes da sociedade. Recebi milhares de e-mails dizendo que é isso mesmo e muita gente que encontrei aqui disse que não viu nenhuma acusação a Temer. vamos em frente, fala Tasso.
Depois do apoio público do prefeito João Doria, Tasso recebeu uma ligação do governador Geraldo Alckmin dizendo que apoiava sua manutenção no cargo “de forma contundente”. O senador passou o dia recebendo apoios e conversando com lideranças do partido que entraram em campo para botar panos quentes.
O senador negou que o partido esteja rachado e defendeu que, neste momento, a sociedade quer discutir os problemas de governabilidade focados no programa de TV. Com quem conversou, deixou claro que não renuncia, e só sai se o tirarem.
Outras lideranças tucanas, contrárias ao seu afastamento, como o vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PB), disseram que o momento exige colocar o dedo na ferida. A polêmica gerada mostraria que a propaganda com a marca de Tasso foi “um sucesso”.
Não faz sentido ninguém botar a carapuça. Por que o mal-estar? A crítica ao sistema que está falido foi feita de forma genérica. E a expressão que causou tanto desagrado, do presidencialismo de cooptação, inclusive foi uma sugestão de Fernando Henrique a Tasso. A versão original falava em presidencialismo de coalizão, defendeu Cássio.
O programa constata que o sistema político atual é gerador de crises, traz instabilidade e atrapalha projetos estruturantes, sem acusar ninguém individualmente, relata o secretário-geral do PSDB, deputado Silvio Torres (SP), também alinhado com Tasso.
Do Jornal O Globo

Aí entra o poder da bolsa riquinho

Comissão vai discutir se famílias de alunos ricos devem pagar por universidades públicas

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados vai discutir na terça-feira (22) se os ricos devem pagar para estudar em universidades públicas. O debate estará aberto ao público por meio do canal e-democracia, no portal de internet da Câmara dos Deputados, a partir das 10 horas. A iniciativa do debate é do presidente do colegiado, deputado Caio Narcio (PSDB-MG). Ele parte do princípio de que a educação brasileira está em crise, evidenciada, entre outros fatores, pela defasagem entre investimentos nos ensinos básico e superior.
Outro aspecto da crise seria o que o deputado chama de “dicotomia”, que leva a um grande número de alunos de renda familiar elevada matriculados em universidades públicas. “Nós temos uma pirâmide invertida no que se refere ao financiamento: temos, no ensino superior, um investimento que, por vezes, chega a ser três maior do que o da educação básica. Quer dizer que se tem uma formação na alfabetização e nos primeiros anos de escola totalmente prejudicada, com professores mal qualificados e mal remunerados. Depois, a gente observa que existe uma dicotomia na educação superior no Brasil: quem tem dinheiro está estudando de graça e quem não tem está pagando para estudar na [faculdade] privada porque não consegue ter acesso ao ensino gratuito”.
Para Caio Narcio, uma pessoa que seja muito rica não pode estudar de graça. “Na minha concepção, essa pessoa precisa pagar a universidade e esse dinheiro pode ajudar tanto na ampliação de vagas para quem ainda não tem acesso quanto na compensação do ensino básico. Acho que a gente deve ter a coragem de enfrentar esse assunto, porque não é razoável que um cara pare uma BMW e vá estudar na universidade pública de graça”.
(Agência Câmara Notícias)

Do Chumbo Gordo


NOVES FORA, ZERO ZERO ZERO

Coluna Carlos Brickmann

______________________

(Edição dos jornais de DOMINGO, 20 de agosto de 2017)

-------------------------------------------------------------------------------

Lula está disposto a tudo para ser candidato – e, ao menos por algum tempo, livrar-se de Curitiba. E, para mostrar a seus adeptos que fora ele não há salvação, admitiu na Bahia a possibilidade de ser impedido de disputar a Presidência (é a primeira vez que fala em público sobre esta hipótese). Seu substituto, disse a Mário Kertesz, da Rádio Metrópole, seria escolhido entre os governadores Fernando Pimentel (Minas), Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará), Wellington Dias (Piauí), e o ex-governador baiano Jaques Wagner. Fernando Haddad, que tenta viabilizar-se como candidato, não é citado: claro, perdeu a reeleição por ampla margem, e no primeiro turno.


Nas palavras de Lula, “o golpe (o impeachment de Dilma) não fecha” se ele não for judicialmente impedido de se candidatar. O risco é alto: Lula já foi condenado em primeira instância, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, a nove anos e meio de prisão, e se seu recurso for recusado pelo Tribunal Regional Federal cai na Lei da Ficha Limpa. O problema é que, apesar da alta rejeição (que dificultaria sua vitória no segundo turno), ele é o primeiro colocado nas pesquisas. Os nomes que sugere como substitutos nem foram lembrados pelos pesquisadores. E, depois de Dilma e Haddad, a era dos postes, que só existiam por seu apoio, parece ter chegado ao fim.


Lula está em campanha – oficialmente, “caravana”, porque campanha antecipada é ilegal – por nove Estados do Nordeste. Visita 25 cidades.

    

...com quem andas


A comitiva de Lula na campanha – quer dizer, “caravana” – inclui Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, acusada de crime eleitoral, lavagem de dinheiro e corrupção passiva, José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, acusado de improbidade administrativa, e o ex-governador baiano e ministro Jaques Wagner – contra quem o Supremo determinou a abertura de processo, acusado de participação no esquema Odebrecht.


     A bainha dos tucanos


O PT pode ter candidatos de menos, mas todos farão o que Lula mandar. Já o PSDB tem candidatos demais, três deles já derrotados pelo PT, outro derrotado dentro do partido quando quis se candidatar; e um que aparece bem, mas que por isso mesmo vem sendo sabotado pelos outros. No PSDB todos são amigos desde os bancos escolares, mas ainda acham que as costas uns dos outros são a bainha para seus punhais.


Geraldo Alckmin e Aécio Neves, ambos já derrotados por Lula, vêm conversando sobre como anular João Dória Jr., com prestígio em alta (e com o dobro das intenções de voto de Alckmin, nas pesquisas). José Serra, surrado por Lula e Dilma, quer ser lembrado como candidato e não fala mal de Dória; mas seu aliado José Aníbal fala mal por ele. Tasso Jereissati, atropelado por Serra no PSDB quando quis se candidatar, é o presidente do partido – e mandou sozinho no programa de TV, criticado pelos demais tucanos (entre outras coisas, o programa atacou o Governo, em que o PSDB tem quatro ministérios dos bons). Todos querem derrubar Tasso; aceitam até Aécio de volta.

  

   Ao mestre, com carinho


Mas Aécio teve de se licenciar da Presidência do PSDB quando foi alvo das gravações de Joesley Batista, a quem pediu R$ 2 milhões. Joesley diz que era suborno, Aécio diz que era empréstimo. E o Supremo, a pedido do procurador Janot, analisa a possibilidade de mandar prender o senador.

Outra possibilidade é antecipar para outubro a convenção nacional, que escolherá o presidente. E, inicialmente, antecipar as convenções estaduais. No caso, o favorito para presidente é o governador goiano Marconi Perillo.


O PSDB, como sempre, decidiu não decidir. Vão consultar Fernando Henrique, que não é candidato nem quer ser, para que decida por todos.

   

  Quem parte e reparte...


Todos querem votar depressa a reforma política, mas só para garantir a mamata dos R$ 3,6 bilhões de financiamento público de campanha. Como fica a eleição (distrital, distrital misto, distritão, proporcional), não importa muito. Mas, sem decidir esses detalhes, como garantir já a dinheirama? Os parlamentares estudam qual o sistema que melhor lhes facilite a reeleição.


     ...fica com a melhor parte...


Na terça, promete o presidente do Senado, Eunício Oliveira, entra na pauta o pedido de urgência para extinguir o sigilo dos empréstimos do BNDES. O projeto é do senador Lasier Martins, do PSD gaúcho; e o PT é totalmente contra, com certeza por motivos técnicos e patrióticos. Lasier Martins cita casos em que o fim do sigilo permitirá que se entenda tudo: o porto de Mariel, em Cuba, empréstimo de US$ 682 milhões; o metrô do Panamá, US$ 1 bilhão. As empreiteiras são as de sempre.


     ...e conhece a arte


Do portal Quanto Custa o Brasil: lista de deputados federais e senadores em débito com a União (goo.gl/Xbxh5f).

Bom dia

Domingo, 20 de Agosto de 2017.
Santo do dia: Assunção de Nossa Senhora; São Bernardo de Claraval, abade e Doutor da Igreja
Cor litúrgica: branco
Evangelho do dia: São Lucas 1, 39-56
Primeira leitura: Apocalipse 11,19; 12,1.3-6.10
Leitura do Livro do Apocalipse:

19Abriu-se o Templo de Deus que está no céu e apareceu no Templo a arca da Aliança. 12,1Então apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas. 2Estava grávida e gritava em dores de parto, atormentada para dar à luz. 3Então apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão, cor de fogo. Tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças, sete coroas. 4Com a cauda, varria a terça parte das estrelas do céu, atirando-as sobre a terra. O Dragão parou diante da Mulher que estava para dar à luz, pronto para devorar o seu Filho, logo que nascesse. 5E ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as naçðes com cetro de ferro. Mas o Filho foi levado para junto de Deus e do seu trono. 6aA mulher fugiu para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um lugar. 10abOuvi então uma voz forte no céu, proclamando: "Agora realizou-se a salvação, a força e a realeza do nosso Deus, e o poder do seu Cristo".
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

sábado, 19 de agosto de 2017

Camilo e os interesses do Cariri

Governo do Ceará entrega obra do Geossítio Pontal de Santa Cruz e anuncia benefícios em Santana do Cariri

 MG 7912 web

    Durante a solenidade, o governador Camilo Santana liberou recursos para a estrada que dá acesso ao local e uma barragem para o município

 MG 7513 web    O governador Camilo Santana inaugurou, nesta sexta-feira (18), a obra de infraestrutura e melhorias do Geossítio Pontal da Santa Cruz, no município de Santana do Cariri.

    O projeto, que recebeu recursos de R$ 816.998,29, contemplou a construção de cruz e mirante em estrutura metálica, a instalação de estrutura de proteção, a substituição e melhorias de instrumentos de comunicação visual, a instalação de equipamento de segurança na trilha, a construção de estacionamento, dentre outros.

 MG 7938 web    O governador Camilo Santana também autorizou a liberação de R$ 1,6 milhão para a pavimentação do acesso ao Geossítio Pontal da Santa Cruz.

    "Vim aqui pessoalmente para inaugurar a recuperação do principal ponto turístico de Santana do Cariri para valorizar cada vez mais as vocações deste município. Autorizei também a construção do novo acesso ao Pontal, uma demanda que eu recebi pessoalmente da prefeita Danielle", afirmou o governador.

 MG 7568 web    Para a prefeita de Nova Olinda, Danielle Machado, "é um orgulho a revitalização do espaço, um ponto turístico que é fundamental para desenvolver o nosso município. Um pedido nosso ao governador Camilo Santana que foi prontamente atendida. Temos somente que agradecer pela iniciativa, pois um sonho da nossa população acaba de ser realizado".

 MG 7582 web    O local atrai visitantes de Santana do Cariri e dos municípios vizinhos. É o caso da professora Maiara Sampaio. Ela mora em Nova Olinda e trabalha em Santana do Cariri. Para ela, um espaço para estudo e também para lazer. "Um espaço muito importante para quem vem aqui. Valoriza a cultura, o lazer e atrai muitos visitantes", comemorou.

    Foram instalados um restaurante e um espaço de contemplação no Geossítio Pontal de Santa Cruz. Um pouco mais à frente está a Capelinha de Santa Cruz, onde os moradores professam a fé.

    A obra faz parte do projeto de infraestrutura de nove geossítios e que contempla ações nos seis municípios que fazem parte do território do Geopark Araripe. Os geossítios receberam um investimento total de R$ 3.022.026,87.


    Barragem

    O governador Camilo Santana autorizou também a construção de uma barragem em Santana do Cariri para garantir o abastecimento d'água do município.

    "Quero voltar aqui para inaugurar a barragem. A água é um bem sagrado e eu estou aqui para garantir que o Estado vai iniciar esta obra que também é uma reivindicação antiga que estamos atendendo. Eu volto aqui para inaugurar a barragem e o novo acesso ao Pontal com o povo de Santana do Cariri", finalizou o governador.

Cutucando a história


Conheça a confusa história por trás da frase ‘o Brasil não é um país sério’

Daniel Buarque

O texto abaixo é o primeiro capítulo do livro ''Que Brazil é esse? – O que eles disseram sobre o Brasil'' (Ed. Livros Ilimitados), de Paulo Gravina, que reúne as mais famosas frases de estrangeiros sobre o país ao longo da história.
Veja lista de frases mais famosas de estrangeiros sobre o Brasil
Este trecho discorre sobre uma das declarações mais conhecidas e repetidas dentro e fora do país, e que tem uma história complicada e cheia de reviravoltas e atribuições equivocadas.
Charles de Gaulle, ex-presidente da França

'O Brasil não é um país sério'
Atribuída a Charles de Gaulle, ex-presidente da França
Por Paulo Gravina
Entre fevereiro e março de 1963, durante um incidente diplomático envolvendo o Brasil e a França relativo à pesca de lagostas , houve um pequeno estremecimento nas relações entre os dois países e popularizou-se a versão de que Charles de Gaulle, presidente da França na época, teria dito que o Brasil não era um país sério.
A frase teve imensa repercussão e ficou famosa no Brasil inteiro, causando todo o tipo de reação, quase sempre sem levar em conta o contexto em que a frase teria sido dita. Muitos criticaram o presidente francês e alguns passaram a censurar todos os franceses, a tentar contradizê-los e a questioná-los sobre o que pensavam do Brasil. Havia, porém, um reconhecimento geral por parte da maioria da população brasileira de certos absurdos que ocorriam no país em relação ao seu ambiente político, aos casos de corrupção, aos problemas na formação educacional, ao direcionamento dos gastos públicos e à atuação nas relações exteriores, que revelavam factualmente a falta de seriedade brasileira.
Charles de Gaulle, em retrato de Donald Sheridan
Em 1979, o diplomata brasileiro Carlos Alves de Souza publicou um livro em que se assumia como autor da frase. Ele era, na época do incidente que ficou conhecido como “Guerra da Lagosta”, embaixador do Brasil na França, cargo que ocupou entre 1956 e 1964. Carlos Alves de Souza teria dito que o Brasil não era um país sério em uma conversa informal com o jornalista brasileiro Luís Edgar de Andrade, correspondente na França do Jornal do Brasil.
Conforme o embaixador brasileiro informa em seu livro “Um embaixador em tempos de crise”:
“É evidente que, sendo hóspede do General De Gaulle, homem difícil, porém muito bem educado, ele, pela sua formação e temperamento, não pronunciaria frase tão francamente inamistosa em relação ao país do Chefe da Missão que ele mandara chamar. Eu pronunciei essa frase numa conversa informal com uma pessoa das minhas relações. A história está cheia desses equívocos.”

Entretanto, mesmo com essa explicação, a frase continuou a ser repetida toda vez que era justificada por alguma situação que ocorria no Brasil. O autor e o contexto da frase deixaram de ter tanta importância e os brasileiros simplesmente passaram a usar a frase por si próprios, para se autorretratarem. Por um lado, a citação acabou reforçando o “complexo de vira-latas” que, segundo o escritor brasileiro Nelson Rodrigues, teria surgido após a derrota para o Uruguai na Copa do Mundo de Futebol de 19507
Por outro lado, como declarou o político brasileiro Jarbas Passarinho, no artigo “A força da versão”, publicado em 2001, essa acabou se tornando “a ofensa de que nos orgulhamos”.
O ex-embaixador do Brasil na França Carlos Alves de Souza
Tal orgulho não se deve somente à ambiguidade da frase, que pode destacar tanto o descompromisso quanto a alegria do brasileiro dependendo do intérprete; o mais grave, porém, é que muitos brasileiros se orgulham da frase, julgando ter encontrado uma definição que finalmente explicou o Brasil, sendo utilizada por eles para exaltar o país do “descaramento” ou para censurar o país.
Houve, no entanto, algumas tentativas de responder à citação, como a do político brasileiro Rafael de Almeida Magalhães que declarou, em 1964, quando era vice-governador do antigo Estado da Guanabara (Rio de Janeiro), que o governo do presidente brasileiro Castello Branco (1964- 1967) seria o “da transformação do Brasil em País sério”.
Também vale destacar a resposta do professor e ex-deputado brasileiro Solón Borges dos Reis, que, em um artigo de 1983, afirmava: “No fundo, porém, o Brasil é um país tão sério quanto todos os demais. Embora nem sempre nos devotemos a ele com a responsabilidade que merece e de que tanto precisa.”
A principal resposta, no entanto, veio de outro presidente francês, Jacques Chirac, que, em 1997, durante uma conferência de imprensa em São Paulo, foi perguntado por uma jornalista brasileira se considerava o Brasil um país sério. Chirac declarou:
“(…) eu faço questão de asseverar que o general de Gaulle jamais disse isso e eu vo-lo digo oficialmente. Foi uma declaração que veio da Embaixada do Brasil em Paris. O general de Gaulle jamais disse isso por bons motivos. Primeiro porque o general de Gaulle tinha grande amor pela América Latina. Foi aqui recebido triunfalmente e era, além disso, um homem extremamente educado e cortês. É impensável que ele tenha dito uma coisa como essa. É uma invenção pura e simplesmente, cuja origem nós pudemos perfeitamente determinar, foi uma besteira.

Para mim, eu creio que o Brasil é um país extraordinariamente sério. Mas o sério pode ser entediante. O Brasil possui essa particularidade. É um país sério, que gere seus assuntos com seriedade, mas, para tanto, ele não perde nem seu entusiasmo, nem o seu charme e essa é provavelmente uma de suas grandes forças.”
No final das contas, a citação acaba representando muito mais uma autocrítica brasileira do que uma visão dos estrangeiros sobre o país. A rigor, a frase não está de acordo com a ideia original deste livro, já que se trata de uma reflexão originalmente brasileira atribuída a uma figura estrangeira dotada de autoridade e de discernimento. Todo o crédito da afirmativa vem justamente do fato de que se imagina que ela foi dita por uma figura estrangeira.
Em geral, os estrangeiros, sobretudo as figuras de relevância política, reconhecem a seriedade do Brasil em diversos aspectos; no entanto, a difusão da frase comprova que existe uma crença por parte de nós, brasileiros, de que a nossa própria seriedade e identidade dependem da frase de um forasteiro.

As cidades com a melhor saúde do país

São Paulo – Dizer que as cidades brasileiras impressionam no que diz respeito à saúde pública seria uma verdadeira mentira. Apesar disso, um ranking montado pela consultoria Urban Systems destaca 50 municípios que têm inovado e apresentado resultados acima da média brasileira (que é para lá de deficiente) no setor.
É o caso de Vitória, capital do Espírito Santo, que foi considerada a melhor cidade do Brasil em estratégias inteligentes em saúde. O índice de desempenho do município foi de 4,099 em uma escala de 0 a 9 pontos.
Embora com resultado modesto, a cidade mostra um bom desempenho em alguns indicadores. Para cada grupo de mil habitantes, por exemplo, há cerca de nove médicos disponíveis no município – a média nacional é de um profissional para cada mil pessoas.
Nos últimos anos, a prefeitura de Vitória também aplicou recursos em um sistema tecnológico que interliga todos os hospitais, postos de saúde, farmácias e laboratórios da cidade. O software de gestão Rede Bem Estar permite que todas as informações dos pacientes — como histórico médico, atestados e resultados de exames — sejam consultadas por uma plataforma única. Por dentro do assunto:
Entre as outras cidades que obtiveram as melhores pontuações, Belo Horizonte (MG) e São Caetano do Sul (SP) aparecem em segundo e em terceiro lugar no ranking, com índice de 3,830 e 3,806, respectivamente.
Para montar o ranking, a Urban Systems levou em consideração nove critérios: leitos por habitantes; leitos de internação; médicos por habitantes; cobertura populacional da equipe de saúde da família; número de concluintes no setor de saúde; despesa municipal com o setor; ciclovias; atendimento urbano de esgoto e cobertura do serviço de coleta de resíduos.
Veja o ranking das 50 melhores cidades do Brasil com estratégias inteligentes em saúde.

 Centro de Sobral
Ranking Cidade Pontos
Vitória (ES) 4,099
Belo Horizonte (MG) 3,830
São Caetano do Sul (SP) 3,806
Sobral (CE) 3,788
Palmas (TO) 3,678
Alfenas (MG) 3,650
Porto Alegre (RS) 3,643
Amparo (SP) 3,636
Florianópolis (SC) 3,590
10º Rio de Janeiro (RJ) 3,553
11º Pato Branco (PR) 3,552
12º Barbacena (MG) 3,542
13º Resende (RJ) 3,536
14º São Paulo (SP) 3,532
15º Très Rios (RJ) 3,506
16º São Sebastião do Paraíso (M 3,483
17º Ilha Solteira (SP) 3,480
18º Juiz de Fora (MG) 3,480
19º Santa Fé do Sul (SP) 3,453
20º Montes Claros (MG) 3,447
21º Brasília (DF) 3,430
22º Itabira (MG) 3,423
23º Angra Dos Reis (RJ) 3,408
24º Penápolis (SP) 3,405
25º Ponte Nova (MG) 3,394
26º Petrópolis (RJ) 3,378
27º Poços de Caldas (MG) 3,367
28º Joaçaba (SC) 3,353
29º Campina Grande (PB) 3,352
30º Barueri (SP) 3,342
31º Tupi (SP) 3,339
32º Porto Nacional (TO) 3,334
33º João Pessoa (PB) 3,320
34º Curitiba (PR) 3,317
35º Itaúna (MG) 3,312
36º Maringá (PR) 3,297
37º Niterói (RJ) 3,297
38º Muriaé (MG) 3,289
39º Ouro Preto (MG) 3,284
40º Goiânia (GO) 3,281
41º Aracaju (SE) 3,275
42º Santos (SP) 3,263
43º Umuarama (PR) 3,259
44º Recife (PE) 3,247
45º Extrema (MG) 3,233
46º Volta Redonda (RJ) 3,232
47º São Bernardo do Campo (SP) 3,230
48º Londrina (PR) 3,227
49º Mariana (MG) 3,226
50º Rancharia (SP) 3,221

Páscoa


Comentário do dia por São Máximo de Turim, Bispo
Homilia 58 sobre a Páscoa

«Dos que são como elas é o reino dos Céus»

Com que grande e admirável dom nos presenteou Deus, meus irmãos! Na sua Páscoa, a ressurreição de Cristo faz renascer na inocência dos pequenos aquilo que outrora perecia no pecado. A simplicidade de Cristo torna sua a infância. A criança é sem rancor, não conhece a fraude, não ousa fazer mal. Assim, esta criança em que o cristão se transformou não se importa de ser insultado, não se defende se for desapossado, não devolve os golpes se for atacado. O Senhor exige-nos mesmo que rezemos pelos nossos inimigos, que abandonemos túnica e manto aos ladrões, que apresentemos a outra face (cf Mt 5,39s).
A infância em Cristo ultrapassa a infância simplesmente humana. Esta ignora o pecado, aquela detesta-o. Esta deve a inocência à fraqueza, aquela à virtude. Ainda é digna de mais elogios: o seu ódio ao mal provém da vontade, e não da impotência. Podemos, evidentemente, encontrar a sabedoria de um velho numa criança, ou a inocência da juventude nas pessoas idosas. E o amor reto e verdadeiro pode amadurecer os jovens: «A honra da velhice não consiste numa longa vida», diz o Profeta, «e não se mede pelo número de anos, mas pela inteligência» (Sab 4,8-9). Mas aos apóstolos já maduros e idosos, o Senhor diz: «Se não voltardes a ser como as criancinhas, não podereis entrar no reino dos céus» (Mt 18, 3). E remete-os para a própria fonte da sua vida; incita-os a retomar a infância, a fim de que os homens cujas forças declinam renasçam para a inocência do coração: «Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus» (Jo 3,5).

Quem tem padrinho não morre pagão

”Gilmar Mendes contraria Bretas e manda soltar empresário de ônibus” - O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), concedeu nesta sexta-feira (18) novo habeas corpus ao empresário Jacob Barata Filho, que tinha sido preso no início de julho. Na quinta (17), Gilmar concedeu habeas corpus ao empresário. Pouco depois, o juiz federal Marcelo Bretas determinou nova prisão preventiva contra o empresário. "A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal é no sentido de que, uma vez concedida a ordem de habeas corpus, eventuais decisões ulteriores que, por via oblíqua, buscam burlar seu cumprimento, são direta e prontamente controláveis pela corte", escreveu Gilmar na decisão. Para ele, as medidas cautelares impostas em lugar da prisão já são suficientes para impedir que Barata cometa novos delitos. "A prisão foi decretada para assegurar a aplicação da lei penal, visto que o paciente estava viajando para o exterior com quantia em dinheiro, portando documento que indicava ciência da existência da investigação em seu desfavor; e para a garantia da ordem pública, visto que, ao praticar a suposta tentativa de evasão de divisas, o paciente estaria reiterando em práticas criminosas", escreveu Gilmar. "Ainda assim, tenho que as medidas cautelares anteriormente fixadas são suficientes para afastar a necessidade da prisão preventiva. Especialmente relevante para tal finalidade é a proibição de se ausentar do país, com obrigação de entrega de passaportes. Essa medida é suficiente para reduzir o alegado risco de fuga." Ele criticou o fato de não ter sido informado sobre o novo pedido de prisão que havia contra o empresário. "Ao impetrar esta ação de habeas corpus, os impetrantes sabiam, ou ao menos deveriam saber, da existência do segundo decreto de prisão, mas não dividiram a informação com este Juízo. Esse dado poderia inclusive ser relevante para a avaliação da necessidade da prisão preventiva por este Supremo Tribunal", afirmou.

Política no dia a dia

Ex-governador Cid Gomes e a prefeita Laís Nunes discutem cenário político. 

A prefeita de Icó Lais Nunes e Cid Gomes se encontraram nesta sexta-feira, 18, em Fortaleza, no apartamento pessoal do ex-governador do Ceará, onde discutiram o cenário político e econômico estadual e nacional. 

Cid Gomes, que foi deputado estadual, governador e prefeito de Sobral por duas oportunidades, disse a prefeita icoense que quando administrou Sobral, logo nos primeiros meses foi muito criticado; mas com coragem tomou decisões fortes e hoje é amado por seus conterrâneos pelo sucesso de sua gestão, à época. 

"Laís Nunes tem vocação política; é honesta, do bem e tem compromisso. A avaliação de sua gestão será feita em momento oportuno.  Conta com nosso apoio e do governador Camilo Santana", registou Cid Gomes. 

Laís Nunes colocou de forma transparente o legado recebido em Icó e das dificuldades enfrentadas para superar os desafios a frente da prefeitura icoense. 

"Queremos celebrar o maior número de parcerias entre os governos federal e estadual para alavancar o desenvolvimento do Icó", disse Laís Nunes. 

A prefeita de Icó entregou ao ex-governador uma pauta com várias reivindicações.

Cid Gomes prometeu agendar uma visita à Icó para uma reunião com os secretários municipais da gestão Cidade Feliz, onde na oportunidade, estará expondo sua experiência exitosa enquanto prefeito de Sobral e Governador do Ceará.

Não fresque com o dr.Gilmar.


Gilmar Mendes (STF) vai mandar soltar hoje, novamente, o empresário Jacob Barata Filho e o presidente da Fetranspor, Lélis Teixeira, que foram mantidos presos pelo juiz Marcelo Bretas ontem, após a decisão do ministro de mandar soltá-los.
Gilmar Mendes acha que nos dois casos não há nenhuma razão nova para mantê-los presos. A informação é do colunista Merval Pereira, do O Globo.

Contas fechadas

Bolsa Família: fila de espera é zerada no Ceará
Em agosto, 52,2 mil famílias começam a receber o benefício
Brasília – A fila de espera do Programa Bolsa Família foi zerada pela terceira vez neste ano no Ceará. No Estado, 52.276 famílias começam a receber o benefício em agosto. No total, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) vai repassar R$ 182 milhões para 1 milhão de famílias. O valor do benefício médio é R$ 178,94.

De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, ao zerar a fila de espera, o governo federal mostra que é possível aprimorar os mecanismos de controle do Bolsa Família. “Com o pente-fino, conseguimos afastar as pessoas que tinham renda maior e repassar o benefício para quem mais precisa. As famílias que estão entrando agora vão receber o Bolsa enquanto não tiverem uma fonte de sustento maior”.

Terra ressalta que o cruzamento de dados frequentes reduziu o tempo que o poder público leva para identificar se as famílias têm renda superior à exigida para ingressar e permanecer no programa.




Calendário – Para saber o dia em que é possível sacar o dinheiro, deve-se observar o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) impresso no cartão do programa. No primeiro dia, recebem as famílias com NIS de final 1. No segundo dia, os cartões terminados em 2 e, assim, sucessivamente. Os recursos ficam disponíveis para saque durante 90 dias.

Primeira Infância – Para fortalecer ainda mais o Bolsa Família , o governo federal criou uma iniciativa de atenção à primeira infância. Sob a coordenação do MDS, o Programa Criança Feliz reunirá ações nas áreas de saúde, educação e cultura. As famílias serão acompanhadas por profissionais capacitados, que farão visitas domiciliares periódicas. Serão priorizadas gestantes e crianças de até 3 anos de idade beneficiárias do Bolsa Família e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O governo prepara ainda um pacote de ações para promover a inclusão produtiva dos beneficiários do Bolsa Família, com oferta de microcrédito, estímulo aos jovens na área de tecnologia da informação e premiação aos prefeitos que conseguirem realizar ações de geração de renda para os mais pobres.

Saiba mais – O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda direcionado às famílias em situação de pobreza (renda per capita mensal entre R$ 85,01 e R$ 170,00) e de extrema pobreza (renda per capita mensal de até R$ 85,00). Ao entrarem no programa, os beneficiários recebem o dinheiro mensalmente e, como contrapartida, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação.

As perguntas de Acrisio

Acrísio Sena sugere maior aprofundamento no debate acerca do projeto de lei nº 283/2017

Vereador Acrísio Sena integra a bancada do PT na Câmara Municipal. Foto: Érika Fonseca
Utilizando a Tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, no pequeno expediente de quinta-feira, 17, o vereador Acrísio Sena (PT) destacou a necessidade de debater o Projeto de Lei 283/2017, de autoria do vereador Marcio Cruz (PSD), que altera nomenclatura da Guarda Municipal de Fortaleza como Guarda Civil Metropolitana e autoriza a instituição, bem como seus integrantes, a se identificarem como “polícia” em razão das atribuições e funções de polícia que exercem estabelecidas pela Lei Federal 13022, de 08 de agosto de 2014.
O vereador protocolou a necessidade de uma audiência pública para que possa ser ouvida a guarda, a população, os vereadores e os estudiosos do Laboratório de Violência. Segundo Acrísio, é necessário uma discussão mais aprofundada para saber se esse é o melhor caminho para a Guarda Municipal.
“Eu avalio que a Casa tem que fazer esse debate de forma mais aprofundada antes da matéria ser votada. Não estou entrando no mérito de ser contra ou a favor ainda, embora na Lei Federal 13022, das 18 competências que estabelecem o estatuto geral das guardas municipais, apenas uma faz menção ao papel de polícia pela guarda municipal, que é exatamente o inciso 12o, que diz é competência da guarda integrar-se com aos demais órgãos do poder de polícia administrativa visando contribuir para a normatização e a fiscalização das posturas e ordenamento urbano municipal.”, disse o parlamentar.
Do site da Câmara Municipal

Belezura

Posto de combustível da Rede Ceará participa de concurso Nacional


O posto de combustível da Rede Ceará, que atua há mais de 18 anos no mercado, concorre ao XIX Concurso “O Posto Mais Bonito do Brasil”, realizado e promovido há 26 anos pela Revista Posto de Observação, a Brascombustíveis (Associação Brasileira do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos e de Lubrificantes) com o apoio do Sincopetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo).
Atualmente a Rede Ceará conta com dez postos, distribuídos em seis municípios do Ceará. O posto que irá concorrer fica localizado na Avenida Barão de Aquiraz, S/N, Cauassú, no Eusébio (CE-040, ao lado do Atacadão do Eusébio).
O concurso é voltado aos postos revendedores de combustíveis e lojas de conveniência localizados em todo o território nacional que representem a modernidade, a inovação, o respeito aos recursos humanos e meio ambiente, além de proporcionar ao consumidor a melhor experiência possível. 

Bicos rachados.

Tasso banca “autocrítica” do PSDB em vídeo que amplia racha tucano e crise com Temer: “Não me arrependo”

Marcos Oliveira/Agência Senado
Troca de comando: aliados de muitos anos, Tasso e Jereissati agora estão em lados opostos em relação a Temer

Presidente interino do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE) despertou revolta nos tucanos que defendem a manutenção da aliança do partido com o governo Michel Temer. Admitindo ser o principal responsável pela propaganda partidária que condena, em vídeo de dez minutos, o “presidencialismo de cooptação” em curso no país, Tasso não só diz que a autocrítica é “necessária”, como reitera seu conteúdo e não se arrepende de tê-lo levado a público. O material, veiculado ontem (quinta, 17) em cadeia nacional de rádio e TV, intensificou o racha tucano, como este site mostrou mais cedo.
“Eu não me arrependo de nada, tenho responsabilidade total pelo programa. Eu sou presidente interino [do PSDB] e, enquanto for presidente interino, dou orientação”, afirmou o senador, que cumpriu agenda nesta sexta-feira (18) com o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) – um defensores da aliança com Temer e, embora não admita publicamente, presidenciável da legenda.
<<Vídeo de autocrítica do PSDB intensifica racha na cúpula tucana
<<Com quatro ministérios, PSDB diz que Temer faz “presidencialismo de cooptação”
Presidente do PSDB desde meados de maio, Tasso substitui no comando da legenda outro tucano influente e presidenciável como Doria, embora alvejado por investigações e delações da Operação Lava Jato. Com pedido pendente de prisão desde que foi denunciado por executivos do Grupo JBS, Aécio Neves (MG) também defende a permanência do partido na base aliada e, nos bastidores, atua para viabilizar a pauta reformista de Temer no Congresso. Mas, com a anuência de caciques tucanos como o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), ainda com forte influência entre os correligionários, Tasso classifica a crítica ao governo e a autocrítica do PSDB como necessárias, uma vez que a sociedade demanda “posições diferentes”.
No vídeo, além das críticas ao presidencialismo, o partido admite “erros” e defende o parlamentarismo, mas não faz qualquer menção às denúncias que envolvem caciques tucanos, principalmente Aécio. Com quatro ministros na gestão Temer, o PSDB também não aborda o fato de que o senador mineiro disputou o posto máximo do Executivo com Dilma Rousseff, em 2014, almejando o posto máximo do modelo presidencial que agora critica.
A propaganda foi antecipada em primeira mão pelo site Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues. Em determinado instante do filmete (a partir do 5º minuto), em uma espécie de desenho animado, deputados são representados por bonecos recebendo dinheiro em troca de apoio ao governo. Antes, o PSDB remonta ao seu manifesto de criação, em 1988, para lembrar que sempre defendeu o parlamentarismo como sistema de governo. “Pois é. Governos em crise, presidentes sem força para governar e sem apoio popular. Tudo isso está acontecendo agora. Mas tudo isso já é muito antigo também”, diz o roteiro lido por um ator jovem.
Veja o vídeo:




“E onde está o problema? Nas pessoas, apenas? Não existe salvador da pátria. O problema está no sistema, no chamado presidencialismo de coalizão – o que, no Brasil, virou um presidencialismo de cooptação”, completa uma atriz negra, em fala entrecortada com a pergunta “O que é o presidencialismo de cooptação?”.
“Melhor traduzir, né?”, replica a atriz, dando início à animação mostrando deputados recebendo dinheiro – e, neste momento, tendo os olhos transmutados em cifrões.
Revolta de tucanos
O vídeo revoltou um grupo de tucanos influentes, aprofundando uma divisão interna que parece irreversível à medida que a eleição de 2018 se aproxima. Dos quatro ministros no governo Temer – Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Bruno Araújo (Cidades) e Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Luislinda Valois (Direitos Humanos) –, apenas Luislinda ainda não se manifestou contra o vídeo autorizado por Tasso Jereissati. Aloysio Nunes foi o mais enfático e, por meio de redes sociais, afirmou que o programa é “um monumento à inépcia publicitária, e a expressão de uma confusão política”. Já Bruno Araújo postou imagem de sua nota à imprensa no Twitter. Ambos concluem suas manifestações afirmando que a peça veiculada não os representa.
Para Imbassahy, a linha adotada no vídeo ofende o próprio partido e traz colocações rasas e genéricas, sem apontar os “culpados por vícios e mazelas que o programa condenou”. “A linha adotada no programa partidário ofende fortemente o PSDB, colocando o partido numa posição extremamente ruim e desconfortável, como se fosse o culpado por todos os problemas, inclusive aqueles criados por governos do PT, dos quais foi oposição”, reclamou o deputado licenciado.
Reprodução/Twitter
Tasso e Doria se reuniram nesta sexta-feira (18) em São Paulo
Mas a peça já vinha causando desconforto desde que começou a ser anunciada, há cerca de dez dias, com trechos curtos afirmando que “o PSDB errou”, mas sem dizer como. O partido se desentende sobre a permanência na base do governo desde maio, com a revelação das delações da JBS, em que Temer e Aécio, até àquela ocasião presidente da sigla, foram gravados em conversas pouco republicanas. Com as denúncias, Aécio passou a ser investigado no nono inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) e, dada a repercussão negativa, foi afastado do comando tucano.
<<Os áudios  que levaram ao afastamento de Aécio; transcrição detalha pagamento de R$ 2 milhões
Muro
Desde de que 21 deputados tucanos votaram a favor da denúncia por corrupção passiva contra Temer, suspensa enquanto o peemedebista estiver na Presidência da República, cresce entre aliados a pressão para o governo promova uma reforma ministerial e contemple partidos mais fiéis que o PSDB, retirando-lhe as pastas. Em 2 de agosto, quando o parecer de Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) contra a denúncia foi aprovado no plenário da Câmara, 22 deputados tucanos votaram a favor de Temer, evidenciando outro viés do racha na legenda.
Depois das delações do Grupo JBS, que levantaram suspeições de Temer por corrupção passiva, obstrução de Justiça e associação criminosa – estas duas últimas hipóteses ainda sob exame da Procuradoria-Geral da República (PGR) –, o PSDB tem navegado segundo as circunstâncias e na iminência de “fatos novos”, ou seja, do aparecimento de mais denúncias com potencial explosivo contra o Planalto. A expressão tem sido recorrentemente utilizada por caciques do partido para condicionar o desembarque (ou a permanência) da base aliada.
Além daqueles 21 deputados e de Tasso, o também senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), por exemplo, têm defendido o rompimento com o governo, mas mantendo o apoio às reformas por ele patrocinadas. Nesse cenário, e na contramão desse movimento, Aécio se movimenta, mas com outra estratégia. Um dos principais fiadores da parceria com Temer, o tucano tem evitado exposições e aposta na atuação de bastidor para viabilizar a governabilidade e as pautas do Executivo. Ultimamente, depois que foi beneficiado com a permissão para retomar o exercício do mandato, tem se reunido com Temer no Palácio do Planalto e defendido em declarações à imprensa, nessas ocasiões, o programa de reformas do governo.
<<FHC defende atravessar “rio a nado” se pinguela de Temer quebrar; equipe posta #voltaFHC no Facebook
<<Maioria dos deputados do PSDB quer saída imediata do governo

A luz

Ainda bem que tem o sol.