quarta-feira, 5 de julho de 2017

Um a menos nas ruas

Mandante de ataques a prédios públicos no Ceará é preso no interior de São Paulo

O carioca Sandro Cosme Campos (também conhecido como Ceará), 45, foi preso, no último dia 27, em uma ação conjunta da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), do Ceará, com a Polícia Civil do Estado de São Paulo. O criminoso, que morava na cidade de Ribeirão Preto, no interior paulista, foi autuado por associação para o tráfico e tráfico de drogas.
Segundo André Costa, titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), as investigações apontaram que ele foi um dos mandantes de diversos ataques a prédios públicos em municípios cearenses no ano passado.
Tendo atuado como líder, ele tinha poder de decisão sobre as operações. Entre os alvos estão a Câmara Municipal e o Fórum de Sobral, a sede da Guarda Municipal de Fortaleza e a Câmara Municipal de Itapajé, além de delegacias e quartéis da Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado (Sejus). Foram 71 ataques entre março e dezembro de 2016.

O objetivo, conforme divulgado pela Secretaria, é intimidar e servir como uma demonstração de força ao Estado. “Isso nós não vamos admitir de forma alguma, vamos reagir à altura, com a dureza que for necessária”, afirmou André Costa. Ele explicou que se trata de uma intenção semelhante a dos ataques a ônibus presenciados em Fortaleza este ano.
Na prisão de Sandro não consta autuação relacionada aos ataques a prédios públicos devido às investigações ainda estarem em andamento, conforme Harley Filho, titular da Draco. Além dos crimes relacionados ao tráfico apontados no mandado de prisão referente à operação do dia 27, o homem já havia sido preso nos estados de Goiás, Bahia e Piauí por assalto a banco e já tinha passagem pela polícia no Ceará, por uso de documento falso.
Além dos casos de 2016, houve também algumas incidências de ações de organizações criminosas contra o patrimônio público este ano, a maior parte tendo sido ataques a ônibus e delegacias plantonistas (fechadas, durante a madrugada). Segundo o secretário, uma pessoa ligada a essas ocorrências já foi presa, mas não serão divulgadas mais informações sobre essa operação por enquanto, de modo a não prejudicar as investigações. Ele detalhou ainda que esses casos não têm relação com as ofensivas de Sandro.

Prisão
Harley Filho, à frente da operação, foi com dois inspetores à cidade de Ribeirão Preto, onde receberam suporte da Polícia Civil local. Após confirmarem o local em que o carioca se escondia, foi feita uma série de diligências nas proximidades, até que ele foi encontrado pela equipe na rua. Sandro não esboçou reação à abordagem policial.

Havia sido aberto um mandado de prisão contra o criminoso em 2014, quando foi autuado por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Para fugir da força policial no Ceará, mudou-se para o Estado de São Paulo. Após ser capturado, no último dia 27, ele foi transferido para Fortaleza.
Segundo Harley, a equipe de investigação encontrou na casa em que Sandro residia anotações que corroboram sua posição de liderança na facção em que atuava.

Sobre a Draco
A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) foi criada em 2016 com o objetivo de coibir a atuação de grupos criminosos no Ceará. A novidade havia sido anunciada pelo governador Camilo Santana após ataques a prédios públicos em julho, que depois seriam confirmados como parte da atuação de Sandro no Estado. Essa operação é a primeira formalmente apresentada pela Draco, que atualmente trabalha em outras investigações que devem resultar ainda em grandes operações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dura lex sede latex.

Dallagnol virou procurador contra o que diz a lei. E ficou na base da “teoria do fato consumado” O agora coordenador da Força Taref...