terça-feira, 11 de julho de 2017

Coluna do blog


...lá vai flexa!
Janot até que explicou: É comum no Ministério Público a gente usar a expressão que não tem tom de ameaça, advertencia ou vingança. O la vai flexa é só uma expressão corriqueira no MP. Janot tambem explicou a tal estória do fatiamento das acusações ao Interino; São três linhas de investigação; a corrupção, esta que está aí, a obstrução de investigação e a formação de quadrilha. Cada uma tem seu tempo, sua fórmula, sua dinâmica. O MP é profissional, apolítico e extremamente técnico. Essas conversas que descrevemos quer adiantar que acusações a qualquer um, partem de um pressuposto. Ninguém é culpado sem se-lo ou acusado gratuitamente. Se de um lado o bambu vira flexa, de outro não houve vazamentos seletivos. Descobrimos que o colega que botou na rua grande parte das investigações, fe-lo num momento de pura sorte. O site do Supremo, onde correm as investigações teve uma falha de ordem tecnica. O jornalista investigativo estava grudado no assunto e pegou a brecha. Leu tudo, gravou tudo, por obrigação jornalistica soltou o verbo e o verbo se fez...vivo. O momento é dramático para a vida nacional mas a turma da e na interinidade se sustenta no pincel com a escada balançando. O saudoso jornalista Onofre Viana, quando a notícia embatucava e não andava, saia com uma frase  que nem era latim muito menos sua tradução: "Ad reverterun ad locu tum" que quer dizer: "Se não encontrar minha mulher levo a mulher de qualquer um". E quando eu fazia cara feia ele emendava: "Não traduz, mas rima".

A frase: "...fique Temer ou caia Temer, não há o menor risco de que algo se modifique. Do jeito que a coisa vai, não mudam nem as moscas". Brickmann.   



Escondeu, morreu (Nota da foto)
Surpresa no caso Joesley. O TCU decidiu incluí-lo num processo que apura desvios em financiamentos do BNDES à JBS. Acusam o grupo de ter cobrado do BNDES um ágio de R$ 2,50 por ação na compra da Swift – total, cerca de R$ 70 milhões. Em sua delação, Joesley não tocou no assunto. Por omissão pode perder os privilégios que teve.

No quintal de casa
O senhor Eunicio Oliveira, na interinidade, assinou decreto determinando ao Dnocs a realização de todos os procedimentos necessários, incluindo autorização para liberação de recursos, com vistas à conclusão do Açude do Barbosa, no município de Lavras da Mangabeira, terra natal dele.

Rejeito
A tucanagem do bicão anda fula da vida com o Belos Olhos, na presidencia interina do PSDB. Tasso quer sair do governo Interino, mas o peito é mole pra paulista.

Boquinha
Os tucanos têm quatro ministérios no Governo central e isso dá um fogo danado. Quem se locupleta não quer perder a boquinha e assim ficar no peito da interinidade.

Aliás...
O próprio presidente passou na cara dos carinhas: não acredito em posições assumidas coletivamente pelo PSDB; o partido tem quatro minisérios. É toma lá, da cá.

Pobres
Somos pobres mesmo. Não temos um avião que possa servir ao governador do Estado do Ceará em seus deslocamentos. Alugou um de fora.

Da TAM
O jato Citation III WMN que Camilo Santana está voando é da TAM-Taxi Aéreo, que deve ter ganho licitação por WO, na falta de equipamento adequado no Ceará.

Falar nele...
Camilo Santana que tem uma agenda de deixar muita gente tonta, pediu em Brasilia que o açude Fronteiras, no Crateús, seja transferido do DNOCS pro Governo do Estado.

A ligação
Diz Camilo Santana que o Governo dele construindo fará com que as coisas corram muito mais rápido e a região seja logo beneficiada pelas águas do Fronteiras.

Delação cearense
A rádio corredor do judiciário cearense fala num cidadão preso ameaçando a delação de arrumações feitas no Estado. Tem gente demais sendo investigada.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dura lex sede latex.

Dallagnol virou procurador contra o que diz a lei. E ficou na base da “teoria do fato consumado” O agora coordenador da Força Taref...