sábado, 1 de julho de 2017

Boca fedorenta

Proposta de Doria para turismo na seca do nordeste volta a causar polêmica

JB noticiou declarações de prefeito há 30 anos

A notícia de que o então presidente da Embratur João Doria (PSDB) propunha fazer da seca no nordeste uma atração turística voltou a repercutir nas redes sociais, trinta anos depois. 
No dia 1º de julho de 1987, o Jornal do Brasil publicou a fala do agora prefeito de São Paulo: “Os turistas teriam a chance de ver de perto a caatinga nordestina, de travar contato direto com o sertanejo e de conhecer e comprar os produtos do seu artesanato”.
Segundo o JB na época, “Doria Júnior lembrou que algumas agências de viagem fluminenses e paulistas estão promovendo excursões de turistas ao garimpo de Serra Pelada. ‘com muito sucesso’. Por isso, indagou ‘por que, então, não proporcionar ao turista do Sul e Centro-Sul a oportunidade de conhecer os efeitos da seca que de novo se abate sobre o Nordeste?’”
O prefeito de São Paulo também afirmou então, para defender sua proposta, que o governo federal deveria aumentar os investimentos no turismo e reduzir a verba para a irrigação.
JB noticiou declarações de Doria na época
JB noticiou declarações de Doria na época
Doria conseguiu desagradar profundamente os cearenses com suas declarações, realizadas durante um encontro que teve com mais de 100 empresários cearenses e o então governador do Ceará, Tasso Jereissati, agora companheiro de partido, dizendo que a seca poderia ser um ponto de atração turística no Nordeste.
O próprio ministro do Interior de Sarney em 1987, João Francisco Cavalcante, foi um dos nordestinos irritados com as declarações do atual prefeito de São Paulo. Um dia após a declaração de Doria, Cavalcante disse que, como nordestino, não poderia concordar que se transformasse um problema como a seca em atração turística. Ele acrescentou que preferia "imaginar que essas declarações não existiram", de acordo com a imprensa da época.
Na época, o JB também ressaltou as declarações da radialista Adísia Sá. Então responsável por um dos programas de maior audiência de Fortaleza, o Debate do Povo, ela prometeu “receber a primeira agência de viagens que chegar com uma excursão para visitar a seca liderando uma multidão para vaiar e fazê-la voltar”. Ela concluiu o programa chamando Doria de “dândi do society transplantado para a vida pública”.
A proposta do agora prefeito da maior cidade brasileira foi feita em 30 de junho de 1987, durante uma viagem de Doria a Fortaleza, em um período em que a região enfrentava uma dura estiagem, que motivou até uma CPI no Congresso sobre o tema. Na época, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) cumpria o papel atualmente exercido pelo Ministério do Turismo.
“A Caatinga nordestina poderia ser um ponto de visitação turística e gerar uma fonte de renda para a população sofrida da área, respeitando as características culturais e humanas da população, sem exploração da miséria”, publicou a imprensa, em 1987.
De acordo com a publicação na época, Doria justificou a proposta afirmando que os brasileiros tinham o direito de conhecer “a riqueza e a pobreza do Brasil”. Ele também afirmara que a indústria do turismo era mais eficiente em comparação com as obras de irrigação no Nordeste.
O jornalista e professor Nilson Lage publicou no Facebook uma matéria da época, com a legenda "pensava isso quando tinha 30 anos. Hoje pensa o dobro." Vários veículos jornalísticos também relembraram a história, que ressurgiu nesta semana.
João Doria se defendeu nesta sexta-feira (30), através da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo, alegando que na época as declarações sobre turismo na seca foram desvirtuadas. 

Penso eu - Sempre achei esse tucaninho  um bosta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cale a boca!

"Este governo não mente". Fala do Interino.