quarta-feira, 7 de junho de 2017

Agora é tarde; Inês é morta.

Discurso do Padre Lancelotti...

Isso não vai estar na Globo, não vai sair no jornal, mas é a mensagem dos bispos do Brasil encorajando a luta pelos direitos. 

Que não se tire dos trabalhadores aquilo que conquistaram sem uma ampla discussão.
Eu perguntaria: Alguém aqui confia no Congresso Nacional? Alguém confia naquela turma que está lá? Que eles vão fazer o que é bom para os pobres e para os trabalhadores? Eles não querem discutir a aposentadoria deles. Tem que começar por eles, pelos juízes, pelos promotores, todos aqueles que têm o salário acima do teto de R$ 33 mil, R$ 37 mil. Um desembargador que recebe R$ 600 mil, R$ 300 mil de salário. Enquanto os aposentados não têm dinheiro para comprar remédio! E não tem remédio no posto de saúde, na unidade básica de saúde. As que são pensionistas, pior ainda! É menos do que a necessidade básica de uma pessoa. E isso tem que ser discutido com a nação, com o povo. Não pode um grupo que está lá, que usurpou.. a maior parte dos deputados que estão lá não foram eleitos pelos seus votos, foram pelo coeficiente eleitoral. Eles entram na carona dos outros. Um que leva muito voto carrega cinco, seis com ele. E eles vão lá discutir e decidir sabendo que o nosso povo não confia neles mais. Eles não têm autoridade moral nenhuma para discutir a vida do povo. ninguém mais aceita. Alguém diz: eu confio neles? Ninguém confia mais. Isso que os bispos pedem, que isso seja discutido amplamente, e que as pessoas participem dessa discussão. Tem que reunir com o povo. Por que que alguns são privilegiados e têm aposentadorias privilegiadas? Militares, juízes, desembargadores... enquanto que o varredor de rua vai ter uma aposentadoria para que ele morra o quanto antes. Ou o que trabalha no duro, do trabalho pesado, esse não é levado em conta, não é levado em consideração. Essa é a palavra dos bispos. Com certeza isso não vai sair na Rede Globo, não vai sair em nenhum jornal, ninguém vai comentar que os bispos do Brasil pediram nesse momento. E não só da Igreja Católica. Várias igrejas estão pedindo isso. Os bispos católicos pedem, mas também os anglicanos, os metodistas, os luteranos, todas essas igrejas históricas que são comprometidas com o povo. Não comprometidas em espoliar o povo, como alguns que querem explorar. E que fazem um populismo num momento difícil como esse defendendo coisas que não vão a violência, como a pena de morte, rebaixamento da maioridade penal, a discriminação, o preconceito, um machismo e uma homofobia que destróem a vida do nosso povo. Então nós temos que buscar nessa caminhada, nesse momento di fícil que estamos vivendo, que nós estamos vivendo esse momento. Se vivemos esse momento calados, a história vai cobrar de nós. Por respeito aos nosso idosos e por respeito às crianças a quem nós vamos deixar uma legislação duríssima. O que que o Estado está fazendo? Se retirando da mediação entre o capital e o trabalho, e favorecendo o capital, favorecendo o mercado. Isto é: os grandes sempre são favorecidos em detrimento dos pequenos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Evangelho

Sexta-feira, 13 de Outubro de 2017. Santo do dia:  São Venâncio de Tours, abade Cor litúrgica: verde Evangelho do dia: São Lucas 11, 15...