segunda-feira, 29 de maio de 2017

Coluna do blog



A ideia é...fazer uma “dê erre”
Como a solução para a crise passa pela eleição indireta, cúpulas de PT e PSDB procuram o nome que gere menos resistências nos partidos. Entretanto, um assessor do Planalto foi preso. Os dois mais populares presidentes do Brasil desde a redemocratização de 1985 procuram canais de diálogo para resolver a crise gerada pela delação dos donos da empresa JBS. Fernando Henrique Cardoso (PSDB), chefe de Estado de 1995 a 2002, e Lula da Silva (PT), inquilino do Palácio do Planalto entre 2003 e 2010, estão dispostos a encontrar uma solução para o vácuo que a queda do governo de Michel Temer (PMDB), cada vez mais provável, provocará. Como o cenário de eleições diretas parece distante, deverão ser os 594 congressistas a eleger o sucessor de Temer - e, nesse caso, as principais forças políticas estão decididas a escolher o nome mais consensual possível até para não deixar que o poder judicial tome as rédeas do processo. "A escolha tem de ser pela política, o poder judicial, por mais legítimo que seja, não apresentará uma saída para o Brasil, o Ministério Público também não, quem acaba uma guerra é a diplomacia, não são os militares", disse o governador da Bahia, Rui Costa (PT), ao jornal O Estado de S. Paulo depois de uma reunião das cúpulas do PT, com Lula da Silva, Dilma Rousseff, governadores e senadores do partido. Costa admitiu que, paralelamente, tem discutido o assunto com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, porque, apesar de pertencer ao concorrente PSDB, os dois têm "interesses comuns, sem tensões, nem desgastes". E acrescentou que FHC, como é conhecido Fernando Henrique Cardoso no Brasil, será muito bem-vindo às negociações. FHC e Lula aproximaram-se em fevereiro no velório de Marisa Letícia, a mulher do ex-sindicalista, e combinaram encontrar-se caso sentissem necessidade. E como, face à Constituição e à celeridade que o processo da provável substituição de Temer impõe, o cenário de eleições diretas está para já distante, caberá aos partidos no Congresso Nacional encontrar uma solução. O PSDB, liderado pelo senador Tasso Jereissati após o afastamento de Aécio Neves, outra baixa das delações da JBS, definiu um perfil pós-Temer: alguém filiado a um partido e sem envolvimento na Lava-Jato. Por não ter partido, Carmen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal, não perfaz essas condições. Por ser citado na Lava-Jato, Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados, também não. Sobram o tecnicamente elogiado ministro das Finanças Henrique Meirelles (PSD), tolerado tanto por FHC como por Lula da Silva, de quem foi presidente do Banco Central; e Nelson Jobim, que é militante do PMDB de Temer mas fez parte dos governos liderados pelo PSDB, como ministro da Justiça, e PT, como ministro da Defesa, além de ter sido juiz do Supremo Tribunal.
A frase: “Quem se empenha em fazer sucessor quer suceder a ele.” ― Carlos Ayres Britto

Aecinho derreteu-se em lágrimas [nota da foto[
Semanas antes de ser afastado do cargo de senador, Aécio Neves, do PSDB de Minas Gerais, chorou na casa do presidente do senado, Eunicio Oliveira, do PMDB do Ceará. O tucano já era investigado em cinco inquéritos da Lava a Jato, diz a Mônica, Bérgamo.

O valor do servidor
O Plenário da Assembleia do Ceará aprovou  uma PEC do Poder Executivo, de nº 06/17, oriunda da mensagem nº 8.129/17, que estabelece como teto remuneratório único dos servidores dos três poderes do Estado o equivalente a 90,25% do subsídio mensal dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

As contas de Camilo
O Tribunal de Contas do Estado vai realizar hoje, segunda-feira (29/5), às 15 horas, sessão extraordinária para apreciação do Parecer Prévio das Contas do Governador – exercício 2016.

Patrícia apresentará
Os dados consolidados serão apresentados pela conselheira Patrícia Saboya, após análise do relatório técnico elaborado pela Gerência de Contas e do parecer ministerial.

Alta
Depois da delicada cirurgia de coluna a que se submeteu, Aníbal Gomes não poderá viajar de avião, pelo menos até o dia 10 de junho, quando seu médico fará uma avaliação final.

Doido,o cacete
Outro Batista entra na lista dos odiados pelo povo; o David Batista foi à igreja de São Benedito, em Fortaleza e quebrou várias imagens raras. Além de processo cai em desgraça com os santos.

Quem vazou?
Sempre responsável com a Constituição, a Polícia Federal jura que não divulgou o áudio da conversa do jornalista Reinaldo Azevedo com a irmã do Aécio Neves, uma fonte. A PGR também nega que tenha quebrado o sagrado direito do sigilo à fonte. Então quem fez a caca?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fiado só amanhã, diz PR ao Interino

PR dará menos votos a favor de Temer na segunda denúncia, diz líder  Por Marcelo Ribeiro | Valor Ruy Baron/Valor-4/10/17  BRASÍLIA - A...