sexta-feira, 17 de março de 2017

Tem quem comemore

Pinto Martins arrematado por R$ 425 milhões

O Aeroporto Internacional Pinto Martins foi arrematado, ontem, pelo grupo alemão Fraport AG Frankfurt Airport Services por R$ 425 milhões, com ágio de 18,5% sobre o lance mínimo de R$ 360 mi. Com isso, o valor da outorga ficou em R$ 1,5 bilhão para o terminal de passageiros de Fortaleza. O mesmo grupo internacional, que administra diversos aeroportos na Europa e nos Estados Unidos (EUA), também arrematou, por R$ 290,5 milhões (ágio de 852,12%), o Aeroporto Internacional Salgado Filho, de Porto Alegre. Já o terminal aeroviário de Salvador foi arrematado pela francesa Vici Airports, por R$ 660,9 milhões (ágio de 113%), enquanto o de Florianópolis ficou com a suíça Zurich International Airport AG, por R$ 83,3 milhões (ágio de 58%).
Com o leilão dos quatro aeroportos, realizado na manhã de ontem na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o Governo Federal vai receber R$ 1,46 bilhão dos lances mínimos, valor que terá de ser pago à vista, no momento da assinatura dos contratos. Além disso, garantiu uma arrecadação de R$ 3,72 bilhões durante o período da concessão, o que representa um ágio aproximado de 23%. A expectativa inicial era arrecadar R$ 3 bi com as outorgas dos referidos equipamentos. Os prazos de concessão serão de 25 anos, prorrogáveis por mais cinco, para o terminal de Porto Alegre e de 30 anos, também prorrogáveis por mais cinco, para os outros três aeroportos. Os valores das outorgas ficaram em R$ 1,59 bilhão para Salvador, R$ 382 milhões para Porto Alegre e R$ 241 milhões para Florianópolis.
Grande teste
O evento marcou a abertura da primeira rodada de concessões do governo de Michel Temer e funciona como um grande teste para o modelo de privatizações do Governo Federal, que esticou prazos para análise dos projetos, mudou a forma de pagamento das outorgas e criou uma espécie de “seguro cambial” para evitar perdas com desvalorização do real. Nos últimos dias, alguns grupos anunciaram suas desistências em participar do leilão. Outros, como a italiana AB Concessões, também chegaram a estudar a possibilidade, mas declinaram. A avaliação de que o modelo contemplava um crescimento da economia e da demanda fora da realidade, foi uma das razões que os desmotivaram. Diferentemente das rodadas anteriores, o leilão atual não trouxe mais a Infraero como sócia majoritária, o que muda a governança das futuras concessionárias.
A forte presença de estrangeiros entre os competidores deste novo leilão é um resquício da Operação Lava Jato, porque a maioria das grandes construtoras nacionais, que dominava as rodadas anteriores está, atualmente, envolvida nas investigações e tem problemas para gerir as atuais concessões. Apesar disso, o presidente Temer afirmou que, com o leilão dos quatro aeródromos com ágio, mostra que o Brasil recuperou a credibilidade junto ao mercado internacional. O governador Camilo Santana esteve presente ao leilão. “Fiquei muito feliz de participar deste momento, que vai marcar o futuro, não só do aeroporto de Fortaleza, mas do Estado. O aeroporto receberá investimentos e vai se modernizar, oferecer mais conforto. Vai passar pela ampliação da sua área. Tudo isso é fundamental para a nossa disputa pelo hub da Latam no Nordeste. Isso era uma das condições que nos favorecia para a disputa e hoje (ontem) conseguimos concluir, após praticamente dois anos, com esse leilão”, afirmou Camilo.
Empresários creem em hub
O presidente do Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE), engenheiro André Montenegro, achou o resultado do leilão muito importante, “Foi muito positivo a concessão do Pinto Martins para o Fraport AG Frankfurt Airport Services, pois mostra que nosso aeroporto é viável e atraiu um grande grupo europeu, que opera o Aeroporto de Frankfurt, que é espetacular, um dos maiores do velho continente. Isso deverá facilitar a vinda do hub da Latam para o Ceará, pois demonstra uma confiança do mercado internacional”, asseverou.
Para o empresário Manoel Cardoso Linhares, presidente do Sindihotéis-CE, e vice-presidente da Abih-Nacional, o arremate do nosso aeroporto por um grande grupo da Alemanha, representará uma transformação no turismo no Estado. “Tivemos a grande oportunidade de o nosso aeroporto ser arrematado por um grande grupo alemão, que é sério, forte e representa a retomada da credibilidade internacional. Com essa concessão, cresce a possibilidade do Ceará sediar o hub da Latam, que representa o resgate do turismo cearense, pois movimenta diversos setores da nossa economia, e não apenas hotelaria, gastronomia, passagens aéreas e taxistas”, destacou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Está muito dificil...

Operação "caça-reitor" Dalmo de Abreu Dallari De uns tempos para cá entrou na moda a designação de uma investida de or...