quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A luta pelas comissões

Falta de acordo na AL atrasa composição das comissões

Mesmo que os trabalhos na Assembleia Legislativa cearense tenham recomeçado no início de fevereiro, às comissões parlamentares permanentes ainda não retomaram suas atividades. Até o momento, nenhum nome foi anunciado oficialmente para assumir a presidência dos colegiados. O presidente da Casa, deputado Zezinho Albuquerque (PDT), anunciou ontem, em entrevista à imprensa, que deve apresentar os nomes escolhidos até amanhã.
A quantidade de presidências de comissões, a que cada partido com assento na AL tem direito, é definida proporcionalmente ao tamanho dos blocos partidários, o que contempla todas as forças políticas do legislativo estadual. Os acordos, segundo admitiu Zezinho Albuquerque, para o comando das comissões ainda estão sendo formalizados e devem ser finalizados nos próximos dias. “São só 18 comissões e todo mundo querendo participar. Ruim seria se ninguém quisesse participar. Mas, está tranquilo. Quero ver se anuncio na quinta-feira”, frisou o pedetista.
A formação, por sua vez, provoca expectativa justamente porque a Assembleia possui matérias prioritárias por parte do Governo para serem analisadas, dentre elas a reforma administrativa e a equiparação dos salários dos policiais à média do Nordeste.
Nos bastidores, alguns nomes, no entanto, já estão definidos. Caso do deputado Antônio Granja (PDT), que deverá ser mantido à frente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A deputada Bethrose (PMB) já confidenciou a correligionários que deverá continuar à frente da comissão da Infância e Adolescência.
No caso da saúde, chamou atenção a fala da deputada Silvana (PMDB) na semana passada. Durante sessão plenária da AL, a peemedebista manifestou desejo de presidir a comissão de Seguridade Social e Saúde da Casa, que, segundo ele, é o que mais se alinha ao seu perfil, admitindo, no entanto, já ter sido sondada para desistir da pretensão. No biênio passado, a comissão pertencia ao bloco do PMDB sob o comando do deputado Carlomano Marques, que renunciou ao mandato para assumir a Prefeitura de Pacatuba. Silvana, porém, presidiu a Comissão de Meio Ambiente até o início deste ano.
Câmara
Enquanto isso, as comissões permanentes da Câmara Municipal de Fortaleza começaram a trabalhar em ritmo acelerado. Ontem, o vereador Acrísio Sena (PT) assumiu a presidência da Comissão de Desenvolvimento Urbano, Habitação, Meio Ambiente, Viação e Transporte da Casa e já anunciou a primeira atividade do colegiado: a realização de uma audiência pública para discutir superlotação nos cemitérios de Fortaleza.
“Os cemitérios públicos de nossa cidade estão superlotados e precisamos buscar saídas urgentes para atender adequadamente à população e não causar problemas ao meio ambiente”, explicou o parlamentar. Dentre os pontos a serem debatidos, a construção de um crematório municipal e cemitérios verticais. “São alternativas que economizam espaço e ecologicamente sustentáveis, desde que haja anuência da família e um aprofundado estudo de impacto ambiental”, avaliou o petista.
O vice-presidente será o vereador Benigno Júnior (PSD). Os demais componentes são os parlamentares Ésio Feitosa (PPL), Evaldo Costa (PRB), Marcelo Lemos (PSL), Raimundo Filho (PRTB) e Eliana Goes (PCdoB). As reuniões ordinárias da comissão serão às terças-feiras, às 15 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem impede um governador do Piauí?

Governador faz pouso irregular em inauguração de aeródromo em São João do Piauí Foto: Divulgação A agencia Nacional de Aviação Civil n...