sexta-feira, 11 de novembro de 2016

COluna do blog


O que pode Trump fazer na Economia?
Atlanta(Geórgia-EUA) 12  graus  - Muitas das promessas econômicas de Donald Trump exigem cooperação com o Congresso e o Supremo Tribunal. Construir um muro na fronteira com o México e reduzir impostos para os mais ricos são promessas eleitorais de Donald Trump que exigem prévia cooperação com outros órgãos de soberania para serem implementadas. O mesmo será exigido no chumbo do plano de Obama, que permitiu deu a milhões de americanos ter acesso a seguros de saúde, entre outras matérias que exigem concertação com o Congresso - Senado e Câmara dos Representantes, ambos controlados pelos republicanos - e o Supremo Tribunal. Segundo um trabalho publicado na edição de setembro da revista New Yorker, sobre o que poderia Donald Trump fazer no domínio da economia caso fosse eleito presidente dos EUA, o poder executivo não lhe permitiria implementar muitas das promessas feitas. Contudo, as fontes ouvidas pela New Yorker admitiam que Donald Trump usasse os seus poderes executivos para cancelar as negociações sobre o Acordo de Livre Comércio Transpacífica, desregular os preços da energia ou agravar as tensões comerciais com Pequim.

A frase: "Não sei como seguimos em frente a partir daqui. É a América um Estado e uma sociedade falhados? Parece verdadeiramente possível.""Muito provavelmente estamos a encarar uma recessão global, sem fim à vista. Suponho que de qualquer modo podemos ter sorte. Mas na Economia, como em tudo o resto, algo terrível acabou de acontecer.": "Provavelmente estamos a encarar uma recessão global". Paul Krugman, Nobel de Economia.



Uma reunião, urgente (Nota da foto)
Os presidentes da Comissão Europeia e do Conselho Europeu, Jean-Claude Juncker e Donald Tusk, endereçaram uma carta ao presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, solicitando a realização de uma cimeira UE-EUA o quanto antes. Juncker e Tusk referem algumas das questões que preocupam as lideranças dos dois lados do Atlantico. Combate ao Estado Islâmico, o conflito na Ucrânia, as alterações climáticas ou a crise dos migrantes e refugiados são alguns dos exemplos dados. O mundo inteiro com medo do cara.

Porco-chauvinista
O vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, considerou que a vitória de Donald Trump nos EUA é um aviso para a Alemanha e para a Europa. "Trump é o pioneiro de um novo movimento autoritário e chauvinista", declarou o também líder do SPD ao jornal 'Funke Mediengruppe'.

Otam: Liderança americana é "mais importante do que nunca"
O secretário-geral da Otam felicitou hoje o presidente eleito norte-americano, Donald Trump, com quem espera encontrar-se "em breve" para discutir a cooperação futura.Numa declaração divulgada em Bruxelas, sede do quartel-general da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg sublinha que no "novo ambiente de segurança, que inclui guerra híbrida, ciberataques e a ameaça do terrorismo", a liderança dos Estados Unidos "é mais importante que nunca", mas sustenta também que "uma NATO forte é boa para os Estados Unidos".

Melania Trump:fora de casa
Melania Trump é a segunda primeira dama nascida fora dos EUA, na Eslovénia, em 1970. A primeira foi Louisa Adams, que nasceu no Reino Unido, em 1775. Era a mulher de John Quincy Adams, que foi o sexto presidente dos EUA entre 1825 e 1829.

Extrema-direita europeia festeja vitória de Trump
Além de Marine Le Pen, a presidente da francesa Frente Nacional, uma das primeiras figuras a felicitar Donald Trump, também o seu pai, Jean-Marie Le Pen, afirmou: "Hoje são os Estados Unidos, amanhã é a França!"

Na Alemanha
A vice-presidente do partido anti-imigração Alternativa para Alemanha, Beatrix von Storch, declarou: "A vitória de Donald Trump é um sinal de que os cidadãos do mundo ocidental querem uma clara mudança na orientação política."

Na Itália
O líder do partido italiano xenófobo Matteo Salvini disse que a vitória do republicano Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos significa a "vingança do povo" contra os banqueiros, os especulados, as sondagens e os jornalistas.

Absurdo
Sabe quanto um botequim está cobrando por uma empadinha de palmito no aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza? R$14,00. É mole ou quer mais?

Cadê a atenção
O Ministério Público é tão atento à roubalheira contra o povo e não toma um rumo nessa história do aeroporto de Fortaleza. Hora estacionada R$14,00,coincidindo com o preço de uma empadinha.



Nenhum comentário:

Postar um comentário