sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Greve no IFCE

Servidores do IFCE estão em estado de greve e realizarão na quinta-feira, 10/11, dia de mobilização nos campi de todo o Ceará

Os servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), atualmente em estado de greve, realizam na próxima quinta-feira, 10/11, um dia de mobilização, em Fortaleza e nos diversos campi em todo o Ceará cujos trabalhadores são filiados ao Sindicato dos Servidores (SINDSIFCE). A mobilização reforça a luta contra a PEC 241 (agora PEC 55, no Senado)  e o conjunto dos ataques do Governo Federal à educação, aos serviços públicos, aos investimentos sociais e à população.

Na quinta-feira, 10/11, os servidores de cada campus realizarão suas próprias atividades de mobilização, que podem ter diversas naturezas, como debates, palestras, atos públicos, elaboração de cartazes, visitas a emissoras de rádio, visitas ao campus de setor em setor, entre outras, de acordo com as características e a realidade de cada unidade. A Diretoria Colegiada do Sindicato ressalta que essas e outras ações reforçarão a luta dos servidores e ampliarão o movimento com a comunidade acadêmica e a sociedade em geral.

Além do dia de mobilização, na quinta-feira, 10/11, em todos os campi, também será anunciada em breve uma manifestação específica para o Campus Fortaleza, reforçando a mobilização contra as medidas do Governo Temer, reunindo várias entidades. Em breve o SINDSIFCE informará mais detalhes sobre esse ato, que está em processo de construção, com ampla participação de diversas entidades, como Adufc Sindicato, Sinduece, Sindunilab, Coletivo Graúna, Sintufce, entre outras, cujos representantes vêm se reunindo periodicamente desde outubro, traçando ações coletivas na luta em defesa da educação.

PEC 55: efeitos nefastos

O movimento dos servidores do IFCE denuncia os efeitos nefastos da PEC 55 (ex-PEC 241), medida que causa preocupação à comunidade acadêmica e à sociedade em geral, dada a possibilidade de congelamento dos investimentos sociais do Governo Federal por 20 anos, inclusive em Saúde, Educação e Assistência Social.  
Conforme vem alertando o Sindicato dos Servidores, serão catastróficas as consequências caso o País passe 20 anos sem ampliar seu investimento em Educação, assim como será em outros setores.  Várias gerações sofrerão com a medida, com milhões de brasileiros deixando de ter acesso à Educação pública. Aqueles que conseguirem acesso, também terão limitações quanto à permanência e à qualidade da Educação ofertada.

Além da PEC 55/241, os servidores lutam contra o Projeto Escola Sem Partido, o Projeto de Lei 204, a Medida Provisória 746 (Reforma do Ensino Médio), o PL 54/2016 (257), a Reforma da Previdência e a Reforma Trabalhista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário