sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Opinião

Violência
A violência, em todas as suas formas( física, ética, cultural, política, etc) tem se constituído no principal problema da humanidade. "Ahimsa" é um termo sânscrito, língua clássica da Índia, onde se busca a verdade ("Satyagraha") mediante a não violência. O principal ensinamento de Mahatma Gandhi foi o ativismo pacífico; não confundir com passividade. A filosofia gandhiana, além de rejeitar a violência, evidencia respeito total à vida. Ele lutou para combater o mal com o bem, chegando a amar aqueles que o odiavam. Por sua vez, lamentavelmente, muitas vezes, as sociedades organizadas não abrem mão dos seus pseudo-direitos, motivando o egoísmo e, em consequência, gerando a violência. Alguns estudiosos admitem que o contrário do direito é a justiça. Cícero; político, jurista e filósofo, salientou: Summum jus - summa injuria (o supremo direito é a suprema injustiça). Aquele que reclama todos os seus direitos pessoais pode ser considerado um egoísta, um violento; porém aquele que busca a justiça sempre atua em nome do amor, da solidariedade, da não ambição e, consequentemente, de Deus. Procuremos ter o Sermão da Montanha como ponto fundamental da harmonia espiritual, pois dá ênfase ao primeiro mandamento (o amor de Deus), mediante a fé, e ao segundo (o amor ao próximo), através da ética. Conforme Gandhi, "Se se perdessem todos os livros sacros da humanidade, e só se salvasse o Sermão da Montanha, nada estaria perdido”. Por fim, sendo o direito, às vezes, de natureza violenta e a justiça de caráter não violento, somos levados a imaginar e debater um novo modelo político para os Estados: ao invés do Estado Democrático de Direito; o Estado Democrático de Justiça.
Gonzaga Mota
Professor aposentado da UFC Ex Governador do Ceará e meu amigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário