terça-feira, 18 de outubro de 2016

Coluna do blog



 Um grito parado no ar
- Macário, você vai comigo até a ONU pra gente denunciar esses cárceres em delegacias no Ceará. Isso é um horror. Essa conversa foi início de vários encontros promovidos com a intermediação da psicanalista Rossana  Kopf, com a promotora de Justiça Fernanda Marinho, a quem carinhosa e respeitosamente chamamos de Fernandona, por seu tamanho e voz rouca de coragem e lucidez. Isso tem uns cinco anos. Fernanda defende há tempos que acabem com essa coisa de cárceres em delegacias e dá lá um mundaréu de motivos, dentre os quais de que delegacia não é lugar de preso e que policial é pra fazer outro tipo de trabalho e não ficar fazendo sala pra vagabundo, criminoso, assassino, fora da lei. Virou céus e terras. Botou nas mãos do irmão João Jaime,deputado estadual, um discurso sério e coerente. E o discurso do irmão repercutiu nos aliados dele e até nos adversários. Fernanda Marinho sempre teve razão. Lugar de preso é no presídio, não numa delegacia de polícia. Delegacia de polícia não é presídio nem pode ter cárcere pra ficar guardando esse tipo de mal feitor. De tanto falar, Fernanda que já tem a voz rouca, foi ficando com a voz afiada no assunto que domina e na tese que defende. De repente silenciou. Pareceu  dizer: vou dar um tempo. Depois volto pra fazer uma DR. O tempo, senhor da história e da verdade foi aliado de Fernanda. Fugas, agressões, atrevimentos inimagináveis ocorreram nos últimos dias como que a provar que Fernanda sempre teve razão. Aí, a Justiça, a Polícia, a Segurança entenderam que tinha mesmo que mandar presos pra presídios e fechar grades facilmente serradas pela bandidagem. Resgate de presos, agressões a pessoas buscando os serviços da Polícia,  tornaram mais evidente  que Fernanda Marinho, promotora de Justiça estava certa na sua caminhada. Foi preciso outra vez o brasileiro ser roubado pra  fechar a porta. Ê povim!

A frase: Convicções arraigadas, quando não nascem da informação, da razão, do conhecimento, costumam ser fruto do ódio, do preconceito e da ignorância.” Tem gente pensando.


Ailton, prefeito (Nota da foto)
O deputado Zé Ailton, prefeito eleito do Crato conta uma história de crença quando fala de sua candidatura e eleição. E ri: Mais feliz que eu deve estar meu suplente que não larga meu gabinete da Assembleia pra saber se estou bem. Como bom cratense é chegada a uma pinguinha do sítio do Brigadeiro. E não dispensa o agradecimento a Cid e Camilo, pra ele decisivos na campanha vitoriosa.

Salmito lançado
Quando amigos comemoravam o aniversário de Salmito Filho, atual presidente da Câmara de Fortaleza, alguém lançou: Salmito2020. O substituto ideal de Roberto Claudio. Se  RC for reeleito. Sociólogo, Salmito sabe “ler e escrever”.

Desembarque
O Interino desembarca hoje no Japão. Em 2015 as exportações do Brasil para o País cairam 27,9%. A importações do Brasil desde o Japão so foram em 17,1%. O momento é delicado entre as nações.

Sem intermediário
O  povo de Catolé do Rocha, na Paraíba, elegeu vereador um presidiário. Para os padrões brasileiros atuais isso é bom. O cara já vem ao mundo político na prisão, sem precisar de outro julgamento.

Desencontros
O Ministério Público Federal (MPF) quer o acolhimento de denúncia contra Francisco Edson de Moraes, ex-prefeito de Ibaretama, no Ceará, pela não prestação de contas das verbas federais repassadas ao município por meio do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE).

Instância acima
O órgão recorreu ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região depois que a Justiça Federal do Ceará rejeitou a denúncia alegando ausência de justa causa. Pelo visto tem desentendimentos dentro de casa.

A diferença
Heitor Férrer disse, no Comitê de Imprensa da Assembleia do Ceará que estava neutro no segundo turno da eleição pra prefeito de Fortaleza. O partido dele disse que apoiava Roberto Claudio. Se os eleitores de Heitor não votarem em nenhum dos dois;já eram.

Querem morder o Leão
O Porjeto de Lei 5864/2016, considerado pelos auditores discais da Receita prejudicial à categoria, deve ser votado hoje, terça-feira (18), em uma comissão especial no Congresso Nacional.

Bulindo na vaidade
Entre as mudanças que o projeto propõe está a que compartilha o reconhecimento da autoridade administrativa, tributária e aduaneira da União dos auditores fiscais com os analistas tributários. Para o Sindifisco,  mexem na carreira e desestruturam a Receita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário