sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Opinião

G-20
Nesta semana estiveram reunidos na China o grupo formado pelos 20 países mais ricos do mundo. Tomamos conhecimento, através da imprensa, que os debates e as propostas apresentadas visaram alcançar melhores dias para a comunidade internacional, pois os problemas são vários e significativos. A ganância de determinados países motiva uma desconfiança que prejudica o entendimento, de um lado, e gera desigualdades e desequilíbrios políticos, econômicos, sociais e culturais, de outro. Nessa linha de raciocínio, surgem a exploração desordenada dos recursos naturais não renováveis, a miséria crescente de milhões de pessoas, a corrida armamentista, a falta de solidariedade humana, a ausência de uma paz estável, dentre outros problemas. O radicalismo tem influenciado de forma negativa as alterações de comportamento e de organização social.  Crises, desemprego, miséria e violência decorrem de movimentos radicais que não buscam soluções, mas modelos errôneos do ponto de vista político. Segundo Shakespeare, “A politica está acima da consciência”. A hipocrisia é a chaga maior dessa atividade. Os países precisam de caminhos pavimentados pela crença e pela largueza de propósitos, observando-se, acima de tudo, os verdadeiros interesses das populações. A coerência programática, baseada na justiça democrática e em princípios éticos e morais, é o único remédio capaz de combater, atualmente, os conflitos e desencontros da sociedade mundial. Este será o roteiro do desenvolvimento equilibrado, com investimentos produtivos e distribuição de renda, ou seja, a partição de todos na riqueza das nações, o verdadeiro progresso da humanidade.
Gonzaga Mota
Professor aposentado da UFCE
Ex Governador do Ceará e meu amigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EDUCAÇÃO EM CAUCAIA

Capacitação: Prefeitura entrega Centro de Formação para profissionais da Educação   ​ O prefeito Naumi Amorim inaugurou na tarde dest...