sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Coluna do blog




É véspera de eleição no Brasil
“O Brasil caiu na clandestinidade e a disputa por poder não tem limites, nem constitucionais, nem de protocolos de acordos, nem de projetos administrativos. Os bocados de poder são apropriados e mantidos aos berros, enquanto outro berrante não prevaleça sobre os bezerros. O Ministro da Justiça distribui filipeta de candidato a vereador, é desautorizado por delegados e fica por isso mesmo; procuradores dão espetáculo de ignorância, afetação e desonestidade intelectual, recebendo aplauso de juízes, estes, defensores da tese fascista de que é democrático normalizar a exceção. Promovem desnecessários espetáculos de prisões preventivas, algumas talvez justas, para acobertar arbitrariedades sem conta convertidas em técnica de chantagem. Ministros do Supremo agridem colegas pelos jornais, algo que só faziam durante as sessões da Corte. Tudo diariamente registrado nos jornais; não há pudor nem temor de reação. Ninguém da direita reage a ninguém da direita, ainda não entenderam? Os brutamontes atuais, no Executivo, Legislativo e Judiciário só entendem a linguagem da brutalidade, o resto é lantejoula. Os ativistas da reação precisam sentir medo. Tergiversar é subterfúgio de colaboradores”. O texto entre aspas é do famoso professor Wanderley Guilherme dos Santos. Então, Wanderley retrata o Brasil das grandes cidades, dos grandes auditórios, dos formais salões do Executivo,do Legislativo e do Judiciário, mas esqueceu de lembrar que o mesmo, “imprialzim” ocorre na roça, no menor e mais desimportante município brasileiro, onde imperam o fora da lei e a desordem. Vale quanto pesa daí o titulo do artigo do Professor: O BRASIL DOS BRUTAMONTES.

A frase: “Viver é muito perigoso: sempre acaba em morte.” Diadorin.



Deu certo(Nota da foto)
Francisco Teixeira, secretário de Recursos Hídricos afirmou ja estar surtindo efeito o plano de segurança hídrica desenvolvido pelo Governo para garantir o abastecimento de água no Estado. Por isso, ele assegura, o Ceará está cumprindo as metas que garantem reservas suficientes até meados de abril de 2017. O Estado, então, fica esperando as chuvas do começo do ano para evitar “medidas mais drásticas”, como o racionamento.

Nojeira
Ta de fazer pena o recém inaugurado e bonito mercado do peixe na Beira Mar, em Fortaleza. Imundo, mal cheiroso e caríssimo.

Pior
Como soe acontecer com equipamentos públicos em Fortaleza, imediatamente após a inauguração a parte de trás do mercado virou um conjunto de botequins de terceira.

Tem de tudo
Desde ponto de prostituição à cata de turista do ramo, até comida duvidosa, os botequins no fundo do mercado dos peixes mostra bem como ninguém liga pra nada.

Leite de jumenta
Ao invés de soltar os bichos à margem das rodovias, empresários do Pernambuco estão alimentando e fazendo ordenha nas jumentas da região.

Fortuna
Um quilo de queijo PULE, iguaria que chega aR$3mil reais o quilo na China, é feito de leite de jumenta, que por sinal é doce e forte.

Teje solto
Desde que você não faça nenhuma besteira grande, não pode ser preso até o dia 4 de outubro. É Lei que, de 27 de novembro a 2 de outubro ninguém seja preso.

Besteira muita
Aliás, isso hoje em dia é uma grande bobagem da legislação eleitoral. Ora, se preso vota, ex-presidiário vai pra televisão pedir voto, inclusive pra si, esperar o quê?

Voto útil
Eleitor não vota em perdedor. Eleitor vota útil, em quem ele sabe que vai ganhar. Esse é o sentimento geral brasileiro. Ninguém vota pra perder o voto.

Aceita conselho?
Vote em quem verdadeiramente possa fazer alguma coisa por sua cidade. Quem sabe o mandato da sua escolha arrume um trampo pra você.




Nenhum comentário:

Postar um comentário