quarta-feira, 21 de setembro de 2016

A Lôra deu uma surra no Capitão

Com ataques a Wagner, segurança predomina no debate com Luizianne

A deputada federal Luizianne Lins, candidata do PT à Prefeitura de Fortaleza, participou, ontem, da série de debates promovidos pela Câmara Municipal com os prefeituráveis. Assim como tem feito na propaganda eleitoral, Luizianne aproveitou o espaço para tentar desmontar o discurso do deputado estadual Capitão Wagner (PR), segundo colocado nas recentes pesquisas de intenção de votos e adversário direto da petista na briga pela chegada a um eventual segundo turno.
Durante 30 minutos, Luizianne expôs detalhes de seu plano de governo ressaltando os princípios de democracia participativa, transparência pública, promoção dos direitos humanos e universalização da saúde e educação. Mas após a exposição de propostas, Luizianne foi questionada por vereadores sobre diferentes pontos defendidos pela petista e a temática da Segurança Pública acabou predominando na discussão.
O assunto partiu de um aliado do prefeito e candidato à reeleição Roberto Cláudio (PDT): o vereador e presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT). Ele questionou a candidata sobre seu entendimento, com toda sua experiência de ex-prefeita de Fortaleza, em relação às propostas em torno da segurança pública que estão sendo lançadas pelo candidato Capitão Wagner (PR). Como Salmito, João Alfredo, Adail Júnior, Benigno Júnior, Márcio Cruz, Guilherme Sampaio, também perguntaram ou comentaram sobre o tema.
Em resposta, Luizianne disse concordar com Salmito e criticou o debate sobre esse tema no processo eleitoral. Ela afirmou que a discussão sobre segurança está mediocrizado e portanto discorda totalmente das propostas do candidato Capitão Wagner. “Isso é uma falácia. A Guarda já é armada, só não tem arma de fogo, que mata, mas arma capaz de conter a violência, que é o papel dela. Evitar e não provocar a violência”, disparou.
A candidata ainda relatou os inúmeros avanços da categoria que, segundo ela, foram atingidos durante sua gestão à frente da Prefeitura, como a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários e a valorização da mesma, com a compra de equipamento de segurança, fardamento, escudo, entre outros. “Não tenho concordância com Guarda armada. Se arma fosse a solução, aí ninguém mexia com ninguém. Se não resolveu o Cotam, Ronda, o Raio, a Guarda que vai resolver o problema da segurança? Isso não dá nem pra levar em conta”, pontuou Luizianne.
Estratégia
Faltando menos de duas semanas para a eleição municipal, a “diferença” entre as opiniões dos candidatos começa a ficar mais evidente e o confronto direto vem à público numa clara tentativa de desmontar a estratégia dos adversários e, assim, ganhar a preferência do eleitorado. Aliados dos candidatos seguem a mesma estratégia para fortalecer o discurso. Assim, o vereador Acrísio Sena, além de perguntar sobre as medidas que a candidata irá adotar para o combate à violência, também criticou o programa de governo do candidato Capitão Wagner (PR), que segundo o vereador, está usando esse tema como peça de marketing.
“O que está sendo pregado não corresponde a responsabilidade do papel do Município. Dos dezenove itens colocados para a segurança em seu programa de governo, todos são proposições de concepção militarizada de cidade. Armar a Guarda, o Raio do bairro, videomonitoramento nas praças, tudo traz uma concepção de guerra”, enfatizou.
O vereador Márcio Cruz (PSD), servidor licenciado da Guarda Municipal, também criticou o programa de governo do candidato Capitão Wagner, questionando sua proposta que coloca Guardas armados dentro de coletivos e perguntou a Luizianne quais suas propostas para a categoria.
E ainda
Projetos nas áreas da educação e a saúde também foram discutidos pelos vereadores. Os questionamentos giraram em torno da qualidade da educação e funcionamento de creches em tempo integral. A deputada federal finalizou sua participação no debate afirmando que está preparada para assumir a Prefeitura e fazer mais do que já fez por Fortaleza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião

A presunção dos tucanos contra os interesses do Brasil Jornal do Brasil A tucanada acha que Aécio Neves pode ser senador de um po...