segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Nosso cavalos estão indo muito bem.

Brasil estreia bem no salto, com três cavaleiros zerando a prova em Deodoro

Num dia de arquibancadas cheias e de muito sol, a equipe brasileira de salto fez uma boa estreia no Centro de Hipismo, em Deodoro, com três cavaleiros zerando seus percursos e o quarto cometendo uma falta.
No resultado por equipes, o Brasil ficou empatado em primeiro lugar com a Alemanha. Só os dois países tiveram três cavaleiros que zeraram os percursos (uma das quatro notas é descartada na prova).
Esse desempenho por equipe serve, porém, apenas para dar confiança para a equipe nos Jogos Olímpicos do Rio, já que os pontos deste domingo contam apenas para prova individual. Na terça-feira (16), o resultado por equipe recomeça do zero.
Principal esperança de medalha individual, Álvaro de Miranda Neto, o Doda, 43, montando o cavalo Cornetto K, não derrubou obstáculos e concluiu o percurso dentro do tempo limite de 164 segundos.
O mesmo aconteceu com os cavaleiros Stephan Barcha, 26, montando o cavalo brasileiro LandPeter do Feroleto, e com Pedro Veniss, 33, que zerou o percurso com a montaria Quabri de L’Isle.
“O Brasil foi muito bem neste primeiro dia. Com certeza começar com bons percursos dá mais confiança para a prova de equipes”, disse Doda. “Saltar com a torcida assim é a melhor coisa do mundo”.
Individualmente, os três brasileiros terminaram o primeiro dia da classificação empatados em primeiro lugar com mais 21 conjuntos de outros países que também zeraram o percurso neste domingo.
O quarto cavaleiro brasileiro, Eduardo Menezes, 36, cometeu uma falta, com o cavalo Quintol. O conjunto foi o primeiro do dia a fazer o percurso em Deodoro, o que é um desafio a mais, por virar “cobaia” dos demais cavaleiros.
O percurso de salto pode ser visualizado por cavaleiros antes da prova, mas nenhum pode entrar na área de competição para medir as distâncias, o que permite calcular o número de galopes necessários entre os obstáculos.
“A gente também mudou o plano desde os primeiros cavaleiros até agora. Tinha dois pontos da pista que mudamos, acrescentamento um galope em um e tiramos um de outro. A missão do Eduardo era mais difícil”, disse Doda.
No primeiro dia de qualificação os conjuntos não são eliminados com base em seus pontos. Na próxima terça (16), porém, após uma nova rodada de saltos, apenas as oito melhores equipes e os 45 melhores conjuntos seguem vivos na competição.
COMENTARISTA
Medalhista de ouro no salto individual em Atenas-2004, Rodrigo Pessoa, 43 disse que os quatro brasileiros tiveram bom desempenho. Ele lembrou, porém, que o resultado deste domingo vale apenas para o resultado individual.
“Isso não conta para equipes porque na terça-feira recomeça tudo, o resultado zera, e aí é que realmente conta. Mas é uma indicação que os cavalos estão em boa forma, se apresentaram bem, e isso é que é o principal”, disse.
Pessoa, que comenta a prova de salto para uma TV francesa, não quis falar sobre sua saída da equipe brasileira de salto. Colocado na reserva pelo técnico George Morris, ele abriu mão da vaga, que ficou com Felipe Amaral, 26.
O cavaleiro disse que conversou com “alguns membros” dos cavaleiros brasileiros antes da prova, sem entrar em detalhes. “Todos foram bem e tiveram boa apresentação.”
Atualizado por Daniel Negreiros
negreiros@oestadoCE.com.br
Fonte: Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A luz

Ainda bem que tem o sol.