quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Coluna do blog



 "Já vínhamos roucos antes de entrar no estádio"
Rio de Janeiro (30 graus) - A saltadora de vara Marta Onofre descreveu as emoções sentidas no Maracanã e o prazer de ouvir o idioma de Camões. "Foi a experiência mais emocionante da minha vida." É assim, sem dúvidas, que Marta Onofre, atleta portuguesa que vai competir na disciplina de salto com vara, define o que sentiu no desfile da cerimônia de abertura do Rio 2016. Marta é uma das 56 estreias de atletas portugueses em Jogos Olímpicos. Já tinha participado na cerimônia de abertura das Universíadas de 2015, em Gwangju, Coreia do Sul, onde estiveram cerca de 9000 atletas e atingiu a final, mas sublinha que a dimensão é "incomparável" com o que se passou no Rio. "Foi uma sensação fantástica, entusiasmante, para mais sabendo que estou aqui a representar Portugal ao mais alto nível", sublinha a recordista nacional do salto com vara (4,51 metros). Antes de entrar no Maracanã, a comitiva nacional, juntamente com delegações de outros países, teve de ficar à espera no recinto que é palco do voleibol, o Maracanãzinho. Aí, a única alternativa para irem seguindo o que se passava no estádio era estarem atentos à transmissão televisiva através de ecrã gigante, ao mesmo tempo que a organização ia distribuindo comida e bebidas pelos atletas. "Não deu para ir vendo ao vivo a primeira parte do espetáculo, mas nem assim deixou de ser emocionante, porque estávamos juntos em equipa", considera a atleta portuguesa. O momento alto da noite foi a entrada no Maracanã. A comitiva portuguesa é muito acarinhada no Brasil, como já tinha sido evidente na estreia do futebol frente à Argentina. Na madrugada de ontem foi a vez de todos os atletas escutarem esse apoio, através de uma enorme ovação que, nos decibéis, só terá ficado abaixo daquelas que foram prestadas ao país anfitrião e à equipa olímpica de refugiados. Certo é que nunca na história do olimpismo uma delegação portuguesa tinha sentido tão forte apoio, que começou logo no acesso ao palco da festa. "Quando foi a nossa vez de entrar no estádio já vínhamos roucos, porque no caminho, que ainda era um pouco longo, já estavam muito brasileiros e portugueses da organização a incentivarem-nos e nós fomos interagindo durante esse percurso", conta ao DN. Foi uma espécie de aquecimento para o que viria a seguir: "Entramos muito felizes, algumas raparigas estavam a dançar, quase todos iam a dar pulos de alegria". E a ovação? "Sentir aquele apoio é mesmo um momento especial. O carinho dos brasileiros vai ser um fator extra de motivação para nós. Normalmente, nas grandes competições estamos habituados a ouvir falar inglês. Aqui no Rio, um dos maiores prazeres que tenho é ouvir falar português por todo o lado, nos refeitórios, nos treinos, na rua", continua a lisboeta, de 25 anos. Sendo a estreia numa cerimônia de abertura, é quase obrigatório guardar imagens para mais tarde recordar. A atleta não fugiu à regra. Fotografias, vídeos, um pouco de tudo segue na bagagem de Portugal, como por exemplo momento em que o ex-maratonista brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima acendeu a pira olímpica. "Filmei tudo", diz a saltadora do Sporting.

A frase: “Que bela lição para um país que vive em recessão, que vê os políticos criticarem-se até à destruição, que não sabe bem quem é o presidente, que nunca mais vê o futuro prometido”. Leonildio Paulo Ferreira, jornalista lisboeta sobre a abertura das Olimpíadas Rio 2016.


Leite em pó pro longa vida (Nota da foto)
O Governo mandou liberar a importação de leite em pó para fazer leite em caixinha, o longa vida. Luiz Girão, ex-presidente da Betânia(hoje só pai dos donos) opina: “Para o produtor é prejudicial, pois pode substituir o leite in-natura, para a indústria pode solucionar momentaneamente um problema de severa escassez. Graças a Deus o Ceará não vai precisar usar; ainda estamos com bastante leite”.

E o Zé Serra agora é PT?
José Serra recebeu R$ 23 milhões via caixa dois, afirma Odebrecht. Manchete da Folha de São Paulo. E a gente aqui pensando que tucano não faz essas coisas feias.

Não combina, mas foi
Ivo Gomes é sério, compenetrado, mas cearense. Fino no humor, fino no trato, cultor da língua e dos bons costumes. Pois tão levando Ivo pro Beco e pro torresmo do Demerval.

Ruim
A comida que mandam  pra gente é tão ruim que muitos de nós estamos trazendo comida de casa para o trabalho. Isso é de um comissário de bordo da Avianca.

Interesses brasileiros
Nove pontos atrás da democrata Hillary Clinton na última sondagem NBC/Wall Street Journal, Trump precisa de provar mais uma vez que consegue virar a seu favor toda a publicidade negativa.

Interesses brasileiros II
Afinal  falamos do homem que desde que entrou na campanha já insultou as mulheres, chamou "violadores e traficantes" aos mexicanos ou propôs banir os muçulmanos dos EUA.

Interesses brasileiros III
Só nos últimos dias, atacou os pais de um soldado caído em combate, garantiu que a filha mudaria de carreira se fosse alvo de assédio e expulsou um bebe de um comício por estar chorando.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Congresso de urologia vai ser aqui

Evento discute inovações para tratar doenças urológicas Discutir inovações no diagnóstico e tratamento de doenças urológi...