quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Aliados e financiadores vão ao Interino apresentar a conta

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Beto Studart, participou de reunião com o presidente interino, Michel Temer, ontem, no Palácio do Planalto, em Brasília. O encontro reuniu ainda presidentes de federações e empresários de outros estados do Nordeste, como Bahia, Rio Grande do Norte e Piauí. Na ocasião, o presidente da Fiec apresentou alguns pontos que considerou prioritários em relação ao Nordeste. Dentre eles, assegurar a conclusão das obras públicas de transposição das águas do Rio São Francisco, cujo cronograma já está 90% pronto, além de sua revitalização e integração de bacias com maior celeridade, tendo em vista que o Estado tem apenas 7,5% de sua capacidade hídrica armazenada.
Outro aspecto destacado foi a necessidade de que a construção da Ferrovia Transnordestina seja acelerada, integrando-a interregionalmente e aos portos do Pecém, no Ceará e de Suape, em Pernambuco. O projeto já registra atraso superior a cinco anos na sua execução, com expressiva elevação de seu custo, partilhado por recursos do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Do Ceará, além de Studart, estiveram no encontro, Alexandre Pereira, vice-presidente da Fiec; os ex-presidentes da entidade, Roberto Macêdo e Fernando Cirino; o presidente do Conselho Temático de Relações Trabalhistas e Sindicais (Cosin), Jaime Bellicanta; e os empresários Carlos Prado, Pedro Lima e Roseane Medeiros.
Energia elétrica
Beto Studart também relatou a importância de se promover a expansão da rede de transmissão de energia elétrica e de subestações na Região Nordeste, de modo a permitir a conexão de inúmeras usinas geradoras de energias renováveis – principalmente eólicas e solar, ao Sistema Interligado Nacional. Com relação também obras estruturantes, o presidente da Fiec apontou a urgência da conclusão da BR-222, já licitadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit); e do Anel Viário, 90% já executado, saindo do Porto do Mucuripe, em Fortaleza, até o Porto Pecém.
Além das ações ligadas diretamente à questão da infraestrutura, que são de interesse estadual e regional, Beto Studart fez referência à necessidade do encaminhamento, ao Congresso Nacional, de uma medida provisória específica. Ela teria, como objetivo principal, a renegociação do elevado passivo junto aos Fundos Constitucionais FNO, FNE e FCO, bem como aos fundos regionais de desenvolvimento, representados pelo Finam e Finor.
De acordo com o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, que também participou do encontro, na capital federal, dirigentes e empresário nordestinos manifestaram ao presidente interino a importância de uma reforma previdenciária, do fortalecimento de acordos coletivos firmados entre trabalhadores e empregadores, e das tercerizações. “Colocamos a importância da reforma da Previdência, que tem tido um déficit muito grande e uma insegurança em relação ao futuro do setor, a capacidade de pagamento dos benefícios e as mudanças na legislação trabalhista”, asseverou Andrade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Capa do jornal OEstado Ce