sábado, 23 de julho de 2016

Praia do Futuro um exemplo de como se destroi uma beira mar

Pesquisa da UFC revela efeitos negativos da ocupação costeira desordenada

Um estudo conduzido por pesquisadores do Instituto de Ciências do Mar (Labomar) da Universidade Federal do Ceará, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) e da Universidade Autônoma de Barcelona (UAB) revelou efeitos negativos da ocupação costeira desordenada.

Publicada como artigo na edição 120 da revista internacional Marine Environmental Research, a pesquisa indica que as atividades humanas podem reduzir o número de espécies no litoral do Ceará.

Os pesquisadores compararam os recifes (rochas na faixa da orla) de praias de Fortaleza (Meireles), Caucaia (Iparana e Pacheco), São Gonçalo do Amarante (Taíba) e Paracuru em relação à presença de espécies marinhas (algas, corais etc.) e os impactos das atividades humanas. Foram considerados portos, currais de pesca, bares e restaurantes na faixa de praia, área urbanizada do município, ligações clandestinas de esgoto, dentre outras atividades impactantes. Esses dados serviram como base para a elaboração do índice de pressão das atividades humanas.

"Nas áreas com maior número de atividades, como Fortaleza, constatou-se um menor número de espécies. Nas áreas com menor número de impactos, como Taíba, a biodiversidade é maior", afirma o biólogo Pedro Carneiro, um dos autores do estudo.

Os resultados mostraram que a urbanização, a falta de saneamento básico, a instalação de molhes (quebra-mares) e construções irregulares na faixa de praia foram de maior importância e negativos para a vida marinha. "O litoral do Ceará possui uma vida marinha rica e pouco conhecida. Os resultados indicam os problemas da ocupação costeira desordenada. Além disso, ressaltam a necessidade do planejamento ambiental para conservar as espécies e as atividades econômicas que dependem dela, como a pesca", aborda Marcelo Soares, professor do Labomar e integrante do estudo.

A pesquisa tem como primeira autora a aluna de doutorado Adriana Brizon Portugal, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Marinhas Tropicais da UFC. O artigo pode ser acessado pelo Portal de Periódicos da Capes (http://goo.gl/qRMF8D) ou na versão on-line do estudo (http://goo.gl/77rHUA).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Evangelho

Sexta-feira, 13 de Outubro de 2017. Santo do dia:  São Venâncio de Tours, abade Cor litúrgica: verde Evangelho do dia: São Lucas 11, 15...