quarta-feira, 20 de julho de 2016

Opinião

Descobri o truque de Donald Trump

Donald Trump tem um truque. É forçoso, em alguém que numa atividade pública força sempre a provocação e cai sempre de pé. Ele estava ali, antes de dizer a barbaridade; e está um passo à frente, depois de a dizer. Tem de haver um truque. Não há meio é de descobrir a careca àquele que se esconde sob a melena mais famosa do universo. No domingo, Trump deu entrevista à CBS e levou o seu vice, Mike Pence. A jornalista lembrou a Trump que ele ataca Hillary por ela ter votado a invasão do Iraque, em 2002. Trump confirma e adianta que ele "esteve sempre contra." Mas a jornalista põe-no em contradição: "Mas o governador Mike Pence fez o mesmo do que Hillary..." E Trump safa-se com uma pirueta: "Ele tem o direito de se enganar de vez em quando." E ri-se. Na verdade, a pirueta é mais cínica: ele, o próprio Trump, em 2002, era pela invasão. Humm, estou a ver: ele ataca, nunca se desmancha e, quando lhe pedem meças, desvia a questão. No caso, à custa do companheiro. Mas ele sai-se com um riso... Melania Trump fez um discurso com frases de Michelle Obama. Num país onde se checam as vírgulas é incrível um erro assim em campanha milionária com tantos profissionais ao serviço. Não repararam? Eu escrevi "Melania Trump" e não precisei de acrescentar "a mulher do candidato." Há dois dias, tê-lo-ia feito. Hoje, não preciso - graças a uns plágios menores, já todos sabemos quem é Melania. Já sei qual o truque de Trump: aproveita tudo para croquetes.

Ferreira Fernandes - Editorialista do jornal Diário de Notícias de Lisboa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Capa do jornal OEstado Ce