sábado, 30 de abril de 2016

Olha só quem fala em organização criminosa.

Líder do PT rebate críticas de Cunha e diz que deputado "perdeu a calma"

cunha sessãoO líder do PT na Câmara dos Deputados, Afonso Florence (PT-BA), rebateu as críticas à legenda feitas pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), nessa quinta-feira, 28. Segundo Florence, Cunha “perdeu a calma depois que o Conselho de Ética apresentou mais uma comprovação de que ele é um dos líderes da quadrilha que assaltou a Petrobras”, com o depoimento do lobista Fernando Baiano.
Cunha tem engrossado os discursos contra o PT, reforçando que a legenda é uma “organização criminosa”. “Cunha já responde no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Conselho de Ética, ainda tem direito de defesa, mas esse destempero verbal tentando identificar o PT como o partido responsável pela corrupção não corresponde ao número de indiciados e delatados do próprio partido dele, o PMDB, inclusive ele liderando a lista. Esperamos que a justiça seja feita, com presunção de inocência, mas a posição dele realmente não é confortável porque são muitas delações premiadas e provas documentais robustas”, declarou o parlamentar.
Para Florence, Cunha é um dos principais responsáveis pela crise política e econômica do País, junto com partidos da oposição, como DEM e PSDB, além do próprio PMDB, que se uniram, segundo ele, para aprovar matérias que enfraqueceriam o governo. “No ano passado, eles ganharam e o Brasil perdeu, na medida em que fizeram quanto pior para o País, melhor para eles”, disse.
“A partir do momento em que Cunha assumiu o cargo ele jogou o País num impasse, com pautas-bomba e desestabilização política. E agora ele colhe o reflexo do que fez.” Sobre a acusação do presidente da Câmara de que o PT estaria obstruindo pautas até mesmo projetos do governo, o líder do partido negou. “O governo se propõe a votar, obstrui publicamente, mas encaminha favoravelmente. Agora, o País não aguenta mais Cunha na presidência jogando para a desestabilização política”, disse. Segundo ele, a obstrução é importante para combater uma possível aliança entre Cunha e a oposição, mas quando forem votadas matérias consideradas de interesse do País, o PT continuará a votar a favor.
estadao-conteudo

Chico Lopes defende Dilma no Beco do Cotovelo

chicoco
O deputado federal Chico Lopes (PCdoB) participa, neste sábado, de atividades em Sobral (Zona Norte). Ele dialoga com a população e distribui o informativo do mandato, visitando o Beco do Cotovelo, tradicional ponto de concentração popular. 
Na noite desta sexta-feira, Chico Lopes ministrou palestra para estudantes e professores da Universidade Vale do Acaraú (UVA), sobre o projeto de lei de sua autoria que amplia o acesso dos professores a mestrado e doutorado, garantindo uma política nacional de acesso à pós-graduação.
becoco
Chico no Beco do Cotovelo.
Além de passar os informes do mandato, nas áreas de educação, defesa do consumidor e direitos do trabalhador, Chico Lopes dialoga com os sobralenses sobre a luta contra o golpe e pela permanência da democracia em nosso País, ressaltando ainda a necessidade de tirar Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputado.
(Fotos – Divulgação)

Folga pra patroa...

Diz meu amigo comandante Genário Peixoto que sábado é dia de dar folga pra patroa e comer uma pizza no jantar. Até manda exemplo...

Copa Arena Juventude

Prefeitura de Fortaleza e Governo do Estado realizam primeira edição da CopArena da Juventude
A Prefeitura de Fortaleza e o Governo do Estado realizam, a partir deste sábado (30/04), a primeira edição da CopArena da Juventude, maior competição de futebol não profissional do Ceará. A solenidade de abertura será às 18h, na Areninha Thauzer Parente, no bairro Quintino Cunha e contará com a presença do governador Camilo Santana e do prefeito Roberto Cláudio. Os jogadores dos 312 times inscritos também participam da abertura e vão receber os uniformes oficiais para os jogos do campeonato.

A CopArena reúne 312 times e mais de seis mil atletas de todos os 119 bairros de Fortaleza e será dividida em três categorias: masculino adulto, feminino adulto e sub-17 masculino. O primeiro confronto será entre a Associação Esportiva Maria Clara e o Grêmio do Vila Velha. As disputas da Coparena vão até o dia 26 de junho. Além do jogo, neste sábado também haverá shows das bandas Forró Ilimitado e Samba Brasil.

Um dos times inscritos é o Pegasus Esporte Clube, projeto social inaugurado pelo professor Clemilson Pessoa há 25 anos, no Quintino Cunha. O local dos treinamentos do grupo é no próprio equipamento reformado e transformado em Areninha pela Prefeitura de Fortaleza.      

“A Areninha Thauzer Parente veio ajudar demais, melhorando a nossa parte técnica, algo que a gente tinha dificuldade. Ficou muito bom para nós. Com o campo sintético, a gente pode cobrar mais do atleta”, revela o treinador.

Serviço
Abertura CopArena
Data: 30.04.2016 (sábado)
Local: Areninha Thauzer Parente (Rua Pedro Sampaio, 416 – Quintino Cunha)
Horário: 16 horas

Peçam e lhes será dado.

Prefeitura anuncia programa Recicla Fortaleza e entrega ecoponto no bairro Edson Queiroz
O prefeito Roberto Cláudio vai lançar, neste sábado (30/04), às 9 horas, a primeira etapa do programa Recicla Fortaleza, que vai dar crédito na conta de energia pela troca de resíduos recicláveis na cidade. Além de apresentar todos os detalhes da iniciativa, o prefeito também vai entregar o Ecoponto Advogado Marco Antônio Forte, que fica na Rua Hill de Moraes com Rua Vereador José Batista Barbosa, no bairro Edson Queiroz (Regional VI). As secretarias municipais também estarão engajadas em mais uma edição do projeto Maior Limpeza, com blitze de educação ambiental em vias e bairros da cidade, com o objetivo de conscientizar quanto ao descarte correto dos resíduos sólidos.

Com o Recicla Fortaleza e a implantação de Ecopontos, a Prefeitura de Fortaleza incentiva cada vez mais o descarte seletivo de resíduos sólidos e proporciona um comportamento sustentável na cidade, por meio de uma gestão preventiva e educativa, fundamentada no oferecimento de serviços adequados às necessidades da população.

Projeto Maior LimpezaO Projeto Maior Limpeza vai envolver todas as secretarias da gestão municipal, de 08h30 às 13h, na realização de uma grande blitze de educação ambiental em vias e bairros da cidade. O objetivo do Maior Limpeza, lançado em novembro de 2015, é conscientizar toda a população quanto ao descarte correto dos resíduos sólidos, além de distribuir mudas de espécies nativas e frutíferas, incentivando o cuidado com o verde. O projeto Maior Limpeza é realizado mensalmente pelos órgãos da administração pública municipal e, neste sábado, ocorrerá nos seguintes locais:

- Rua Hill de Moraes x Rua Vereador José Batista Barbosa –Edson Queiroz (Regional VI)
- Av. Leste-Oeste x Av. Dr. Theberge – Pirambu (Regional I)
- Av. Santos Dumont x Praça Dom Hélder Câmara – Praia do Futuro (Regional II)
- Av. Osório de Paiva x Av. Perimetral – Granja Portugal (Regional V)

ServiçoLançamento do Recicla Fortaleza e entrega do Ecoponto Advogado Marco Antônio Forte
Data: 30 de abril de 2016 (sábado)
Local: Rua Hill de Moraes x Rua Vereador José Batista Barbosa – Edson Queiroz (Regional VI) – fica por trás da Unifor e próximo à ESMEC
Horário: 09h

Opinião

Educação
 
 Concordamos com a ideia de que a educação deve ser proporcionada a todos por constituir um direito e uma condição para o pleno desenvolvimento da pessoa humana. Além de ser um direito, a educação também é um dos principais fatores, senão o mais importante, para o progresso ordenado de um país. É fundamental que as nações entendam, em primeiro lugar, que a educação não é um gasto,  mas um investimento. Em segundo lugar, este é um investimento de longo prazo que deve expressar o compromisso de gerações e ser elevado a um projeto de Estado Democrático, para além das divergências partidárias das forças políticas que momentaneamente ocupam os papéis de governo e oposição, ou seja, a educação não deve ser um programa de Governo, mas de Estado. Ademais, deve-se buscar a articulação dos diversos atores sociais, somando esforços de governos, setores empresariais e trabalhistas e da sociedade civil em geral. Há uma evidente correlação entre os níveis educacionais, cognitivos e comportamentais, das populações e o desenvolvimento dos países. Este entendimento levou à adoção da educação como um dos fatores na concepção do conhecido IDH – Índice de Desenvolvimento Humano, que       tem orientado as políticas públicas em vários países e constituído importante indicador de avaliação de seus acertos ou insuficiências. Resta, pois, o passo mais difícil — transformar a retórica em ações concretas e priorizar os investimentos no setor educacional, nas múltiplas dimensões do acesso, da equidade e da qualidade. Eis o verdadeiro desenvolvimento humano.
 
Gonzaga Mota
Professor aposentado da UFC-Ex Governador do Ceará e meu amigo
 

Encruzilhadas da vida

Claudio Pinho
Parece que foi ontem mais já se passaram 04 anos da partida de meu pai. Muita saudade. Ele mesmo Barros Pinho, o poeta, o político, o amigo, ou simplesmente pai.....
Marcos Luiz Melo Grande Zé Maria, meu conterrâneo e amigo.
José Rangel
José Rangel É verdade, amigo Cláudio. O pai, o político, o poeta, o brilhante orador e a notável figura humana do Barros Pinho fazem realmente muita falta.
Corrinha Ribeiro
Corrinha Ribeiro Nosso amigo inseparável, Claudinho !!!!
Pompeu Macario Batista

Escreva uma resposta...

Pompeu Macario Batista
Pompeu Macario Batista Conto uma historinha; posso? Autorizado, lá vai. Conversavam na sala de despachos da Embaixada do Brasil, em Lisboa, sala emoldurada de livros e quadros históricos, o professor Paulo Bonavidades, o poeta Barros Pinho, naquele instante vaidoso estudante de direito e este humilde repórter vaidoso maior por estar entre os dois. Barros queria puxar aprendizados de direito e os colocava como que a pedir anuência ao grande mestre do Direito COnstitucional Paulo Bonavides. Vínhamos de uma palestra fabulosa de Bonavides na Universidade de LIsboa e de um encontro com J.J.Gomes Canitilho, monstro sagrado da mesma secção de direito. Eu os observava atento quando Bonavides diz pra Barros Pinho: Seu conceito sobre o direito está muito bom. Os olhos de Barros brilharam como de menino que ganha uma cocaca ou um tijolim de leite. E quando Bonavides levantou para completar a taça do rouge de Paes de Andrade, não resistiu e cochichou pra mim: - CÊ viu o que ele disse pra mim, cê viu? E seus olhos eram laços e seu sorriso era apaixonado e sua voz era meiga. Meiga como quem agradece à amante o primeiro beijo. Eu vi. Eu estava lá.

Globo foi pra "cesta" secção do The Guardian

Rede Globo pede direito de resposta ao The Guardian e leva fora

Depois de ser citada em texto do The Guardian que trata do que está por trás do impeachment de Dilma Rousseff no Brasil, a Rede Globo exigiu um direito de resposta, mas recebeu o desprezo do jornal britânico

the guardian globo bonner marinho
William Bonner, editor-chefe do Jornal Nacional, telejornal de maior audiência do Brasil. Seu patrão, João Roberto Marinho, está incomodado com a repercussão internacional do impeachment

A publicação de um artigo de David Miranda no jornal britânico The Guardian provocou (leia o texto abaixo) forte reação das Organizações Globo.
Por meio de seu vice-presidente, João Roberto Marinho, o grupo Globo insistiu para que o jornal publicasse uma resposta ao texto, dizendo que jamais houve apoio ao processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.
O The Guardian tratou a Globo de uma maneira que a emissora não está acostumada no Brasil: com desprezo.
Na ânsia de produzir uma contra-narrativa ao texto do The Guardian, o poderoso executivo da Globo enviou sua opinião, numa tentativa de rebater os elementos apontados no jornal britânico. O texto de Marinho, no entanto, foi relegado à singela caixa de comentários do jornal e não foi publicado.
Em seu texto “A razão real que os inimigos de Dilma Rousseff querem seu impeachment”, Miranda apresenta ao mundo os interesses que estão por trás do golpe em curso no Brasil. Entre eles, o da mídia, setor extremamente concentrado no país.
Desde o início do processo de impeachment de Dilma, outros diversos veículos internacionais denunciaram o golpe em curso no Brasil e manifestaram preocupação com a condução do caso por Eduardo Cunha (PMDB).
Ps.: No jornal O Globo, dois textos desmentem a tese de Marinho de que a Globo não apoia o impeachment. São os editoriais intitulados “O impeachment é uma saída institucional da crise” e “Tempo no impeachment corre contra o país”. A cobertura enviesada do Jornal Nacional, comandado por William Bonner, também é um elemento que merece destaque.
Abaixo, leia a íntegra do texto que enfureceu a família Marinho:

“A razão pela qual os inimigos de Dilma querem seu impeachment”
A história da crise política no Brasil, e a mudança rápida da perspectiva global em torno dela, começa pela sua mídia nacional. A imprensa e as emissoras de TV dominantes no país estão nas mãos de um pequeno grupo de famílias, entre as mais ricas do Brasil, e são claramente conservadoras. Por décadas, esses meios de comunicação têm sido usados em favor dos ricos brasileiros, assegurando que a grande desigualdade social (e a irregularidade política que a causa) permanecesse a mesma.
Aliás, a maioria dos grandes grupos de mídia atuais – que aparentam ser respeitáveis para quem é de fora – apoiaram o golpe militar de 1964 que trouxe duas décadas de uma ditadura de direita e enriqueceu ainda mais as oligarquias do país. Esse evento histórico chave ainda joga uma sombra sobre a identidade e política do país. Essas corporações – lideradas pelos múltiplos braços midiáticos das Organizações Globo – anunciaram o golpe como um ataque nobre à corrupção de um governo progressista democraticamente eleito. Soa familiar?
Por um ano, esses mesmos grupos midiáticos têm vendido uma narrativa atraente: uma população insatisfeita, impulsionada pela fúria contra um governo corrupto, se organiza e demanda a derrubada da primeira presidente mulher do Brasil, Dilma Rousseff, e do Partido dos Trabalhadores (PT). O mundo viu inúmeras imagens de grandes multidões protestando nas ruas, uma visão sempre inspiradora.
Mas o que muitos fora do Brasil não viram foi que a mídia plutocrática do país gastou meses incitando esses protestos (enquanto pretendia apenas “cobri-los”). Os manifestantes não representavam nem de longe a população do Brasil. Ao contrário, eles eram desproporcionalmente brancos e ricos: as mesmas pessoas que se opuseram ao PT e seus programas de combate à pobreza por duas décadas.
Aos poucos, o resto do mundo começou a ver além da caricatura simples e bidimensional criada pela imprensa local, e a reconhecer quem obterá o poder uma vez que Rousseff seja derrubada. Agora tornou-se claro que a corrupção não é a razão de todo o esforço para retirar do cargo a presidente reeleita do Brasil; na verdade, a corrupção é apenas o pretexto.
O partido de Dilma, de centro-esquerda, conseguiu a presidência pela primeira vez em 2002, quando seu antecessor, Lula da Silva, obteve uma vitória espetacular. Graças a sua popularidade e carisma, e reforçada pela grande expansão econômica do Brasil durante seu mandato na presidência, o PT ganhou quatro eleições presidenciais seguidas – incluindo a vitória de Dilma em 2010 e, apenas 18 meses atrás, sua reeleição com 54 milhões de votos.
A elite do país e seus grupos midiáticos fracassaram, várias vezes, em seus esforços para derrotar o partido nas urnas. Mas plutocratas não são conhecidos por aceitarem a derrota de forma gentil, ou por jogarem de acordo com as regras. O que foram incapazes de conseguir democraticamente, eles agora estão tentando alcançar de maneira antidemocrática: agrupando uma mistura bizarra de políticos – evangélicos extremistas, apoiadores da extrema direita que defendem a volta do regime militar, figuras dos bastidores sem ideologia alguma – para simplesmente derrubarem ela do cargo.
Inclusive, aqueles liderando a campanha pelo impeachment dela e os que estão na linha sucessória do poder – principalmente o inelegível Presidente da Câmara Eduardo Cunha – estão bem mais envolvidos em escândalos de corrupção do que ela. Cunha foi pego ano passado com milhões de dólares de subornos em contas secretas na Suíça, logo depois de ter mentido ao negar no Congresso que tivesse contas no exterior. Cunha também aparece no Panamá Papers, com provas de que agiu para esconder seus milhões ilícitos em paraísos fiscais para não ser detectado e evitar responsabilidades fiscais.
É impossível marchar de forma convincente atrás de um banner de “contra a corrupção” e “democracia” quando simultaneamente se trabalha para instalar no poder algumas das figuras políticas mais corruptas e antipáticas do país. Palavras não podem descrever o surrealismo de assistir a votação no Congresso do pedido de impeachment para o Senado, enquanto um membro evidentemente corrupto após o outro se endereçava a Cunha, proclamando com uma expressão séria que votavam pela remoção de Dilma por causa da raiva que sentiam da corrupção.
Como o The Guardian reportou: “Sim, votou Paulo Maluf, que está na lista vermelha da Interpol por conspiração. Sim, votou Nilton Capixaba, que é acusado de lavagem de dinheiro. ‘Pelo amor de Deus, sim!’ declarou Silas Câmara, que está sob investigação por forjar documentos e por desvio de dinheiro público.”
Mas esses políticos abusaram da situação. Nem os mais poderosos do Brasil podem convencer o mundo de que o impeachment de Dilma é sobre combater a corrupção – seu esquema iria dar mais poder a políticos cujos escândalos próprios destruiriam qualquer carreira em uma democracia saudável.
Um artigo do New York Times da semana passada reportou que “60% dos 594 membros do Congresso brasileiro” – aqueles votando para a cassação de Dilma- “enfrentam sérias acusações como suborno, fraude eleitoral, desmatamento ilegal, sequestro e homicídio”. Por contraste, disse o artigo, Rousseff “é uma espécie rara entre as principais figuras políticas do Brasil: Ela não foi acusada de roubar para si mesma”.
O chocante espetáculo da Câmara dos Deputados televisionado domingo passado recebeu atenção mundial devido a algumas repulsivas (e reveladoras) afirmações dos defensores do impeachment. Um deles, o proeminente congressista de direita Jair Bolsonaro – que muitos esperam que concorra à presidência e em pesquisas recentes é o candidato líder entre os brasileiros mais ricos – disse que estava votando em homenagem a um coronel que violou os direitos humanos durante a ditadura militar e que foi um dos torturadores responsáveis por Dilma. Seu filho, Eduardo, orgulhosamente dedicou o voto aos “militares de 64” – aqueles que lideraram o golpe.
Até agora, os brasileiros têm direcionando sua atenção exclusivamente para Rousseff, que está profundamente impopular devido à grave recessão atual do país. Ninguém sabe como os brasileiros, especialmente as classes mais pobres e trabalhadoras, irão reagir quando virem seu novo chefe de estado recém-instalado: um vice-presidente pró-negócios, sem identidade e manchado de corrupção que, segundo as pesquisas mostram, a maioria dos brasileiros também querem que seja cassado.
O mais instável de tudo é que muitos – incluindo os promotores e investigadores que tem promovido a varredura da corrupção – temem que o real plano por trás do impeachment de Rousseff é botar um fim nas investigações em andamento, assim protegendo a corrupção, invés de puni-la. Há um risco real de que uma vez que ela seja cassada, a mídia brasileira não irá mais se focar na corrupção, o interesse público irá se desmanchar, e as novas facções de Brasília no poder estarão hábeis para explorar o apoio da maioria do Congresso para paralisar as investigações e se protegerem.
Por fim, as elites políticas e a mídia do Brasil têm brincado com os mecanismos da democracia. Isso é um jogo imprevisível e perigoso para se jogar em qualquer lugar, porém mais ainda em uma democracia tão jovem com uma história recente de instabilidade política e tirania, e onde milhões estão furiosos com a crise econômica que enfrentam.

Bom dia

Diga-se a verdade na terra embora desabe o céu. Conte o fato como o fato foi. Homem é homem e boi é boi. (Deolindo Barreto - A Lucta)     

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Virou zona!!! E botaram o dono pra correr!

Contra manobras, deputadas “destituem“ Cunha da Câmara

: Deputadas federais de partidos de esquerda se revoltaram contra mais uma manobra do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ocuparam a Mesa Diretora, levando assim à suspensão da sessão da noite desta quarta (27); a confusão iniciou quando Cunha decidiu manter a votação do projeto que cria comissões na Casa, contrariando manifestação dos deputados em plenário, majoritariamente contrária; parlamentares se revoltaram e subiram à mesa do plenário; Moema Gramacho (PT-BA) e Luiza Erundina (PSOL-SP), entre outras, permaneceram todo o tempo ao lado de Cunha, na mesa, protestando contra a decisão; acuado, ele deixou o plenário

Tá no Egídio. E antes que alguem vire Sassá Mutema, leia.

dívida rural
Uma boa notícia para os produtores rurais do Ceará e de todo o Nordeste, mergulhados em um mar de dívidas por causa dos cinco anos consecutivos de seca.
A Comissão Mista do Congresso Nacional que examina a renegociação dessas dívidas aprovou a proposta que permite que os devedores – e são centenas de milhares em todos os nove estados nordestinos – renegociem suas dívidas com os bancos em condições especiais, com juros também especiais.
Esses bancos credores são, especialmente, o Banco do Nordeste e o Banco do Brasil, aos quais os agricultores nordestinos sempre recorrem nas épocas de plantio.
A proposta que está sendo examinada pela Comissão Mista do Congresso foi elaborada pela Confederação Nacional da Agricultura.

O Brasil inteiro está vendo isso

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse hoje (28) que o plenário da Corte vai analisar se o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, poderá assumir a linha sucessória da Presidência da República no caso de eventual afastamento da presidenta Dilma Rousseff, por meio do processo de impeachment. Zavascki é relator do pedido feito pela Procuradoria-Geral da República, em dezembro do ano passado, para afastar Cunha do cargo.
Caso o Senado aprove a admissibilidade do impeachment e, consequentemente, o afastamento de Dilma do cargo por 180 dias, Michel Temer, atual vice-presidente, assumiria o cargo e Cunha seria o primeiro na linha sucessória, exercendo na prática as atividades de vice.
A dúvida é saber se Eduardo Cunha poderá ocupar o cargo sendo réu em uma ação penal no STF, por suspeita de receber U$S 5 milhões em propina resultante de contratos de navios-sonda da Petrobras.
A Constituição proíbe que um réu assuma uma cadeira no Palácio do Planalto, mesmo de forma interina, no caso de uma viagem de Temer para fora do país, por exemplo.
Questionado sobre o assunto, Zavascki disse, ao chegar para sessão de hoje do Supremo, que “isso é um assunto que precisa ser examinado” e que levará o fato para julgamento na sessão em que a Corte deverá analisar o pedido para afastar Cunha do cargo. A data não foi definida.
Para justificar o pedido, o procurador citou 11 fatos que comprovariam que Cunha usa o mandato de deputado e o cargo de presidente da Câmara para intimidar colegas, réus que assinaram acordos de delação premiada e advogados.
Fonte: Agência Brasil

Médico que mudou dieta de Messi exalta método e vê preconceito no futebol


lionel-messi-comemora-o-seu-gol-contra-o-sporting-gijon-no-campeonato-espanhol-1461440033826_615x300
O médico italiano Giuliano Poser falou em entrevista ao jornal espanhol Mundo Deportivo sobre as mudanças que fez na dieta de Lionel Messi em 2014, quando o jogador o procurou após temporada decepcionante pelo Barcelona.
Praticante de um ramo da medicina alternativa chamado cinesiologia aplicada, Poser exaltou os resultados de seu método, que consiste em realizar um “estudo da força dos músculos” do paciente e diagnosticar problemas de saúde a partir daí.
“O tratamento é específico para cada pessoa, mas a base é sempre uma boa alimentação”, disse o médico. Ele recomenda que açúcar e farinhas sejam cortados, que o consumo de carne diminua e que sejam valorizados cereais integrais, frutas, verduras e azeites.
Segundo o jornal, Messi perdeu 3,5 kg após a Copa do Mundo de 2014, o que foi fundamental para a excelente temporada 2014/15 na qual ele conquistou a tríplice coroa pelo Barcelona (Liga dos Campeões, Campeonato Espanhol e Copa do Rei). Poser, porém, diz que há preconceito contra seus métodos no mundo do futebol.
“Há muita ignorância, é difícil para muitos jogadores entenderem. Mas os que se animam e tentam rapidamente veem os efeitos em três semanas, e geralmente não voltam mais atrás. É questão de abrir um pouco a cabeça”, afirmou.
O médico também afirmou que sua vida “convulsionou” depois que se tornou conhecido o fato de que Messi era seu paciente, no ano passado.
“Diria que o efeito Messi convulsionou minha vida, sobretudo nos três primeiros meses, porque não parava de tocar o telefone e apareciam jornalistas de todos os cantos do mundo. Por outro lado, todo mundo vê Messi toda semana, e desde então não podem colocar em dúvida meu método”, concluiu.

Deputado defende criação de área especial do turismo

A criação das Áreas Especiais de Interesse Turístico foi defendida na sessão de ontem da Assembleia Legislativa pelo deputado Sérgio Aguiar (PDT). Ele chamou atenção da importância do projeto para o turismo nacional, especialmente para os estados nordestinos. “A criação dessas áreas especiais será uma grande conquista para o turismo nacional, que poderá atrair investidores capazes de gerar empregos e movimentar a economia regional, principalmente para o Nordeste”.
Aguiar frisou que o Ceará seria beneficiado devido o potencial turístico que dispõe, como 572km de praias e opções como a bica do Ipu; a reserva florestal de Ubajara, na Ibiapaba; as chapadas do Apodi, do Maciço de Baturité e do Araripe. Além disso, destaca-se também pelo turismo religioso e cultural, respectivamente, com as estátuas de Padre Cícero e de São Francisco, e o Centro Dragão do Mar, o Teatro José de Alencar, o Centro de Eventos, a Arena Castelão e a Catedral Metropolitana de Fortaleza. Pontos turísticos que, segundo ele, seriam explorados pelos visitantes.
Análise
A proposta, conforme relatou o pedetista, encontra-se em análise no Palácio do Planalto. O objetivo é estabelecer uma legislação específica para o setor em áreas com vocação para o turismo, com a flexibilização de incentivos fiscais e licenciamento ambiental para a instalação de novos negócios. A matéria, entretanto, precisa passar ainda pelo crivo do Congresso Nacional.
O deputado destacou que os gastos de turista estrangeiro no Brasil cresceu 12,7% no primeiro trimestre deste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado. Segundo ele, somente no mês passado, conforme dados divulgados pelo Ministério do Turismo, os turistas gastaram 597 milhões de dólares nos destinos nacionais. “Pelo terceiro mês consecutivo neste ano, os gastos dos turistas internacionais no Brasil cresceram se comparados com o mesmo período de 2015”, salientou.
O deputado ressaltou que criação da área especial, no México, por exemplo, melhorou o cenário turístico. A proposta foi amparada por Roberto Mesquita (PSD). “Também acho que o turismo pode alavancar a economia do Brasil e impactar de forma positiva os preços de todos os produtos”, salientou ele.

Capa do jornal O Estado(CE)


Vocês não conhecem o Anastasia

Senadores acusam Anastasia de assinar decretos iguais aos que pedem impeachment

1015950-28042016-capa-dsc_0066-
Levantamento produzido por deputados estaduais do PT de Minas Gerais com o que teriam sido pedaladas fiscais cometidas pelo relator da comissão do impeachment, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), na época em que foi governador de Minas Gerais, foi entregue e discutido hoje (28) entre senadores do bloco de apoio ao governo.
Com base nas informações apresentadas, senadores governistas que integram a comissão especial pretendem continuar insistindo na substituição de Anastasia na relatoria. Como já tentaram a troca na segunda-feira (25), dia em que Anastasia foi eleito, parlamentares contrários ao impeachment não descartam a possibilidade de questionar no Supremo Tribunal Federal (STF) a permanência do tucano no cargo.
“Vamos continuar insistindo para ver se há possibilidade no Senado Federal de substituirmos o relator. Se não for possível, estamos estudando sim a possibilidade de ingressar com uma ação na Justiça”, admitiu a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB–AM).
Denúncia
De acordo com o deputado estadual Rogério Correia, Anastasia cometeu verdadeiros malabarismos fiscais à frente do governo de Minas. “O governador Anastasia pedalou para frente , pedalou para trás , para os lados , pedalou para cima. O que ele fez foi um malabarismo fiscal”, criticou Correia, acrescentado que o tucano “se meteu em uma encrenca” ao aceitar a função.
A avaliação e a estratégia de apoiadores da presidenta Dilma é desqualificar o tucano. Eles disseram acreditar que, se fizer um parecer favorável ao impedimento, Anastasia assinará uma confissão de culpa em relação à conduta como governador.
O deputado afirmou que o senador tucano não cumpria a Lei de Diretrizes Orçamentárias. Informou ainda que Anastasia retirou dinheiro do Fundo de Previdência , que estava no Banco do Brasil. “ Ele pedalou com o dinheiro dos servidores públicos, gastou esse dinheiro e nunca repôs . A União agora está cobrando o estado em torno de R$ 7 bilhões de reposição desse fundo”.
Segundo os deputados mineiros, outra irregularidade cometida pelo relator da comissão doimpeachment durante o mandato de governador foram pedaladas nas áreas de saúde e educação. Rogério Correia lembrou que Anastasia fez um termo de ajustamento de gestão entre o governo estadual e o Tribunal de Contas do estado , afirmando que não cumpriria o mínimo constitucional na educação e na saúde, como não havia cumprido em anos anteriores, por falta de recursos.
Tribunal de Contas
“Ele estabeleceu um percentual menor que os 12% para saúde e menor que os 25% para educação e executou esse índice menor. Então, ele assinou a confissão de culpa da pedalada que deu na educação e na saúde”, acusou Correia, reafirmando que os dados apresentados são do Tribunal de Contas de Minas Gerais.
A neutralidade de Antônio Anastasia para ser relator do processo também foi questionada. “Anastasia é um militante do golpe em Minas Gerais. Ele afirma isso no seu twitter , pelas redes sociais, pelos vídeos que faz. Portanto, já tem posição definida politicamente contra a presidenta Dilma há muito tempo”, lembrou o deputado estadual Rogério Correia.
Anastasia estava no Senado, mas não quis comentar as acusações. Disse apenas que está sereno e que vai se manifestar sobre o assunto “na hora certa”. A partir das 16h, a comissão especial do impeachment se reúne para ouvir a manifestação dos autores da denúncia contra Dilma Rousseff, os advogados Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal.
Fonte: Agência Brasil

Deputados agiram sob pressão ads galerias


Após pressão, proposta que reduz ICMS sai de pauta

O projeto de lei encaminhado pelo governador Camilo Santana (PT) que pretende reduzir em 58,8% sobre a base de cálculo do imposto dobre circulação de mercadorias e serviços – ICMS das termelétricas gerou polêmica, ontem, no plenário da Assembleia Legislativa. Aprovada na última quarta-feira (27) pela comissão da Casa, a proposta de incentivo fiscal teve sua votação final adiada após acordo entre oposição e a Mesa Diretora do Legislativo. Os deputados receberam pressão de ambientalistas que ocuparam a galeria do Legislativo estadual. A matéria deve ser apreciada na próxima quinta-feira (5).
O desconto seria dado para as operações de gás natural destinadas à produção de energia elétrica.
Em meio às pressões, o deputado Danniel Oliveira (PMDB) lembrou que há um acordo entre os líderes partidários, para que não vote mensagem aprovadas no dia anterior nas comissões. “Na última reunião de líderes, ficou acordado que nenhuma matéria que fosse deliberada na data anterior seria votada na quinta-feira, ou seja, as matérias que foram deliberadas nas comissões ontem (quarta-feira), não poderiam estar hoje na pauta”, citou ele, que logo em seguida recebeu a defesa de outros parlamentares.
Fazendo coro à cobrança, o deputado Renato Roseno (Psol) pediu retirada da mensagem: “independentemente se é situação ou oposição, acordou-se um procedimento, portanto, eu queria chamar a atenção da necessidade desse procedimento ser respeitado”.
Os deputados de oposição, inclusive, apresentaram um documento assinado por Audic Mota (PMDB). Tin Gomes (PHS), que presidia a sessão plenária, acatou a solicitação.
“Em decorrência da solicitação do PMDB, do Psol e de outros partidos que querem discutir mais essa matéria ate mesmo por ter 9 emendas de plenário onde ia estender essa discussão aqui até mais tarde, e a matéria precisa ser mais discutida, eu vou acatar a solicitação dos líderes para que, aí, somente a pauta seja colocada em votação na próxima quinta-feira (5) dando tempo de ter várias discussões e mais debates”, pontuou ele.
Posição
Tanto no plenário quanto nos corredores da AL, o assunto era o mesmo: as consequências do projeto oriundo do Governo. O deputado Ely Aguiar (PSDC) questionou por que outros setores também não são beneficiados pelo Estado. “Por que não existe incentivo para o micro, médio, empreendedor? O empresário que gera emprego e não polui?”, salientou, completando que “no mundo moderno não se utiliza mais essas usinas, elas são consideradas lixos poluentes”.
Tomaz Holanda (PMDB), por sua vez, lembrou que alguns países já aboliram o uso das termelétricas devido à poluição. O deputado Capitão Wagner (PR) anunciou que votará contrário ao incentivo fiscal.
Já o deputado Zé Ailton (PP), que é favorável, saiu em defesa do Governo. Segundo ele, a medida servirá para evitar déficit de energia no Estado. Inclusive, o parlamentar apresentou emenda ao projeto.”Tendo em vista que a termelétrica só será acionada no momento de crise energética. Para que no momento de escassez de energia a gente possa ter a garantia para que o nosso sistema possa funcionar normalmente. Eu coloquei uma emenda quegarante que o Estado não terá nenhuma diminuição em termo de arrecadação, nenhum prejuízo financeiro em termo de arrecadação de ICMS, com relação ás termelétricas”, afirmou.
Comissão
Entre as críticas ao projeto, a deputada Silvana (PMDB) cobrou que a proposta fosse discutida pela comissão de meio ambiente e acusou a base governista de manobra, o que foi rebatido pelo deputado Júlio César (PDT).
Galerias
Enquanto isso, movimentos ambientalistas ocupavam a galerias da Casa. Eles questionavam os impactos causados pela construção de mais usinas.Beatriz Araújo, do movimento Verdeluz, alertou sobre os prejuízos das usinas. “As termelétricas consomem uma quantidade absurda de água. Só as três que a gente já tem consome o equivalente a 900 mil pessoas. Essas usinas emitem uma quantidade absurda de gás de efeitos estufa, que é equivalente a quatro vezes a frota automobilística do Estado do Ceará”.
Já o ambientalista Alexandre Costa, do movimento Ceará No Clima, defendeu a revisão de todos os benefícios já concedidos às termelétricas. “Não apenas conceder os benefícios para as termelétricas. Deveriam apresentar projetos de revisão de todos os subsídios já existentes.”

Cumprindo ordens

Bancada do PMDB sai em defesa de Adail

A bancada do PMDB na Assembleia Legislativa defendeu, em pronunciamento, ontem, o posicionamento do deputado federal Adail Carneiro (PP) de votar a favor da abertura do processo do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), no último dia 17, na Câmara dos Deputados. Discordando das diversas críticas feitas ao deputado, os peemedebistas argumentaram que Adail apenas teria cumprido uma determinação partidária.
O deputado Agenor Neto (PMDB) avaliou que, apesar de Adail Carneiro ter sido secretário do Governo Camilo Santana (PT) e ter se comprometido em apoiar Dilma durante a votação, inclusive participando de reunião com a presidente dias antes da deliberação, o parlamentar federal não poderia ir contra a orientação do Partido Progressista. “Os que votaram contra o impeachment estão sendo expulsos do PP”, afirmou ele.
Já Danniel Oliveira (PMDB) parabenizou Adail, que, por atender à orientação de seu partido, foi contemplado com a presidência do PP no Ceará, o que, segundo ele, é um cargo de confiança e de reconhecimento por seguir a orientação partidária. “Quero dizer que o deputado Adail foi injustiçado com as críticas só porque votou com a maioria da população e por orientação de seu partido. Portanto, não traiu ninguém”, frisou.
Solidariedade
Joaquim Noronha (PRP) também se solidarizou com o deputado federal. “Não quero adentrar em matérias pessoais, mas não concordo com o que foi dito contra o deputado neste plenário ontem”, afirmou ele, acrescentando que Adail sempre honrou seus votos, trabalhando pelo Ceará. O parlamentar lembrou que Adail, quando era membro do PHS, pediu licença da Câmara Federal para assumir uma secretaria de Governo do Estado. “Tenho todo o respeito pelo deputado federal Adail Carneiro, por todos os deputados federais e estaduais. Por isso, quero pedir que os nossos pares tenham respeito com os demais colegas parlamentares”, ressaltou.
Justiça
Deputados estaduais do PP no Ceará, por sua vez, ameaçam ir à Justiça contra decisão do comando nacional do partido. Pelo menos, foi o que afirmou que o deputado estadual Zé Ailton Brasil (PP). Segundo ele, a bancada, até agora, não recebeu comunicação oficial sobre a mudança.
Nos últimos dias, a indicação de Adail para o comando do PP no Ceará tem sido vista como “traição”. Aliados do Padre Zé Linhares têm defendido sua permanência à frente da sigla. Inclusive, na última quarta-feira (27), deputados da legenda usaram a tribuna do Legislativo estadual para criticar o comando nacional do PP. Fernando Hugo (PP), por exemplo, classificou o ato de “canalhice”.

Coluna do blog



 Água limpa
Quem chega primeiro à fonte bebe água limpa. Domingos Neto, o deputado federal filho do Domingos Filho e da Dona Patrícia Aguiar, teve a coragem cívica de largar de mão de um cargo importante que detinha politicamente no DNOCS e pedir eleições já, ainda assim votando contra o impedimento da presidenta Dilma. Criado em berço político e esse berço, forrado de histórias de posturas corretas, o “menino” deu lição ao pessoal e já junto assinaturas pra mais da metade da Câmara dos Deputados pra provocar eleições já já. O que o “menino” quer? Simples, penso eu; uma saída honrosa pra o conflito e criar a oportunidade de o País se reencontrar no plebiscito onde não haja um CunhaXDilma, nem um Temer+Tucanagem no desespero pelo poder, porque isso aí nada mais é do que uma mídia dolorosamente desonesta, articulada com o empresariado paulista e mais uns e outros querendo levar uma ponta entregando aqui e acolá, patrimônios nacionais. Calma, não vou falar em golpe, não. Todo mundo disso já sabe e não é pra ficar batendo na mesma tecla. O armado deu certo pra quem armou e até a lava jato silenciou como se dissesse...missão cumprida, acaba com essa arrumação que o Moro tem que ira pra NY receber um papel lá, da organizada Time, sempre na direitona na defesa dos interesses americanos. Pois bem e como eu ia dizendo, Domingos Filho botou o cavalinho na estrada e juntou seu nome à história. Ta todo mundo nas águas dele, até o PT e, se o mote eleições já prosperar, por favor não inventem outro autor.

A frase: “Sexta-feira é o dia em que a virtude prevarica”. Eita Nelson Rodrigues.



E povo, pensa?
Segundo  enquete realizada pelo IBOPE, entre os dias 14 e 18 de abril, 62% preferem a destituição do governo e o chamamento de novas eleições; 25% optam pela manutenção da presidenta com governo reformulado; 8% preferem o governo do vice Temer; e outros 5% não sabem opinar ou manifestam outras preferências. Por sua vez, em pesquisa efetuada entre os últimos dias 9 e 12, sobre o cenário de disputa presidencial, o Vox Populi registrou que num enfrentamento entre Lula, Marina, Aécio, Bolsonaro e Ciro, os percentuais são 29% para Lula, 18%, 17%, 7% e 5%, sucessivamente. 16% e 7% escolheram branco, nulo ou não souberam responder. Já num cenário direto entre Lula, Marina e Aécio, os resultados foram 31%, % e 20%, respectivamente, com 19% e 7% de brancos, nulos e sem resposta.

Esperando
As pessoas sérias estão aguardando que se faça justiça ao Padre Zé, que deu ao PP, honra, dignidade, ética, seriedade, honestidade e, principalmente seu prestígio pessoal, um toque sem que fosse preciso fiança ou manobras.

Quem afiança o PP?
Deputados e vereadores em Fortaleza e no interior sabem o que se afirma sobre Zé Linhares enquanto presidente do Partido Progressista no Ceará e membro da executiva nacional. Sua saída do PP no Estado em troca do voto “sim” de Adail, assina, por si só a indecência do comando partidário.

Briga na roça
“Não posso aceitar de forma alguma, é hoje ler nas redes sociais, o prefeito Jaime Júnior querendo desgastar a minha imagem, como se estivesse em cima dos palanques de Icó agredindo os seus adversários.” Simão Pedro prefeito de Orós, numa briga onde a saúde do povo tá no meio.

Canalhice
Sabe o Haleluya? É aquele encontro que cuida da religiosidade junto à Igreja Católica, movimento anual do Shalon. Eles pedem um quilo de alimento não perecível para acesso às solenidades. Pois este ano quando abriram latas de leite em pó, tinha areia.

Inteligência?
O Governo do Ceará todo dia leva uma paulada na moleira perdendo dinheiro do FPM. Camilo fica feito doido arrumando a casa pra não deixar atrasar salários. Pois agora, pra coroar esses esforços, a inteligentzia educacional faz greve pra exigir aumento.

Mais pra frente
A primeira fase da seleção simplificada para banco de professores temporários – uma prova de conhecimentos básicos e específicos, mudou de data: será dia 22 de maio. A informação está no site do Governo do Ceará.





Bom dia

Comissão recusa documentos que derrubariam denúncia contra Dilma
Colegiado fez oito votações para rejeitar todas as provas de que Dilma agiu dentro da lei
A Comissão Especial do Impeachment recusou, nesta quinta-feira (28/4), oito requerimentos de documentos que comprovariam a falta de base legal da denúncia contra a Presidenta da República, Dilma Rousseff. Recurso regimental apresentado pelo líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), possibilitou que os requerimentos fossem votados separadamente, mas todos foram recusados pela maioria do colegiado.
A rejeição dos requerimentos foi proposta pelo relator da Comissão senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) e provocou reação imediata dos senadores do PT e de outros partidos de apoio ao governo. O senador Lindbergh Farias afirmou que “a decisão do relator confirma que Anastasia não tem a parcialidade necessária para ocupar a função, já que seu partido defende o afastamento da presidenta”.
A senadora Gleisi Hoffmann ponderou que os documentos requisitados são essenciais para analisar a admissibilidade do impeachment. “Estamos sendo impedidos de fazer a defesa da presidenta Dilma, pois esses documentos demonstram que decisões administrativas não podem ser imputadas a ela”, destacou.
Os documentos requisitados demonstram que a presidenta não pode ser acusada de crime de responsabilidade com base em uma operação de crédito realizada pelo Banco do Brasil, relacionada ao Plano Safra, e na assinatura de seis decretos orçamentários. Os requerimentos solicitam documentos ao Tribunal de Contas da União, ao Conselho Monetário Nacional, ao Congresso Nacional, ao Banco do Brasil, a órgãos do judiciário, além dos ministérios da Agricultura, Fazenda, Integração, Justiça, Defesa, Ciência e Tecnologia, Educação, Trabalho e Previdência, Direitos Humanos.

Fideralina; ai de quem ela não gostasse

Livro sobre Fideralina Augusta é lançado na Assembleia Acontece na próxima quarta-feira (25), às 19h, no auditório Murilo Aguiar, na As...