domingo, 30 de março de 2014

Lí no blog do eliomar de lima

Triste sina

Em artigo no O POVO deste sábado (29), o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante acredita que Cid Gomes deve renunciar nos próximos dias. Confira:
A lucidez do déspota é a desmesura. Acredito que a democracia é um sistema corretivo. Não deixa que o déspota pense além do prazo. O voto vem e desmancha as ilusões mais mordazes que possam ser armadas. Recentemente, disse nesse mesmo espaço, que o governo Cid Gomes era moribundo. Essa semana ele vai acabar… E, a hora da inana chegou. (inana – situação difícil, aflitiva. Aquilo que causa aborrecimento, amolação. Briga, pancadaria.) O processo se desenha confuso. Não é possível contentar a todos. Vai sobrar gente na curva, apesar de promessas, juras e compromissos de todos os tipos.
Gostaria de refletir sobre o significado das alianças partidárias. O antes e o depois. Na campanha, juras de amor total. Nunca nos afastaremos. Buscaremos o melhor para nosso povo. Eleitos, vem a partilha. Cada um cuidando da fatia que lhe cabe “nesse latifúndio”.
Chegada a sucessão, os amores se despedaçam. Não ficam cacos da aliança. Detona-se o “salve-se quem puder.” Aí as feridas e traumas mostram-se a céu aberto. Fraturas expostas.
No Ceará, agora, estamos com este cenário. O governador se acha no direito de fazer o sucessor. Por que? Para que? Pouco importa. Ele quer. Aí, como tem uma história de tempo de televisão, um partido (PMDB) aliado de primeira hora e um PT (leia-se Guimarães) louco para ser senador, a coisa complica. Só tem lugar para dois, quando são, pelo menos três disputando. (Sem falar no PCdoB) que ainda sonha com Inácio ao Senado…
E os interesses do Ceará? Ficam temporariamente desligados, até que se faça uma chapa boa de ganhar. Mesmo que tudo já venha distribuído e com donos…
Assuntos como a violência, a seca, a saúde, a educação ficam postergados. Não se fala disso por enquanto. Isso não é o essencial. Inventa-se uma coisa mágica. Da outra vez, as Hiluxs do Ronda não conseguiram engabelar? E o aquário, quem vai concluir? E a refinaria? E a siderúrgica? Promessas para próxima campanha. Tenha calma!
Ninguém sabe apontar onde estão as divergências ideológicas desses senhores. Por que eles estão juntos ou separados, se a única causa que os motiva é o poder pelo poder. Sentar naquele trono e dizer: o rei agora sou eu!
Triste Ceará. Foi assim. É assim. Será sempre?

Penso eu - Meu Deus!  Pensei que o querido Mourão já tivesse digerido a pisa que levou com o Poste nas eleições pra Prefeito de Fortaleza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário