domingo, 31 de março de 2013

Coisas dos coloridos

Barrados no poder
Quando esteve com o Papa Francisco, em Roma, Dilma Rousseff passou longe de temas como homossexualidade, pedofilia e aborto. Um dia antes, porém, havia declarado que “o mundo pede que as opções diferenciadas das pessoas sejam compreendidas”, o que animou a comunidade LGBT que, agora, através de suas diversas entidades de representação, estão organizando um abaixo-assinado na internet. E surpreendentemente, pedem que seja distribuído nas escolas o famoso kit gay, lançado nos tempos em que Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo, era ministro da Educação, gerando a maior polêmica. Há trechos em que ensina pré-adolescentes até mesmo posições e precauções. Apenas o Grupo Gay da Bahia, contudo, manifesta sua estranheza diante da ausência de qualquer gay assumido em alguma posição de destaque do governo Dilma.
Raros exemplares
Nos corredores do poder, em Brasília, quem acompanha essas manifestações das entidades LGBT, contudo, lembram que há um ministro que, há tempos, já saiu do armário, representa grande partido e, de vez em quando, é traído por uma quebrada de mão exagerada. Há também um portador de HIV, condição que é de conhecimento de poucos, que ele prefere esconder e Dilma sabe, só que não se sente em condições de tocar no assunto com o próprio. E nesse caso, nem sabe se ele é gay ou foi infectado de outra maneira.
Aliás...


Amigas íntimas

Quem está em São Paulo para fotografar a campanha do Dia dos Namorados para a rede C&A é a cantora britânica Rita Ora, 22 anos (esquerda), nascida no Kosovo e hoje sucesso no Reino Unido, onde foi lançada com apoio do rapper Jay-Z. Rita é bissexual assumida e está tendo um Love affair com a modelo (também britânica) Cara Delevingne, 21 anos (à direita e com Rita no destaque), em fase de total ascensão e que acaba de ser eleita Modelo do Ano pela British Fashion Awards. No ranking mundial, ela está em 17º lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Capa do jornal OEstado Ce