terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Sobralense náo aluga roupa, compra em Paris ou NY

Segmento de locação de roupas cresce em Sobral

As formaturas semestrais das várias faculdades da cidade aquecem o mercado de aluguéis de roupas
Sobral. Com cerca de 200 mil habitantes e considerada uma cidade universitária, este município da Zona Norte do Estado tem um comércio de aluguéis de roupas que é um dos que mais cresce nos últimos anos. Com formaturas a cada seis meses e investimento em festas particulares de alto nível, como casamentos e 15 anos, as locadoras têm procurado diferenciais para se manter à frente no mercado.

Na locadora Visual de Noiva, em Sobral, a empresária Francisca Maria Vasconcelos procura comprar matéria-prima fora da cidade e até do Estado para garantir a exclusividade das peças e evitar roupas parecidas nos eventos FOTO: JESSYCA MARQUES


Trabalhando com roupas há quase 15 anos, a empresária Francisca Maria Vasconcelos Cavalcante, proprietária da locadora Visual de Noiva, explica que a exclusividade é o seu diferencial. Em seu estoque, cerca de 90% do vestuário feminino foi confeccionado pela loja. "Muitas dessas peças foram desenhadas por mim e levadas para a estilista ´limpar´ o croqui, deixando o desenho mais profissional".

A empresária conta que a locadora iniciou com dois vestidos de noiva. "O primeiro foi pra minha irmã, e o segundo também foi para uma parenta. Eu tinha uma loja de roupas há uns 15 anos, e comecei a alugar os dois para que não ficassem encostados. Foi aí que a dona de outra locadora perguntou se eu ia seguir nesse ramo. Falei que eram apenas dois vestidos e ela respondeu que, muitas vezes, se começava apenas com um".

Como a locadora possui ateliê próprio, Francisca Maria explica que sua matéria-prima é comprada em São Paulo ou importada, como no caso dos Cristais Swarovski, usados, principalmente, nos vestidos de noiva. "Evito comprar os tecidos na região para que a pessoa tenha certeza de que está contando com uma peça única. O máximo que compro aqui é o forro. Por mais que não seja o mesmo modelo, muitas mulheres se sentem constrangidas de aparecer numa festa e ter outra usando a mesma renda".

Para a confecção do vestido de casamento, a empresária aponta que pode fazê-lo em um mês, mas, normalmente, pede um prazo maior, para evitar contratempos. Uma das principais dificuldades da empresária é a mão de obra para o ateliê, pois na cidade ainda não existe um curso de corte e costura. "As costureiras que trabalham comigo são cuidadosas, pois sabem que cada peça que se erra é um custo a mais para nós. Então, na hora em que preciso de uma nova costureira na equipe é difícil de encontrar. Além disso, bordamos todos os vestidos à mão, trabalho que exige paciência".

Sobre o preço do aluguel, a empresária esclarece que depende muito da peça. "A locadora trabalha hoje com fantasias, vestidos para festas, vestidos de noivas, daminhas, infantil e masculino, sendo que este último é o único comprado completamente pronto de São Paulo", disse.

O preço depende ainda de qual aluguel será. A primeira locação, geralmente, custa quase o dobro do valor de uma roupa em segundo aluguel. "Temos vestidos de noiva de R$ 150 até R$ 3 mil. O preço depende muito do modelo e das pedras que o vestido levou. Temos pacotes, com roupa dos noivos e daminha e pajem, por cerca de R$ 1 mil. E a pessoa leva o traje completo. Brinco até que, no dia, a única coisa que é da noiva, de fato, é a roupa íntima", explica.

O setor de locação de roupa tem se desenvolvido principalmente nos últimos cinco anos. Segundo a secretária de Tecnologia e Desenvolvimento Econômico (STDE) do município, Daniela Costa, o fato de a cidade ter se desenvolvido como polo universitário contribuiu bastante.

"A cada seis meses temos turmas se formando. Então, tanto o ramo de locação de roupas como de eventos em geral tem sido um dos grandes destaques. Algumas locadoras compram containers de roupas importadas de grandes estilistas, já outras investem na confecção de peças próprias. Essa é uma das características do desenvolvimento da cidade", afirma ela.

Daniela aponta ainda que o perfil do sobralense é fazer festas com produção de mega eventos. As festas de 15 anos também estão sendo um destaque, com até cinco roupas para a aniversariante. "Hoje, não vale mais à pena você investir dinheiro em um vestido de alta costura, sendo mais prático alugar", finaliza.

Deu no jornal Diário do Nordeste.

Penso eu - Aposto todas as minhas fichas se tiver um sobralense alugando roupa. Em  Sobral, o sobralense verdadeiro vai a roma,Londres,Paris e NY comprar roupa. Isso deve ser coisa de imigrante que chegou por lá puxando uma cachorrinha e quer se enturmar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gênio!

As andanças e declarações do ministro Salles na Espanha O Acordo de Paris é para o país levar vantagem O ministro Ricardo Salles deu uma ent...