terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Republicanos acabam entendendo que é melhor ajudar Obama que perder mais voto dos 11 milhões de latinos


Senadores fecham acordo para propor reforma migratória


Um grupo bipartidário de senadores dos Estados Unidos fecharam um acordo para uma proposta de reforma migratória no país, que foi anunciada na tarde de ontem, em entrevista coletiva no Congresso americano.
As medidas respondem ao aumento da influência dos latinos na política nacional e mostram uma cessão dos republicanos à questão dos imigrantes ilegais. Segundo os resultados finais da eleição de novembro, 71% dos chamados hispânicos votaram no presidente Barack Obama, que é democrata.
O projeto de oito senadores prevê que imigrantes ilegais sejam autorizados a fazerem os trâmites para pedir a residência permanente. Com isso, os estrangeiros deverão fazer o pedido ao governo e pagar uma multa pela invasão para conseguir a residência e a permissão para trabalhar.

Atualmente, os indocumentados são obrigados a esperar o fim do processo judicial pela entrada ilegal para poderem solicitar a residência. No período, eles são sujeitos à deportação, o que os separa de suas famílias e de filhos que já nasceram nos Estados Unidos.
Com a nova medida, pelo menos 11 milhões de pessoas poderão ter a sua situação regularizada. Cerca de 40% dos imigrantes que entraram ilegalmente aos Estados Unidos o fizeram com vistos de turistas, válidos por 90 dias.

SEGURANÇA
Porém, as medidas que vão facilitar o processo do visto permanente só serão autorizadas após o reforço da segurança nas fronteiras, com o aumento no número de agentes e aviões não tripulados que vigiam as áreas divisórias, em especial com o México.

O governo também deverá monitorar a situação dos imigrantes que possuem vistos vencidos. O projeto ainda prevê criar uma comissão de líderes políticos e comunitários para vigiar o cumprimento da segurança na fronteira e restrições aos benefícios públicos os ilegais que tramitam a legalização.
A proposta ainda será votada pelo Senado, de maioria democrata, para que depois seja enviada à Câmara, onde estão os republicanos. Caso confirmada, será a maior reforma migratória desde 1986, quando o presidente Ronald Reagan anistiou mais de 3 milhões de indocumentados.

Em setembro, o presidente Barack Obama autorizou a residência aos jovens estudantes que vieram quando crianças aos Estados Unidos, mesmo que seus pais continuem a ser imigrantes ilegais. O grupo é formado pelos senadores republicanos John McCain, Jeff Flake, Lindsey Graham e Marco Rubio e os democratas Charles Schumer, Dick Durbin, Michael Bennet e Robert Menedez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gênio!

As andanças e declarações do ministro Salles na Espanha O Acordo de Paris é para o país levar vantagem O ministro Ricardo Salles deu uma ent...