quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Coluna do blog



Eu só queria entender...
Insistem em maximizar o poder político do Governador Cid Gomes, colocando-o, ao lado dos irmãos Ciro e Ivo – um sem mandato o outro deputado estadual – como uma oligarquia sobralense, coisa que, por sinal, chega mesmo a envaidecer os sobralenses de fato, ou seja, os que sabem ler e às vezes até assinar o nome. Falam nesse poderio como se fosse a coisa mais horrível do mundo, como se os jovens senhores e seus mandatos fossem algo feio, nojento, errado, incompatível com os tempos modernos. É como se os senhores em questão não tivessem competência para exercer os mandatos que o povo lhes deu e a confiança que neles deposita. E olhe que as coisas não são assim fáceis para os três, não. Em Sobral, terra natal lá deles, suaram a camisa pra eleger um petista, o Veveu, pra continuar no comando da Prefeitura,eis que vinha de ser vice de Leônidas Cristino, afastado pra tomar de conta de estacionamentos de navios no Governo Dilma. Mas o que é mesmo oligarquia? Entre os anos de 1889 (Proclamação da República) e 1930 (início da Era Vargas), o Brasil foi governado por uma elite, formada por grandes proprietários rurais e pecuaristas (conhecidos como coronéis). Os interesses sociais de grande parte da população foi deixada de lado, sendo que a política era feita para garantir os interesses políticos e econômicos desta oligarquia. Este sistema também foi conhecido como coronelismo. Com todo o respeito, não vejo oligarquia formada nem pelos irmãos FGs, nem por uma elite de riquinhos, por exemplo. Quem está no Governo além do PSB? O PT de três Secretários e outros quetais, por exemplo. E os partidos aliados com seus interesses? E quem disse que o povo não vem recebendo o que merece, o que ainda não é tudo? E quem dalí tem caras e bocas de coronel? Longe de defende-los quero apenas colocar o que vem a ser oligarquia. Por acaso seria tentativa de oligarquia querer botar um poste sem luz no poder? Competência pra se eleger e eleger os seus seria pecado mortal, capital ou venial? Qualquer se seja não será mais cabeludo do que o pecado de não saber ganhar eleição.

A frase: “...a oligarquia de Sobral se utilizou de práticas atrasadas para ganhar a eleição em Fortaleza”. De Elmano de Freitas entendendo agora porque Fortaleza faz parte da grande Sobral.

Colecionando imagens(Nota da foto)
Tem gente que adora colecionar imagens e figurinhas aparentemente difíceis. Taí uma.

Queda e coice
A turma que não perdoa anda zoando o elegante Lúcio Alcântara: Perdeu 30 anos de história em São Gonçalo,onde o Prefeito é Cid, terra dele e em Fortaleza aliado ao PT.

Primeiro tempo
“...vou botar todos eles para funcionar. Essa foi uma das promessas de campanha e vou cumprir”. Roberto Claudio no discurso da vitória sobre os postos de saúde da capital.

Boca falou...
O PT perdeu novamente a disputa pela prefeitura da cidade de Pelotas (RS), e logo para um tucano, Eduardo Costa, que somou 57,15% dos votos, contra 42,8% de Fernando Marroni (PT).

...pagou
Os petistas não vencem eleições na cidade desde a divulgação de um vídeo, em 2002, no qual o então candidato a presidente Lula definiu a cidade como "pólo exportador de viados".

Quase imortal
A Academia Cearense de Letras homenageará o Chanceler Airton Queiroz com a Medalha Barão de Studart, segunda feira próximo dia 05/novembro, às 19h.

Saco de dinheiro
Dezembro próximo terá cinco sábados, cinco domingos e cinco segundas. Isto, conforme os matemáticos, somente ocorre a cada 824 anos. Os chineses chamam este acontecimento de “saco do dinheiro”.

Chorinho do acordo
O Fórum Clóvis Beviláqua será palco de apresentações culturais e artísticas, durante a Semana Nacional de Conciliação, que ocorre entre 7 e 14 de novembro.

Especial
Uma programação especial está sendo preparada para recepcionar quem comparecer às audiências que buscarão acordo. As atrações foram definidas. Haverá exibições de chorinho, flauta e coral, promovidos pelo Espaço Viva Gente.


Produtividade da Justiça
Em 2011, cada juiz paulista julgou, em média, 1.779 processos. Já no Rio de Janeiro a produtividade média foi bem maior: 2.913. Mas a situação é pior em outros estados. Em Minas Gerais e em Goiás, cada magistrado deu, em média, pouco mais de mil decisões em 2011.  No Ceará e no Piauí, a média cai para 451 e 396 sentenças por magistrado, respectivamente. Os dados são da pesquisa Justiça em Números, que o Conselho Nacional de Justiça acaba de divulgar. Esta coluna conhece ação conclusa pra julgamento faz 60 dias, num Forum eleitoral e dorminhocamente repousa da gaveta de Sua Excelência.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bom dia

Militares aceitam proposta encaminhada por comissão e decidem encerrar paralisação  ...