quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Violenta campanha no interior do Ceará - Mas tem muita artistagem entre tirinhos e ameaças

Atentados à bala, prisões, denúncias de corrupção eleitoral (compra de votos) e todo tipo de fraude têm dado o tom da campanha política, este ano


 A campanha política deste ano, no interior, apresenta-se como uma das mais violentas dos últimos tempos. Atentados à bala, denúncias de compra de votos e todo tipo de fraude têm dado o tom da disputa eleitoral, gerando muito trabalho à Polícia e à Justiça Eleitoral.

As regiões do Sertão Central, Inhamuns, Norte, Cariri, Centro-Sul e Vale do Curu aparecem nas estatísticas com elevado índice de ocorrências de irregularidades. As polícias Federal, Civil e Militar intensificam o trabalho de fiscalização, como forma de coibir os abusos e a violência. Reforço policial já foi solicitado para mais de 30 municípios, número que tende a aumentar até o dia 7 de outubro.

Casos de grande repercussão na mídia já foram registrados nos diversos municípios cearenses. Na última semana, por exemplo, 13 pessoas do alto escalão da administração municipal foram presas e outras afastadas de seus cargos, incluindo o prefeito e o presidente da Câmara de Vereadores, na cidade de Trairi (no Vale do Curu), sob a acusação de corrupção eleitoral e outros crimes. O município, inclusive, passou cinco dias sem prefeito, em razão do problema.
Antes, a residência da prefeita de Orós, Maria de Fátima Maciel (PSB), havia sofrido um atentado à bala. Até o carro da prefeita foi atingido pelos disparos. O fato foi comunicado à Polícia, mas até agora ninguém foi preso. As investigações prosseguem.
TRÁFICO FINANCIAVA
CAMPANHA

Ainda na última semana, na cidade de Cariús, a Polícia Federal, através de investigações, verificou que políticos candidatos a cargos eletivos municipais eram responsáveis pelo tráfico de cocaína entre Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e os estados do Mato Grosso e do Ceará. Durante a Operação Cariús, o candidato a vereador da cidade, Ezivan Gonçalves de 47 anos foi preso acusado de ser um dos líderes de um grupo internacional de tráfico drogas e participar de corrupção eleitoral.

O candidato a vereador, que já havia cumprido pena por tráfico de drogas, é acusado de ser um dos chefes do grupo que trazia entorpecentes de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, para o Ceará. Ezivan utilizava o dinheiro vindo do tráfico para o uso de compra de votos, juntamente com sua esposa, a candidata a prefeita de Cariús, Natália Ferreira, de 28 anos. Natália foi presa apenas por corrupção eleitoral, pois sua participação no tráfico de drogas não ficou comprovada.
NOVO ATENTADO
Na madrugada de ontem, foi registrado um novo atentado à bala no interior. Segundo informações do jornalista Amaury Alencar, a Polícia Militar foi acionada, na Cidade de Milhã, no Sertão Central, para investigar um atentado contra a residência do candidato a prefeito, pela oposição, Otacílio Macêdo (PP). Na oportunidade, a Polícia constatou que três tiros foram disparados.
Conforme o Centro de Operações Policiais Militares (Copom), da cidade de Quixadá, que tem jurisdição sobre Milhã, o autor seria um sujeito alto, magro, utilizando uma moto Honda Bros, de cor vermelha. A Polícia iniciou as diligências para identificar e prender o acusado.

No início da noite de ontem, o jornalista Antônio Carlos Alves informou que o clima na cidade estava mais calmo, uma vez que a cidade recebeu reforço policial em razão de um evento que seria realizado. O candidato Otacílio Macêdo registrou Boletim de Ocorrência e pediu providências das autoridades constituídas.
CARIRI
A Polícia Federal, acionada pelo Ministério Público, tem investigado várias denúncias de compra de votos nos municípios do Cariri, com maior intensidade em Crato e Juazeiro do Norte. As denúncias, geralmente feitas pela população, chegam através da Ouvidoria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e Procuradoria Regional Eleitoral e são compiladas pelas zonas eleitorais, que ainda não sabem informar um número preciso. Em Juazeiro do Norte, são investigados casos de candidatos a vereador que estariam comprando votos a R$ 50,00 e copiando originais de títulos como garantia de cumprimento do acordo de compra.

No Crato, a Polícia Federal investigou no Posto de Saúde da “Grota”, denúncias de que estariam sendo distribuídos remédios junto com material de campanha de candidatos a vereador. Funcionários e militantes dos candidatos foram convidados a dar esclarecimentos e o material encontrado foi apreendido. A onda de violência durante a campanha política no interior vem merecendo atenção redobrada das autoridades policiais e da Justiça, que trabalham para evitar o derramamento de sangue, o que agravaria o quadro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cactus na Assembleia