quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Apesar de voce...

A titular da Semace deixou nas entrelinhas dificuldades de gestão frente às divergências com Cid Gomes.
E ofereceu a música ''Apesar de Você'', de Chico Buarque
O livro fotográfico da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) tornou-se, na manhã de ontem, mero coadjuvante em sua própria solenidade de lançamento. No auditório do órgão, o evento mais parecia uma grande homenagem à superintendente da Semace, Lúcia Teixeira, que deixa o órgão hoje, após pedir demissão por “divergências de olhar sobre o meio ambiente” com o governador Cid Gomes (PSB).

Apesar das homenagens de servidores e do discurso de despedida, nada foi dito sobre a real motivação de Lúcia para pedir demissão, na última segunda. Tudo ficou nas entrelinhas, a começar pela música que ela ofereceu aos presentes antes da abertura do evento. “Hoje você é quem manda, falou tá falado, não tem discussão, não”, dizia a letra de “Apesar de Você”, de Chico Buarque de Holanda.

“Eu escolhi essa música porque ela é bastante simbólica”, explicou Lúcia, com voz trêmula, ao iniciar sua fala. Ao usar a música, a ainda titular da Semace faz aparente alusão às dificuldades que já afirmou ter tido para gerir o órgão ambiental frente às divergências de olhar com o governador. Ela foi composta no período da ditadura militar, quando as críticas ao regime tinham de ser feitas de maneira subliminar para burlar a censura.

A procuradora Sheila Pitombeira, do Ministério Público Federal, elogiou o respeito de Lúcia pela Semace e disse ficar “irada” quando ouve alguém falar mal do órgão. “Ela tem a altivez de quem sabe crescer com consciência (ambiental). Não se trata de ser ecoxiita, como muitos dizem, mas de responsabilidade com o meio ambiente”, alfinetou.

Três servidores subiram ao palco do auditório para cantar uma música de Roberto Carlos para a superintendente. “Amigos eu ganhei, saudades eu deixei partindo”, ajudavam em coro e em palmas os demais funcionários do órgão. Ela recebeu flores e manteve os olhos cheios de lágrimas durante o evento. “A senhora brilhou aqui, por sua simplicidade”, disse uma servidora ao microfone. Na segunda-feira passada, Lúcia já havia reunido os servidores do órgão para comunicar seu pedido de demissão.

Agora, Lúcia deve retornar à função de procuradora da Procuradoria Geral do Estado (PGE). O órgão é chefiado pelo procurador-geral Fernando Oliveira, autor da lei que facilita a concessão de licenças ambientais para algumas obras públicas, matéria que provocou o pedido de demissão dela.

O motivo da saída
A crise instaurada entre a superintendente da Semace e o Governo resultou do projeto que facilita a concessão de licenças ambientais para algumas obras públicas. Enviada por Cid Gomes à Assembleia, a matéria foi aprovada após ter artigos alterados. Além de questionar a “dispensa” de licença ambiental, como o texto previa anteriormente, Lúcia criticou a intervenção do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente (Conpam) nas concessões de licença ambiental. Função até então exclusiva da Semace.

A convite de Cid, Lúcia assumiu a Semace em junho de 2009, após afastamento do ex-superintendente do órgão, Herbert Rocha. Ele foi preso na Operação Marambaia, acusado de conceder licenças a construções irregulares.
Deu no O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Editorial do Estadão

Linha vermelha O ministro da Educação, Abraham Weintraub, tem de ser demitido. Sua errática gestão já seria razão suficiente, ma...