terça-feira, 24 de maio de 2016

Autópsia do golpe


foto guimarães deputado 151202
“A revelação destes diálogos é a autópsia do golpe. Fica evidenciado que este comando do PMDB articulou, patrocinou e engendrou o maior golpe na história da democracia brasileira. Agora, com a farsa do golpe estampada o que a sociedade vai fazer? O que o Supremo vai fazer? E o Senado, o que vai fazer”?
A declaração é do líder da minoria na Câmara Federal, deputado José Guimarães (PT-CE), nessa segunda-feira (23), sobre os diálogos entre o então senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, em março último, divulgados pela Folha de S.Paulo. “É um fato muito grave e evidencia para o país o que estava por trás de todo o processo ilegal de impedimento da presidente Dilma”, comentou.
Guimarães cobrou que a apuração do diálogo do senador Romero Jucá seja tão rápida como no caso do senador cassado Delcídio Amaral. “Foi feito tudo com o Delcídio, então é preciso que seja feito tudo também com o senador Romero Jucá. (…) Vimos a rapidez com as que as coisas se conformaram no episódio de Delcídio, então, é preciso também a mesma rapidez no caso do Jucá, é um senador também”, disse.

OBrasil visto lá de fora


Gravação de ministro sobre Lava Jato abre crise no novo governo brasileiro

Um dos principais ministros de Michel Temer, Romero Jucá foi apanhado em flagrante a dizer que a maior operação de combate à corrupção no Brasil devia ser travada - e que a Presidente Dilma devia ser afastada para isso acontecer
Ministro Romero Jucá chamou a imprensa para dizer que não se demite após divulgação de gravação comprometedora AFP/EVARISTO SÁ
Tenos de duas semanas depois de Michel Temer ter assumido a Presidência interina do Brasil na sequência do afastamento de Dilma Rousseff pelo Congresso, estalou uma crise no seu Governo que já custou a cabeça de um dos seus principais ministros. Romero Jucá, ministro do Planeamento, Orçamento e Gestão, investigado por suspeita de corrupção no escândalo da Petrobras, anunciou nesta segunda-feira que vai deixar o cargo, depois de a imprensa brasileira ter divulgado uma conversa gravada sem o seu conhecimento, onde ele explicita que a então Presidente Dilma Rousseff teria de ser afastada para impedir a Operação Lava Jato de atingir políticos e empresários ligados ao seu partido, o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro).
A Folha de S. Paulo divulgou excertos do diálogo trocado entre Jucá e Sérgio Machado, ex-presidente de uma transportadora de petróleo subsidiária da Petrobras, a Transpetro, semanas antes da votação na Câmara que desencadeou o impeachment (processo de destituição) da Presidente Dilma Rousseff. A conversa, que dura uma hora e 15 minutos, foi registada sem o conhecimento de Jucá. A Folha não informou como obteve a gravação, explicando apenas que ela se encontra em poder da Procuradoria-Geral da República (PGR).
No dialogo, Jucá diz que “tem que mudar o governo para poder estancar essa sangria”, numa referência à Lava Jato. Tanto Jucá como o seu interlocutor, Sérgio Machado, são alvo de investigação no âmbito daquela operação conjunta da Polícia Federal e Ministério Público. Machado, que dirigiu a Transpetro durante uma década, entre 2003 e 2014, foi denunciado por duas pessoas envolvidas no escândalo da Petrobras e o seu nome associado ao esquema de pagamentos de subornos que teve destinatários políticos, como o presidente do Senado, Renan Calheiros.
Romero Jucá está na lista de suspeitos que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal em Março pedindo a abertura de um processo relacionado com a Lava Jato. Enquanto senador, Jucá goza de imunidade parlamentar e só pode ser investigado sob autorização do Supremo. O seu nome apareceu em depoimentos de um ex-executivo da Petrobras, Paulo Roberto Costa, que foi detido e fez um acordo de colaboração com as autoridades. Jucá foi citado juntamente com outros 27 políticos supostamente beneficiários do esquema de subornos que vigorou em torno de contratos da Petrobras com outras empresas.
Há apenas três dias, o PGR pediu ao Supremo para abrir um outro inquérito contra Jucá e três outros políticos, todos do seu partido, o PMDB, por suspeita de terem recebido subornos pelos contratos relacionados com a construção de uma central hidroeléctrica no estado do Pará. Jucá foi um dos maiores opositores no Congresso à lei da Ficha Limpa, que torna inelegíveis políticos condenados em processos judiciais.
Na gravação obtida pela Folha, Sérgio Machado procura a protecção de Jucá face às investigações da Lava Jato e chega a fazer uma ameaça indirecta de incriminar políticos do PMDB se as autoridades chegarem a ele. "Aí fodeu para todo mundo. Como montar uma estrutura para evitar que eu 'desça'? Se eu ‘descer'..."
Segundo a Folha, Jucá concorda que o caso "não pode ficar na mão desse [Sérgio Moro, o juiz que comanda a Lava Jato]”.
Depois de referir o nome de empresários, como Marcelo Odebrecht, que foram detidos no âmbito da Lava Jato e aceitaram colaborar com as autoridades revelando a participação de terceiros, Machado sugere que ele é só um meio de os investigadores chegarem a figuras do PMDB. “O Janot [procurador-geral da República] está a fim de pegar vocês. E acha que eu sou o caminho.” Jucá: “Você tem que ver com seu advogado como é que a gente pode ajudar. Tem que mudar o governo para poder estancar essa sangria.” Machado, que foi uma indicação política do PMDB para a direcção da Transpetro, responde: “Rapaz, a solução mais fácil era botar o Michel [Temer]”, sugerindo, logo a seguir que Temer deve formar um governo de unidade nacional - exactamente o que o novo Presidente interino veio a fazer. “Com o Supremo, com tudo”, diz Jucá, referindo-se a um pacto que incluiria até o Supremo Tribunal, autoridade judicial que poderia travar ou pelo menos dificultar o andamento da Lava Jato. “Aí parava tudo”, diz Machado. “É, delimitava onde está, pronto”, diz Jucá.

Igual comida da casa da Mãe.

Vamos almoçar no melhor?!
Cardapio desta terça:
Costelinha suína
Bife acebolado
Lombo de porco
Frango desossado assado
Frango cozido à moda caipira
Bolinha de frango
Espaguete à carnonara
Feijão carioquinha com queijo coalho
Arroz temperado
Saladas variadas e mais!

Promotor ameaçado em Nova Olinda

Procurador-Geral de Justiça manifesta apoio a Promotor ameaçado em Nova Olinda


O Procurador-Geral de Justiça do Ceará, Plácido Barroso Rios, manifestou repúdio ao ataque institucional contra a Promotoria de Justiça de Nova Olinda, alvo de arrombamento das portas, destruição de documentos e mensagens ameaçadoras ao promotor de Justiça titular da comarca, Daniel Ferreira de Lira. O PGJ-CE designou o Núcleo de Segurança Institucional e Inteligência (NUSIT) do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) para acompanhar as investigações da Polícia Civil e cuidar da segurança do Promotor de Justiça e família.

"Repudiamos qualquer tipo de ameaça a atuação do Ministério Público em defesa da ordem jurídica", afirma o PGJ-CE Plácido Rios. Na próxima segunda-feira, dia 30, o Procurador-Geral de Justiça, a vice-procuradora-geral de Justiça e coordenadora da Procuradoria de Justiça dos Crimes contra a Administração Pública (PROCAP), Vanja Fontenele, e o corregedor-geral do MPCE, José Wilson Sales, estarão em Nova Olinda. "Vamos aferir as consequências das ações danosas à Instituição, reforçando o trabalho do Ministério Público que vem sendo desenvolvido naquela comarca", pontuou Plácido Rios.

O promotor Daniel Lira vem combatendo à improbidade administrativa, obtendo como fruto dos trabalhos o afastamento do Prefeito local, Francisco Ronaldo Sampaio, e do chefe de gabinete do município pelo prazo de 120 dias, por suspeita de contratação da namorada do prefeito como funcionária "fantasma". Além dos crimes de improbidade, o promotor tem atuado no combate ao crime em geral, visto que a cidade é reconhecida pelos elevados índices de criminalidade relativas ao tráfico de drogas e armas.

A sede da Promotoria de Justiça, localizada no Fórum de Nova Olinda, sofreu o ataque na madrugada da segunda-feira (23/05). Em anexo, fotos mostram a situação encontrada pelo promotor ao chegar ao trabalho na manhã de ontem. Documentos foram revirados e alguns destruídos; e ameaças escritas nas paredes da promotoria.

O NUSIT está cuidando da segurança do promotor e também acompanha as investigações da Polícia Civil, que já prendeu preventivamente um suspeito da prática do crime.


Enquanto isso, em Londres...

'Bela e do lar': Jornal fala que Marcela ofuscava Temer até ele roubar o trono

Publicação destacou o contraste entre um país que já teve o protagonismo de uma mulher presidente e hoje tem 'recatada'

A postura "singela" de Marcela Temer continua dando o que falar na mídia internacional. Fazendo ácidas críticas ao governo Temer, o jornal "The Guardian" inseriu em mais de uma matéria sobre as políticas do presidente interino, um perfil da primeira-dama. A tão bonita e "consideravelmente mais alta" Marcela até mesmo colocava o marido nas sombras, de acordo com a publicação, isso até ele conseguir "roubar o trono de Dilma Rousseff".
"(Marcela) Tem o nome do marido tatuado na nuca e diz que se sente sortuda por ele ainda encontrar tempo para levá-la para jantar algumas vezes na semana", diz a reportagem.
Publicação destacou que Marcela é 43 anos mais jovem que Temer
Foto: Márcio Mercante / Agência O Dia
A polêmica reportagem "Bela, recatada e do lar", da revista "Veja", chamada conservadora de direita, mostrou o contraste da situação de um país que teve o protagonismo de uma mulher como presidente e atualmente tem a jovem 43 anos mais nova que o marido, destacou o jornal.
A matéria afirma que Temer escolheu para Esplanada uma supremacia branca, incluindo um barão da soja, que nada tem a ver com a diversidade que representa a população brasileira, composta por 52% de mulheres. "Ele (Temer) escolher 'ordem e progresso' como slogan, mas progresso não parece incluir melhorias nos direitos das mulheres — tratadas como cidadãs de segunda classe nessa cultura machista", publicou o jornal. 
Marcela e Temer se conheceram em 2002, estão casados há 13 anos e têm um filho, Michelzinho, de 7 anos.

Os gatos que prejudicam

Casos recorrentes de rompimentos de fibra ótica causados por terceiros vêm afetando redes de telefonia, prejudicando a prestação de serviços para clientes no Ceará. Segundo a Oi, os impactos são causados tanto por retroescavadeiras usadas em obras públicas e particulares, geralmente ao longo de rodovias, como por furtos de cabos e equipamentos, além de vandalismo e até queimadas na beira das estradas.
Nos quatro primeiros meses de 2016, foram registrados no Ceará 13 casos de rompimento de cabos da Oi, causados por obras sob responsabilidade de terceiros, prejudicando a prestação de serviços da companhia. Também foram registrados, no período, 24 ocorrências de furtos de cabos de telefonia.
Segundo a Oi, de janeiro de 2015 a abril de 2016, foram 68 rompimentos de cabos causados por obras em rodovias e mais de 79 casos de furtos e vandalismo de cabos.
A empresa de telefonia Tim também tem registrado aumento considerável nos atos de vandalismo em suas estruturas de transmissão na região Nordeste. “Cabos, de cobre ou alumínio, assim como outros equipamentos que integram as estações rádio-base, são estruturas indispensáveis para a transmissão de voz e dados, e quando comprometidas, interferem diretamente na prestação do serviço, tendo em vista que cada site vandalizado leva, em média, de 5 a 10 dias para ser recuperado. No entanto, a companhia reitera que trabalha constantemente, e em diversas frentes, para inibir estas ações”, informou, em nota, a operadora.
Danos
Obras públicas e particulares de alargamento de rodovias, abertura de vias e reparo em estradas acarretam diversos danos às redes de fibra ótica. “Mesmo atuando juntos aos órgãos responsáveis por obras públicas, são registrados mensalmente, em média, cinco casos de rompimentos de cabos da Oi causados por obras sob a responsabilidade de terceiros”, relatou a companhia. Em todos os casos, a operadora aciona os responsáveis pelas obras e atua em caráter emergencial para reparar os serviços.
“Trabalhamos com equipes técnicas prontas para atuar 24 horas por dia. Às vezes, o rompimento ocorre em áreas remotas e de difícil acesso, o que prejudica o deslocamento das equipes. Mas trabalhamos sempre para restabelecer os serviços dos nossos clientes o mais rapidamente possível. Cada vez mais, precisamos que os órgãos públicos e as empresas prestadoras de serviços trabalhem em parceria com a Oi para evitar esses incidentes que afetam nossos serviços e prejudicam a população”, diz Paulo Cesar Florentino, diretor de Infraestrutura da Oi.
A empresa disponibiliza o telefone 0800-643-7898 para informação de risco ou rompimento de cabos pela população e realiza fiscalização permanente em pontos da rede onde há obras de terceiros ao longo das rodovias.
Medidas
Já no caso de furtos de material da rede da companhia, a Oi adota medidas preventivas que visam a dificultar a ação de ladrões de cabos e outros equipamentos telefônicos. “A companhia também tem investido na criação de novas equipes de manutenção, que auxiliam no monitoramento e reparo dos danos à sua rede causados por vandalismo”, explicou a operadora.
Para a Oi, os furtos de cabos causam prejuízos à empresa e à sociedade como um todo, já que os danos podem afetar o contato da população com serviços públicos essenciais, como hospitais, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.
Investimentos
A Oi investiu cerca de R$ 82 milhões no Ceará em 2015. A operadora está priorizando investimentos em suas redes de telecomunicações como uma das estratégias do plano de transformação operacional da companhia para melhoria da qualidade do serviço aos clientes em todas as regiões. No mesmo período, a companhia instalou mais de 7.535 mil portas de acesso à internet banda larga no Estado. Nesse período, também foram implantados 142 novos sites de telefonia móvel 2G, 3G e 4G. No final de 2015, a companhia levou a cobertura 4G para as cidades de Caucaia, Juazeiro do Norte e Maracanaú. A Oi já tinha cobertura 4G em Fortaleza.

Capa do jornal O Estado(CE)


Sem quadros e sem candidato

Matos diz que PSDB não terá candidatura

Os tucanos não terão candidatura própria à Prefeitura de Fortaleza. A declaração é do deputado estadual Carlos Matos (PSDB), ressaltando que o motivo do recuo seria a necessidade de unificar a legenda. Segundo ele, a legenda está pretendendo apoiar a candidatura do deputado estadual Capitão Wagner à Prefeitura de Fortaleza, com quem, de acordo com o parlamentar, a sigla tem tido mais identidade.
Entretanto, afirmou que o martelo não foi batido pela agremiação tucana, o que, segundo ele, deve ocorrer até o fim deste mês. “Em breve, o presidente do PSDB no Ceará, Luiz Pontes, vai anunciar o nome do postulante da oposição que vai apoiar para a disputa da chefia da cidade”, frisou, ressaltando que pesquisas internas colocam Wagner na liderança pelo Palácio do Bispo. E, portanto, este fato pode trazer o apoio do PMDB ao grupo.
“Nós (PSDB), decidimos não ter candidatura própria para apoiar postulante de outro partido que poderá ser o Capitão Wagner, mas sem deixar de analisar outros pré-candidatos, que possuam propostas viáveis para o desenvolvimento da cidade”, disse, acrescentando que “Fortaleza é uma das cidades mais violentas do Brasil. A saúde é um grave problema. A limpeza urbana está um caos e, por tudo isso, precisa de um gestor competente”.

Coluna do blog



Camilo esquecido da oposição
Para tentar ter sobre a mesa presidencial seus nomes, ou o nome do seu dono, deputados do PMDB esqueceram a administração Camilo Santana, para dedicação exclusiva,  real time, do saboroso esporte de defender o governo que se apossou do Brasil recentemente. O mote dado pelo dono lá deles, é defender o governo, pelo menos é o que faz parecer, tal a veemência e a uniformidade dos discursos. Uns dias sem Camilo na alça de mira, poderá fortalecer a sigla, no Ceará, junto ao conjunto da obra em Brasilia. E não precisa defender líder acusado de bandidagem, tampouco ministros tatuados de investigados, porque para  o governo investigado não é condenado e não sendo condenado, uma simpleszinha investigação não será obróbio para virar parte de um todo mais desarrumado que pouso de anum. Já viu anum pousando?  O branco pousa pior que o preto no que pese voar um pouco melhor. Não chega a voo curto de tucano, mas é outro voo tão besta que se deixou engabelar pelo canto da sereia da avenida Paulista e tirar do ramo um lindo nordestino com os olhos cor do mar, como diria o Chico, o Buarque. Aliás, cês souberam da esculhambação que o Bonitão teria dado no Serra? Aquela história de que o Lindo não queria ministério, que era macho e tal, dizem lá de dentro da camarinha que foi conversa alinhavada. A história foi vendida assim: O Senador dos belos olhos queria sim, o Ministério nesse governo que ajudou a botar em cima do toco. Mas queria em nome da tucanagem e não dele próprio (cê crê? Se crê diga amém.) Mas o Zé Serra queria era pra ele mesmo qualquer coisa. Cavou areia grossa no redor do pé do Galego e o tirou do rumo. Vendeu-se e foi pago com um lugar onde os diplomatas disseram que jamais deixariam um não diplomata assumir. Daí que o Lindo partiu pra cima dele com gosto de gás. Um horror. Danado é essa tal turma do deixa disso ter apartado. Pois bem e como eu ia dizendo. Camilo tá livre até que o PMDB do Ceará fature algum no governo de fancaria.

A frase: “A Assembleia do Ceará tem agora duas vertentes;uma federal, outra estadual”. Uns defendem o Governo recém instalado, outros atacam o dito cujo e do outro lado tem uns e outros que desconfiam que ainda existe Ceará.


Vamos entregar também (Nota da foto)
O Ceará poderá passar adiante, para a iniciativa privada alguns ativos construídos com o nosso dinheiro. Olha o que poderemos dar a quem não botou um prego na construção:  Centro de Eventos,  Porto do Pecém,  Aquário da Praia de Iracema,  Arco Metropolitano,  Metrô de Fortaleza e o VLT de Fortaleza.

Sugesta
Em pronunciamento na Câmara Municipal, vereador Acrísio Sena (PT), criticou o governo interino. “É uma plutocracia que já mostrou a que veio: representar somente ricos e poderosos em detrimento do povo”.  E cutucou:Você votaria num prefeito que apoiou o golpe?

Má vontade?
Falta de papel para a emissão do Certificado de Registro de Arma de Fogo (CRAF). A dificuldade para a obtenção de registros de armas de fogo no Brasil não é algo novo.

Caro e difícil
Após a implantação do Estatuto do Desarmamento, em 2003, leis restritivas buscaram tornar o processo burocrático e caro.

Números não mentem
Em 2010 havia 8.974.456, quase 9 milhões, de armas de fogo com registro ativo no SINARM. Em meados de 2016, o número passou para cerca de 315 mil.

E nós, oh!
Criminosos agem livremente, com armamentos ilegais pesados. Já as pessoas estão desprotegidas e não conseguem legalmente possuir uma arma de fogo, por vezes se veem obrigadas a optarem pela ilegalidade para se defenderem,destaca o deputado Duquinha.

Quando o Viagra falhar...
O paciente Thomas Manning anda todo satisfeito depois de sobmetido com êxito ao primeiro transplante de penis nos Estados Unidos.

Câncer comeu
Manning, de 64 anos, perdeu o peru  como consequência de um câncer e diz que se recupera bem do transplante, doado de um acidentado.-Até já deu algum sinal de vida, disse sorridente.

Nem roncolho
Os médicos disseram que passarão algumas semana para que Manning possa urinar normalmente.A função sexual demorará mais um pouco; porém, Manning não mais reproduzirá; ficou sem os eggs.

Visão do inferno
Em Aracati, crianças andando a pé, perdendo quase três horas por dia para ir à escola em outra localidade, Morrinhos, pois a administração passada deixou fechar escola do Tanque Salgado.



Bom dia

A Companhia de Gestão de Recursos Hídricos, a Cogerh reduziu ao mínimo a oferta de água do açude Castanhão para as atividades econômicas no Baixo Jaguaribe, razão pela qual as duas maiores empresas produtoras de frutas do Ceará – a Agrícola Famosa e a Itaueira Agropecuária – deixaram a região jaguaribana e transferiram para o Piauí e o para o Rio Grande do Norte a sua produção de melão e melancia.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Água meu netim...azeite minha vozinha

Além de Jucá, Sérgio Machado gravou Sarney e Renan, diz colunista

Delação está na mesa de Teori Zavascki aguardando homologação

O receio do PMDB com novas denúncias que podem aparecer nos próximos dias envolvendo a cúpula do partido tem justificativa, segundo a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo. O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que aparece na conversa que provocou a saída de Romero Jucá do Ministério do Planejamento nesta segunda-feira (23), teria gravado conversas também com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e com José Sarney.
As gravações teriam sido feitas separadamente, em conversas privadas de Machado com Renan e Sarney, separadamente. De acordo com o colunista, quem teve acesso aos áudios diz que o que foi revelado nesta segunda-feira (23) em relação a Jucá "não é nada" comparado ao que Renan e Sarney disseram.
As gravações foram feitas no âmbito da delação premiada que Sérgio Machado está negociando com a Procuradoria-Geral da República (PGR) desde março, quando a conversa com Jucá foi gravada. O acordo com a PGR foi selado na semana passada.
Ainda segundo a coluna, Sérgio Machado gravou apenas três políticos: Renan, que é o responsável por sua indicação para a presidência da Transpetro, José Sarney e Romero Jucá. No entanto, Machado comprometeu outros senadores do PMDB. São eles: Jader Barbalho e Edison Lobão.
A delação de Machado está na mesa do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), esperando homologação.

Eleições americanas

Pesquisas indicam disputa apertada entre Clinton e Trump nos EUA

  • AFP - 14.jan.2016 e 4.fev.2016
    Donald Trump (à esquerda) e Hillary Clinton, pré-candidatos à Casa Branca
    Donald Trump (à esquerda) e Hillary Clinton, pré-candidatos à Casa Branca
Pesquisas recentes revelam que, quando Hillary Clinton garantir a candidatura presidencial democrata nos Estados Unidos, não será tão fácil, como alguns analistas previam, derrotar o virtual candidato republicano, Donald Trump, nas eleições de novembro.

Duas das últimas pesquisas realizadas em nível nacional, uma da NBC e "Wall Street Journal" e outra da CBS e "New York Times", indicam uma leve vantagem de seis pontos percentuais (no melhor dos casos) de Clinton frente ao polêmico magnata nova-iorquino.
No entanto, em outras duas pesquisas, da emissora Fox por um lado e da ABC e "Washington Post" por outro, Trump supera a ex-secretária de Estado por três e dois pontos, respectivamente.

Assim, segundo a média diária elaborada pelo site RealClearPolitics sobre as pesquisas de intenções de voto, hoje Trump e Clinton estão virtualmente empatados para as eleições de 8 de novembro, já que o republicano conta com 43,4% de apoio e a democrata, com 43,2%.

Esse empate se repete em Estados-chave como Flórida, Ohio e Pensilvânia, de acordo com uma pesquisa recente da Universidade Quinnipiac, e também na Virgínia, outro território crucial onde Trump e Clinton têm a mesma porcentagem de apoio (38%), segundo uma pesquisa da Universidade Roanoke divulgada nesta segunda-feira (23).

Por outro lado, a impopularidade que afeta tanto Trump como Clinton é histórica, não vista entre candidatos anteriores à Casa Branca, segundo a pesquisa da ABC e "Washington Post" publicada no fim de semana e que reafirma o apontado em medições prévias.

Quase seis de cada dez eleitores asseguram ter uma impressão negativa de Trump e Clinton, que empatam com 57% de desaprovação nessa pesquisa.

Nesse sentido, o rival de Clinton pela candidatura presidencial democrata, o senador Bernie Sanders, disse em uma entrevista à ABC, no fim de semana, que votar entre a ex-secretária de Estado e Trump em novembro seria como escolher "o menor de dois males".

Embora Sanders não tenha se retirado da disputa, Hillary tem praticamente garantida a indicação democrata, e como no caso de Trump, só é uma questão de tempo que ambos obtenham o número necessário de delegados para serem proclamados candidatos à Casa Branca nas convenções que os dois partidos realizarão em julho.

Um dos maiores problemas para Clinton é que muitos dos eleitores de Sanders não gostam dela como candidata, o que pode desembocar em uma eleição muito apertada contra Trump em novembro.

A ex-secretária de Estado também não é popular entre os homens brancos, enquanto a principal fraqueza do virtual candidato republicano são as mulheres e as minorias.

Além disso, Trump tem diante de si a difícil tarefa de unir em torno de sua candidatura um partido que lhe deu as costas durante boa parte do processo de primárias e de obter um apoio sem fissuras de líderes conservadores como o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan.

Em uma entrevista ao jornal "Politico" publicada hoje, Ryan lembra que seus desacordos com Trump não são unicamente sobre o "tom" de sua campanha, mas também sobre sua "essência", em referência a propostas do magnata como a de proibir a entrada nos EUA de todos os muçulmanos para combater o terrorismo.

Outro exemplo das dificuldades que Trump está tendo para aglutinar apoios é o que ocorreu no fim de semana na convenção realizada pelos republicanos no Estado de Washington, onde a maioria dos delegados em jogo ficou com o senador Ted Cruz, que abandonou a disputa pela indicação no início de maio.

Enquanto isso, tanto Clinton como Trump estudam há semanas quem são suas melhores opções para a candidatura à vice-presidência.

Hoje Trump se reuniu em Nova York com o senador Bob Corker, no meio das especulações de que o legislador pelo Tennessee está sendo avaliado para ser "número dois" do magnata.

Por sua parte, Clinton deixou entrever durante uma entrevista transmitida no domingo que, em sua busca por um companheiro de chapa para novembro, não está se limitando a políticos ou pessoas eleitas para ocupar algum cargo público.

Como diria dona Chica Bolão: Tá pôde meu fi, tá pôde!

Temer dá tempo para Jucá se explicar sobre grampo

Planalto chegou a cogitar ‘dança das cadeiras’

por
O presidente interino, Michel Temer, chega para reunião sobre as Olimpíadas com ministros e autoridades sobre olimpíadas - André Coelho / Agência O Globo
BRASÍLIA - O presidente interino Michel Temer conversou com o ministro Romero Jucá (Planejamento) na manhã desta segunda-feira e deu a ele prazo para se explicar sobre o áudio em que conversa com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.
Em reunião no Palácio do Jaburu, Jucá disse a Temer que tem condições de contradizer todas as afirmações do grampo.
— A única coisa que eu quero é a oportunidade de me explicar — pediu Jucá ao presidente, segundo relato de um integrante do governo que participou da conversa.
Segundo o ministro do Planjemento disse a Temer, ele tem condições de “tirar de letra” o conteúdo da coversa gravada com Machado.
Temer então respondeu que por respeito a ele, daria um tempo, mas não definiu prazo e nem antecipou eventual desdobramento, caso as explicações à opinião pública não sejam satisfatórias.
— Você dá as explicações e eu avalio — disse Temer, segundo o relato de um interlocutor presidencial.
Durante a reunião, o presidente interino considerou ao seu núcleo político que se Jucá explicar bem suas declarações, terá condições de permanecer no cargo. Se não, terá “sensibilidade” de sair da pasta.
Mais cedo, os peemedebistas discutiram a possibilidade de fazer uma “dança das cadeiras”, no caso da saída de Jucá. O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) ou o ex-ministro Moreira Franco, atualmente assessor especial da Presidência, poderiam ser remanejados. No entanto, com a decisão de Temer em deixar Jucá se explicar, congelou, por ora, essa negociação.
O ministro do Planejamento Romero disse estar "tranquilo" e descartou pedir demissão do cargo por conta do teor das gravações em que conversa . Nos diálogos gravados, o ministro sugeriu que uma “mudança” no governo resultaria em um pacto para “estancar a sangria” atribuída à operação Lava-Jato.
Os peemedebistas se reuniram cedo no Jaburu. Jucá esteve na residência oficial e já conversou com Temer.
Desde que o senador foi nomeado ministro, já era ventilada a possibilidade de ele ser o primeiro alvo da Lava-Jato dentro do novo governo.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/temer-da-tempo-para-juca-se-explicar-sobre-grampo-19359162#ixzz49UcQMLEg
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

O Junco não é "cu" de Mãe Xica

Cheirando mal
Tá com uma cara de arrumação essa historia dos dois jogos onde times não foram a campo pelo campeonato cearense. Não duvido nada de nada. E se for manobra pra subir um em detrimento do Ferroviário? Cansados, vamos ficando de artimanhas e malandragens. Daí a desconfiança.
Evilazio M. Ribeiro Creio que o Ferroviário vencerá inclusive arrumações manobras etc.
Luciano Arruda
Luciano Arruda Pzdo. Macario, o Estádio do Junco é nossa principal praça esportiva. Pra que partidas de futebol e outros eventos ocorram no equipamento, é necessário que o interessado solicite por ofício ao gabinete do prefeito - ou alternativamente a Sec de Esportes - e recolha a taxa de uso mediante DAM (doc de arrecadação municipal). No caso aqui tratado, nem a federação nem tampouco a equipe com "mando de campo", encaminharam a referida solicitação. Portanto, a PREFEITURA DE SOBRAL jamais tomou conhecimento oficial da referida partida, razão pela qual não se abriram os portões do estádio. Caso desejem utilizá-lo para partida suplementar, basta cumprirem as providências suso mencionadas.
Pompeu Macario Batista
Escreva uma resposta...

Pompeu Macario Batista
Pompeu Macario Batista Nada como uma boa explicação para as pessoas entenderem como as coisas funcionam. Não há culpa dos administradores do Estádio, mas ninguem garante que por tras de tudo esteja a artimanha de não fazer pagamentos, não comunicar às autoridades pra que vire o caos. Sempre se deu conhecimento, então motivos quais agora nada disso foi feito?
Pompeu Macario Batista
Escreva um comentário...

Liga pra quê se os prepostos estão tomando de conta?

Presidente dos EUA não telefona para Temer

Silêncio sinaliza que o governo americano não “reconheceu” oficialmente o governo Temer; União Europeia não se pronuncia, e Cuba denuncia golpe oligárquico
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama - Foto: Bob Nichols/ U.S. Department of Agriculture/Fotos Públicas
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama – Foto: Bob Nichols/ U.S. Department of Agriculture/Fotos Públicas
O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, afirmou nesta quinta-feira (12) que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não vai telefonar para o presidente interino Michel Temer para “reconhecer” o novo governo.
“Não sou um especialista na Constituição brasileira, mas nossa expectativa é que as instituições do governo brasileiro, que foram construídas nas últimas décadas, são suficientemente maduras e duráveis para resistir à turbulência política que o Brasil enfrenta agora”, disse Earnest. Ele afirmou que “os EUA estarão ao lado do Brasil, mesmo neste momento desafiador”. Nem Obama nem seu vice Joe Biden devem se pronunciar sobre a situação do Brasil até o final do processo de impeachment de Dilma. Michel Temer será tratado apenas como um presidente interino.
O governo da China, maior parceiro econômico do Brasil, manifestou nesta sexta-feira (13) o desejo de que o Brasil garanta a “estabilidade política”: “Esperamos que todas as partes consigam gerir a atual situação e mantenham a estabilidade política e o desenvolvimento econômico e social”, afirmou Lu Kang, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Lu Kang disse que a China “acompanha os desenvolvimentos da crise política no Brasil”.
O governo de Cuba disse que o afastamento de Dilma constitui um “um artifício armado por setores da oligarquia desse país, apoiada pela grande imprensa reacionária e pelo imperialismo, com o propósito de reverter o projeto político do Partidos dos Trabalhadores (PT), derrubar o governo legítimo e usurpar o poder que não ganhou com o voto. Em nota, o governo cubano denunciou o que considera ser um “golpe de Estado parlamentar e judicial, disfarçado de legalidade”, que foi preparado “há alguns meses” contra a presidente “legitimamente eleita”.
A União Europeia evitou se pronunciar sobre o impeachment. Mas o Grupo da Esquerda Unitária do Parlamento Europeu considerou que o processo de afastamento da presidenta Dilma é “um passo para um golpe de Estado”: “A aprovação pelo Senado brasileiro do procedimento para afastar Dilma Rousseff, presidente eleita do Brasil, é um passo decisivo imposto pela direita e pela oligarquia brasileira para um golpe de Estado, com a interferência dos Estados Unidos”. O grupo salienta ainda que é preciso lembrar que “os argumentos usados não resultam de qualquer processo penal e que o processo é liderado por membros com um histórico conhecido de irregularidades e atividades ilegais, que estão sendo investigadas judicialmente”.
O secretário-geral da Unasul (União das Nações Sul-Americanas), Ernesto Samper, afirmou nesta quinta-feira (12) que vê com grande preocupação a existência de fatores políticos na América Latina que “estão comprometendo a governabilidade democrática da região de uma maneira perigosa”. O colombiano pediu que se garanta o direito de defesa a Dilma e ressaltou que no processo contra a presidenta não há motivos que comprometam “sua responsabilidade pessoal em qualquer crime”.
No Reino Unido, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores afirmou que “esse é um tema interno para os cidadãos do Brasil e seus representantes eleitos”.

Cobiça!!! Francisco fala da ferida

Humanidade está ferida pela cobiça, diz Papa

O Pontífice também pregou contra a injustiça e a opressão

O papa Francisco afirmou neste domingo (22), durante a celebração do Angelus na praça São Pedro, que a humanidade está ferida pela "opressão" e pela "cobiça".
Em seu pronunciamento, o Pontífice argentino convidou os fiéis a viverem as relações interpessoais na "solidariedade e no amor recíproco", alertando para a condição atual da sociedade. "A carne da humanidade está ferida pela injustiça, pela opressão e pela cobiça", disse.
No entanto, ele acrescentou que o "Espírito Santo" dá às pessoas a força para serem "fermento de comunhão, consolação e misericórdia". Essa última palavra está no coração do Pontificado de Francisco, que até dedicou o atual Jubileu a ela e defende uma igreja mais aberta e compreensiva.

Do DIário de Notícias de Lisboa

Milhares voltam a protestar contra novo governo e Michel Temer

Os manifestantes concentraram-se em em São Paulo e no Rio de Janeiro em protesto contra o processo de destituição da Presidente Dilma Rousseff
Milhares de brasileiros concentraram-se neste domingo hoje em São Paulo e no Rio de Janeiro em protesto contra o processo de destituição da Presidente Dilma Rousseff, substituída interinamente por Michel Temer na chefia do Estado.
Convocados por diversas organizações sociais, como o Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), a União das Juventudes Socialistas (UJS) e a Central Única de Trabalhadores (CUT), os brasileiros voltaram a demonstrar o seu descontentamento com a atual situação política do país.
No Rio de Janeiro, ao início da tarde, os manifestantes concentraram-se na Praça da Candelária, no centro da cidade.
O protesto pretendia inicialmente exigir ao presidente interino o restabelecimento do Ministério da Cultura, que foi extinto e passou a depender da pasta da Educação na sequência da reforma ministerial de Temer, que optou por reduzir o número de ministérios de 31 para 24, para cortar nas despesas públicas.
Após um coro de críticas e uma vaga de ocupação de instalações públicas por todo o país em protesto contra esta medida, o novo governo anunciou no sábado o regresso de um Ministério da Cultura, que será dirigido por Marcelo Calero.
Apesar desta medida, os manifestantes decidiram manter o protesto previsto, alterando o seu objetivo inicial pela palavra de ordem "Temer nunca mais; resistir nas ruas pelos direitos", uma forma de rejeitar a legitimidade do novo executivo.
Michel Temer é presidente interino do Brasil depois de Dilma Rousseff ter sido afastada temporariamente pelo Senado (câmara alta), no passado dia 12, por um prazo máximo de 180 dias, por suspeitas de irregularidades orçamentais, com despesas não autorizadas.
Durante este período, o Senado irá julgar Dilma Rousseff num processo presidido por um juiz do Supremo Tribunal de Justiça, mas a chefe de Estado só será afastada definitivamente se for condenada por uma maioria de dois terços dos eleitos naquele órgão.

O trem ta feio

Sábado e domingo, familiares de presidiários fecharam parcial e depois totalmente a BR 116, nas proximidades de Itaitinga. Tudo por conta das rebeliões internas e das mortes de presos no complexo. Há a promessa de que hoje novos fechamentos ocorrerão. Diz que é em protesto pelas mortes ocorridas lá dentro.
São presos matando presos por vingança ou ódio o que deixa as familias em desespero cá fora.

EIta!


2º hotel 7 estrelas do mundo pode ser instalado no CE

O Ceará está prestes a agregar mais um gigantesco empreendimento à lista de equipamentos turísticos que já possui ao negociar a captação do segundo hotel 7 estrelas do mundo, segundo afirmou a titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), Nicolle Barbosa. Planejado por empresários libaneses, cuja empresa não foi revelada, o projeto é estimado em R$ 500 milhões e deve gerar 2,5 mil empregos formais diretos e mais 5 mil indiretamente.
"Com um hotel 7 estrelas, o Ceará mais que consolida a vocação turística, pois o peso dele soma-se aos demais equipamentos, tanto do Estado como o Centro de Eventos e o Acquario, como da iniciativa privada, a exemplo do Beach Park", ressalta Nicolle, mencionando também o peso de um hotel desse porte para captar outro equipamento, o hub da Latam.
O local, no entanto, ainda não está definido. Mas para atender à exigência dos investidores, que pedem 100 hectares e proximidade de aeroportos, três cidades foram apresentadas: Aracati (na qual três locais foram visitados pela comitiva); Cascavel (dois locais vistos) e Cruz (mais três locais).
Incentivos
A escolha dos municípios teve como critério principal a agilidade das prefeituras em responder ao questionário enviado pela SDE, no qual apresentaram áreas para o hotel se instalar, além da possibilidade de benefícios fiscais, como isenção de Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e desoneração de Imposto Sobre Serviços (ISS).
Da parte do Estado, a secretária de Desenvolvimento informa que ainda não há uma definição do que poderá ser ofertado aos libaneses. Sobre a negociação, ela contou que está "bem adiantada" e, após dois meses de conversa e a vinda deles para conhecer as cidades cearenses, "em breve será assinado o termo de cooperação entre as partes", quando será definida a cidade para a construção do hotel.
Estrutura terá até marina
Sem igual no País e em toda a América, o empreendimento deverá contar com uma estrutura que promete transformar a cidade na qual se instalar, vide a necessidade de serviços complementares aos ofertados no hotel.
Conforme Nicolle, serão construídos uma marina para iates e embarcações de pequeno porte, centro de beleza e estética, centro de esportes, centro fitness, centro de jogos, english pub, spa com piscinas, discoteca, parque aquático, sete restaurantes (comida brasileira, libanesa, chinesa, indiana, francesa, italiana e espanhola), 300 leitos, salão de eventos com 1,5 mil lugares, duas salas de conferência, oito salas de reunião, centro de negócios com estrutura de recursos de alta tecnologia e bangalô. Exclusivamente para a área do resort, vide que o empreendimento visa também o turismo de negócios, o hotel projeta a construção de 200 apartamentos, 25 vilas de luxo e um shopping com lojas, galerias, além de restaurantes de comida fast food.
"Isso vai mudar completamente a economia local dessas cidades. Vai dinamizar os pequenos negócios, além de acionar grandes fornecedores da Capital", afirma Nicolle.
Até hoje, o único hotel 7 estrelas do mundo é localizado em Dubai (Emirados Árabes) e tem uma estrutura tão gigantesca quanto a do empreendimento projetado para o Ceará. O grupo de empresários libaneses, segundo a SDE, já possui hotéis nos Estados Unidos, na Europa e em países do Mediterrâneo.

Teve arrumação no Junco

Ô meu DEus do céu!!!

Ferroviário empata e adia sonho do acesso

Acesso poderá ocorrer agora na próxima quinta-feira, às 15h30 no PV, em jogo contra o Nova Russas no PV

Ontem, domingo (22), o Ferrim empatou em 2x2 com o Horizonte, no PV, pela penúltima rodada da Série B Cearense e saiu de campo lamentando a chance de ter ficado mais perto do acesso à Série A local.
Só em Sobral
O outro jogo da rodada, entre Alto Santos e Nova Russas, que estava marcado para o Estádio do Junco, não aconteceu. A Prefeitura de Sobral, alegando que não fora informada da realização da partida, não abriu os portões e os dois times ficaram do lado de fora aguardando um posicionamento da Secretaria de Esporte de Sobral. Esta não atendeu ao pedido de abrir o estádio e o árbitro Cleuton Lima fez apenas a súmula, relatando o ocorrido: falta de equipamento para a realização do jogo. Agora, o assunto vai ser resolvido pela Federação Cearense de Futebol e pelo TJD, Tribunal de Justiça Desportiva

Os medos do Brasil


Trabalhador corre para calcular a aposentadoria

As discussões sobre a reforma nas regras da Previdência, defendida pelo novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, causam preocupação entre quem está próximo de atingir o limite mínimo para se aposentar ou já reúne condições para solicitar o benefício no INSS. O principal receio é de que uma modificação nas regras altere o tempo mínimo de contribuição ou desvincule benefícios, como o do reajuste do salário mínimo.

Uma visita a agência do INSS revela essas preocupações. Trabalhadores relatam ter ido ao local motivados pelas discussões em Brasília, sendo que alguns sequer tinham agendado o atendimento no site do INSS, uma exigência do órgão. Todos procuravam calcular o tempo de contribuição para tentar adiantar o processo de aposentadoria.
"Eu ouvi falar que os caras (do governo federal) querem mudar a idade para se aposentar e corri para cá", disse Gilson Alves da Silva, de 59 anos. Técnico em manutenção de ar-condicionado, ele tem 35 anos de contribuição - tempo suficiente para entrar com o pedido de aposentadoria. Mas tem receio de que uma nova legislação o obrigue a trabalhar por mais tempo. "Só não quero contribuir mais para um benefício que nem sei quando terei," comentou. Esse tipo de dúvida tem sido frequente para Willi Fernandes, consultor jurídico. "Desde quando o novo governo assumiu, recebo ligações para consultas sobre o futuro da aposentadoria", diz o advogado, que também registrou aumento na procura por parte de quem já é beneficiário da Previdência.
OP com Agencias