sábado, 7 de dezembro de 2019

Gênio!


As andanças e declarações do ministro Salles na Espanha

O Acordo de Paris é para o país levar vantagem
O ministro Ricardo Salles deu uma entrevista à Daniela Chiaretti, do Valor, dizendo: “Já tomamos uma decisão no Brasil, que é pró-negócio, de monetizar o ativo ambiental brasileiro. Isso significa sair da política que fizemos até hoje, de fazer gestos, e entrar para a política de resultados.”
Talvez ninguém tenha contado para o ministro que o país vendeu algo em torno de US$ 800 milhões em créditos de carbono na época em que a União Europeia os comprava, entre 2005 e 2012.
No final da matéria, Chiaretti reproduz outra fala infeliz do ministro: “Ou o Acordo de Paris tem resultado positivo para o Brasil ou não vamos ficar negociando o que não tem resultado prático. O que o Brasil ganha com isso aqui?”
Oi, ministro. O país ganha clima, agronegócio, energia, menos secas e menos enchentes. Vale?

Esquisitisse mineira

Justiça mineira diz que no jogo de amanhã no Mineirão só pode ter torcida do Cruzeiro. E alega segurança. Engraçado não não dizer esquisitissimo.
Justiça de Minas Gerais determina torcida única para Cruzeiro x Palmeiras ... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2019/12/07/justica-de-minas-gerais-determina-torcida-unica-para-cruzeiro-x-palmeiras.htm?cmpid=copiaecola
Justiça de Minas Gerais determina torcida única para Cruzeiro x Palmeiras Mineirão receberá apenas torcedores do Cruzeiro em jogo que poderá decretar rebaixamento celeste - © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro Mineirão receberá apenas torcedores do Cruzeiro em jogo que poderá decretar rebaixamento celeste Imagem: © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro Enrico Bruno Do UOL, em Belo Horizonte 07/12/2019 17h44 O Ministério Público de Minas Gerais informou que a partida entre Cruzeiro e Palmeiras, marcada para às 16h (de Brasília) de amanhã (8) seja realizada apenas com torcedores do time mandante no Mineirão. O duelo é válido pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro e... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2019/12/07/justica-de-minas-gerais-determina-torcida-unica-para-cruzeiro-x-palmeiras.htm?cmpid=copiaecola

Opinião


INACREDITÁVEL
A Comissão Mista do Congresso que teve a tarefa de analisar e aprovar o Orçamento da União para o ano de 2020, tendo como relator geral o Deputado Domingos Neto (PDS-CE), aumentou de R$ 2 bilhões para R$ 3,8 bilhões o fundo especial de financiamento de campanha ( Fundo Partidário), tirando recursos da educação, saúde (500 milhões), dentre outros. Verdadeira bofetada na população brasileira, num momento de grave crise, que, vive a sociedade com altíssimos índices de desemprego, falta de recursos na saúde pública e na educação, necessidades inadiáveis na segurança pública e na infraestrutura.
O descaramento é maior quando deputado federal da Paraíba da referida comissão, falsifica assinatura do senador Jorginho Mello (PL-SC) visando mostrar apoio geral a absurda proposta.
Por outro lado, a maioria dos representantes dos diversos partidos acordou com a proposta indecente, quando demonstram na prática que ser de direita, esquerda e centro é conversa fiada, enganação para os pobres mortais brasileiros. Acima de tudo estão os interesses pessoais e partidários dos parlamentares.
É uma vergonha!!!

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Céus abertos

Governo federal assina acordo com Argentina para aumentar número de voos entre os países
Em outubro deste ano, ministro Marcelo Álvaro Antônio esteve em Buenos Aires para tratar da política de céus abertos
Mais voos entre Brasil e Argentina. A conquista é resultado de acordo assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pelo presidente da Argentina, Mauricio Macri, durante a Cúpula do Mercosul, que aconteceu em Bento Gonçalves (RS). A partir de agora, o número de frequências entre os dois países passará de 133 para 170 por semana e não haverá mais limite para voos de transporte de carga. A decisão tem efeito imediato e não precisa de aprovação do Congresso Nacional.
Em outubro deste ano, durante missão oficial em Buenos Aires, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, se reuniu com o ministro do Turismo da Argentina, Gustavo Santos, para debater parcerias no intuito de aumentar o fluxo de turistas entre os dois países, desenvolver a conectividade e integrar destinos turísticos. Um dos principais assuntos discutidos foi a revisão das frequências de voos no acordo bilateral de serviços aéreos entre os países.
A reunião também contou com a presença de representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Secretaria de Aviação Civil (SAC), ligada ao Ministério da Infraestrutura. Outros temas foram tratados durante o encontro, como o reconhecimento mútuo de vistos chineses no âmbito do Mercosul, a desregulamentação e maior agilidade do fluxo de turistas nas fronteiras e o aumento da frota de navios para cruzeiros marítimos.
Principal emissor de turistas estrangeiros ao Brasil, a Argentina, segundo o ministro Marcelo Álvaro Antônio, sempre foi uma grande parceira do Brasil para alavancar o turismo, com geração de emprego e renda para ambas as nações. “Esse acordo, assinado por nosso presidente Jair Bolsonaro, é de extrema importância para o crescimento ainda maior do fluxo de turistas entre os países vizinhos e o fortalecimento de uma parceria profícua com a Argentina”, disse. “Isso traz ao cidadão mais oferta de voos, mais competividade, mais destinos atendidos, mais dinheiro na economia e mais empregos”, afirmou o ministro.
Álvaro Antônio reforça ainda que a medida vai ao encontro de uma série de resultados que vem sendo alcançados pelo governo federal com a abertura de mercado e atração de investimentos ao Brasil. “Nosso principal objetivo é trazer ainda mais turistas argentinos ao nosso país, fortalecendo a nossa economia e consolidando todo o potencial do turismo brasileiro em realidade”, complementou o titular da Pasta. Em 2018, 2,4 milhões de argentinos vieram para o país, o que representou 37,7% do total de visitantes estrangeiros.
CÉUS ABERTOS - A reinvindicação para revisar a política de serviços aéreos entre Brasil e Argentina é antiga. O acordo foi assinado em 1948 e, desde então, tem se buscado ajustes, especialmente na quantidade de frequências que as empresas de cada país podem utilizar e os direitos de tráfego na operação.
O Memorando de Entendimento mais recente foi assinado em 2006 e contém os limites que eram aplicados até hoje. Antes do aumento, todas as frequências estavam sendo ocupadas pelas companhias aéreas brasileiras e a demanda por mais voos seguia crescente. E, como as empresas não podiam solicitar voos para rotas incluídas no acordo bilateral, não havia margem para uma companhia aérea oferecer um novo voo entre Rio de Janeiro e Buenos Aires, por exemplo.

Mersocul muda de mãos

Bolsonaro passa presidência do Mercosul para Paraguai

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem (5) que o nível de impostos aplicado à importação de produtos afeta a competitividade e deve ser revisado no âmbito do Mercosul. Bolsonaro abriu, no fim da manhã desta quinta-feira, a 55ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados, em Bento Gonçalves, no Vale do Vinhedos, Rio Grande do Sul.
Ele citou os acordos de livre comércio fechados este ano pelo bloco com a União Europeia e com Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA), enfatizando que precisam ser implementados com rapidez, e disse que é preciso “levar adiante as reformas que estão dando vitalidade ao Mercosul, sem aceitar retrocessos ideológicos”. Para o presidente brasileiro, a renovação do Mercosul tem papel central no aumento da integração aos fluxos globais de comércio e investimentos.
“Outro fator determinante para nossa participação na economia mundial é o nível de impostos aplicados às importações. A taxação excessiva afeta a competitividade e é prejudicial a quem produz. O Brasil confia na abertura comercial como ferramenta de desenvolvimento e por isso insiste na necessidade de reduzir ou revisar a Tarifa Externa Comum [TEC]”, destacou Bolsonaro. Durante a presidência pro tempore do Brasil no Mercosul houve empenho no plano técnico para revisar e modernizar a TEC.
O presidente brasileiro anunciou ainda que, “apesar da difícil situação fiscal do Brasil”, o país fará o pagamento de R$ 12 milhões ao Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem) e disse que espera regularizar a situação com o fundo num futuro próximo. O Brasil é o maior contribuinte, aportando 70% dos recursos do fundo.

Paraguai
A Cúpula do Vale dos Vinhedos encerra a presidência brasileira do Mercosul, que será transferida para o Paraguai pelos próximos seis meses. Durante seu discurso hoje, o presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, enfatizou o compromisso do país com o fortalecimento e respeito aos valores democráticos e aos direitos humanos e disse que as nossas diferenças de origem, de visão e ideológicas “devem servir para enriquecer o debate regional em busca da construção de uma sociedade mais justa e igualitária”.
“Continuaremos impulsionando o processo de integração levando em consideração os desafios do mundo de hoje. […] Entre os temas prioritários está o impulso de agenda digital, do comércio eletrônico e fortalecimento das ferramentas para favorecer um comércio regional mais inclusivo, enfatizando as micro, pequenas e médias empresas, assim como o empoderamento econômico das mulheres e jovens”, disse o presidente do Paraguai.
Benítez destacou ainda a importância de “alcançar a verdadeira complementaridade produtiva, aproveitando as realidades e potenciais do Mercosul e de cada um dos seus integrantes, de modo a seguir desenvolvendo cadeias de valor, especialmente em setores não tradicionais”. Ele citou como exemplo o setor automobilístico e defendeu a sua inclusão nas regras comerciais e tarifárias do Mercosul. “Todos os países do sistema contribuem para uma genuína cadeia de produção e consumo”, disse. (Todas as matérias são da Agência Brasil)

Do jornal O EstadoCe

Manifestação de agentes de segurança toma Assembleia

Um grupo de agentes de segurança foi à Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (AL-CE), na manhã de ontem (5), em manifestação pela aprovação de reajuste para a categoria. A reivindicação é de aumento salarial de R$ 3.250 para R$ 4.700, no caso dos soldados. O movimento teve participação de policiais militares, policiais civis, peritos e agentes penitenciários.

Os manifestantes se aglomeraram nas galerias e, depois, na entrada do Plenário, acompanhando o pronunciamento do deputado estadual Soldado Noelio (Pros) – que teve destaque em meio à movimentação, sendo o principal representante da categoria na Casa Legislativa. Em sua fala, ele desafiou o governador Camilo Santana a tomar ciência do salário de um policial militar do Estado e comparar ao pago pelo governo do Maranhão. “Sabe quanto o governador que é aliado do Camilo Santana paga aos policiais do Maranhão? R$ 1.500 a mais que ele. São cinco anos encolhendo o salário desses profissionais que não estão pedindo nenhuma regalia, apenas o que lhe é de direito”, apontou.


Soldado Noélio informou que a ida da categoria à Assembleia, nesta quinta-feira, foi apenas a primeira e que a quantidade de policiais e bombeiros a comparecerem na ocasião seguinte dependerá da resposta do governo. “Outros estados em situação de crise estão concedendo reajuste. Se temos mil policiais aqui hoje, teremos ainda mais até o governador agir.”
Na mesma ocasião, o deputado estadual Vitor Valim (Pros) pediu que o governador se espelhasse em outros governadores de esquerda que valorizam os profissionais de segurança pública. “Gasta milhões com o aquário e esquece de quem se arrisca todo dia. Se não querem paralisação, atendam a essa categoria”, alertou. Fernanda Pessoa (PSDB) também declarou apoio ao movimento: “Se não fossem nossos policiais e bombeiros, quem nos daria segurança? Colocam a vida em risco todos os dias e precisam ser valorizados, tanto na questão do salário quanto na saúde.”


Situação
Houve apoio inclusive por parte de parlamentares da base governista, como no caso do deputado Elmano Freitas (PT), que defendeu a reivindicação dos profissionais de segurança. Para o parlamentar, o reajuste salarial desses profissionais precisa ser tratado, assim como a necessidade de se debater a reforma de quartéis, assinalando que o assunto será abordado nas discussões orçamentárias para o ano que vem. “No momento adequado estes debates virão à tona, especialmente na discussão do Orçamento do Estado para 2020. Nesta ocasião, vamos discutir efetivamente qual o reajuste se dará para a categoria”, salientou, na tribuna.


SSPDS
A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), no mesmo dia, informou que comissões passaram a tratar do reajuste, uma sobre aquele a ser concedido para policiais e bombeiros militares e outra especificamente para os policiais civis e peritos. Ainda segundo a pasta, os trabalhos, além de serem presididos pela SSPDS, contam com membros da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) e da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp).


Destaca ainda, em nota enviada à imprensa, que a política de valorização do sistema de segurança do Governo do Estado soma, de 2015 a 2018, um investimento de R$ 599,6 milhões, com a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) e a Perícia Forense do Ceará (Pefoce) tendo passado por reestruturação e descompressão. A nota, por fim, pontua que aproximadamente 10 mil novos profissionais foram contratados por meio de concursos públicos, em investimento de R$ 478 milhões.

ítica de valorização do sistema de segurança do Governo do Estado soma, de 2015 a 2018, um investimento de R$ 599,6 milhões, com a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) e a Perícia Forense do Ceará (Pefoce) tendo passado por reestruturação e descompressão. A nota, por fim, pontua que aproximadamente 10 mil novos profissionais foram contratados por meio de concursos públicos, em investimento de R$ 478 milhões.

Capa do jornal OEstadoCe


Gênio!

As andanças e declarações do ministro Salles na Espanha O Acordo de Paris é para o país levar vantagem O ministro Ricardo Salles deu uma ent...