quarta-feira, 19 de junho de 2019

Brasil do "engano" foi para na Europa

Empresas pagaram mensagens pró-Bolsonaro no WhatsApp

Informação aparece em gravações obtidas pela Folha de São Paulo; dono de agência negou saber que se tratava de mensagens de campanha.
Durante a campanha eleitoral de 2018, empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing em Espanha para fazer, pelo WhatsApp, disparos em massa de mensagens políticas a favor do então candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL).
A informação, que aparece em gravações obtidas pela Folha de São Paulo, é do espanhol Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps.
Nos áudios, ele diz que "empresas, açougues, lavadoras de carros e fábricas" brasileiros compraram o seu software para mandar mensagens em massa a favor de Bolsonaro.
Além de obter o áudio, a Folha de São Paulo confirmou posteriormente detalhes da conversa.
De acordo com Novoa, ele não sabia que seu software estava sendo usado para campanhas políticas no Brasil e só tomou conhecimento quando o WhatsApp cortou, sob a alegação de mau uso, as linhas telefónicas de sua empresa.
O WhatsApp confirmou à Folha de São Paulo que cortou linhas da empresa. "Não comentamos especificamente sobre contas que foram banidas, mas enviamos uma notificação judicial (Cease and Desist) para a empresa Enviawhatsapps."
Não há indicações de que Bolsonaro ou a sua equipa de campanha soubessem que estavam sendo contratados disparos de mensagens a favor do então candidato. Questionada, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto afirmou que não iria comentar.
As doações de empresas para campanha eleitoral são proibidas no Brasil. As doações não declaradas de pessoas físicas também são ilegais.
A empresa de Novoa é especializada no envio automático de mensagens para milhares de números de telefone.
A Folha de São Paulo teve acesso à gravação na qual o espanhol fala sobre a contratação da empresa para disparar mensagens a favor de Bolsonaro. Ela foi realizada durante um encontro de empresários com Novoa, em Espanha. A Folha confirmou as informações citadas na gravação.
"Eles contratavam o software pelo nosso site, fazíamos a instalação e pronto [...] Como eram empresas, achamos normal, temos muitas empresas [que fazem marketing comercial por WhatsApp]", afirma o espanhol, na gravação.
"Mas aí começaram a cortar nossas linhas, fomos olhar e nos demos conta de que todas essas contratações, 80%, 90%, estavam fazendo campanha política", completa o empresário espanhol.
Uma outra pessoa, nessa mesma gravação, pergunta a ele: "Era campanha para algum partido?" Novoa então responde: "Eram campanhas para Bolsonaro".
Os cortes de linhas a que ele se refere foram feitos pelo próprio WhatsApp, cujas regras proíbem o uso da plataforma para envio de mensagens em massa.
Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), apenas as campanhas oficiais podem fazer contratação de impulsionamento de conteúdo eleitoral nas redes sociais.
​"A contratação do serviço de impulsionamento deve ser realizada exclusivamente por partidos, coligações, candidatos ou seus representantes e diretamente por meio da ferramenta responsável pelo serviço, cujo provedor deve ter sede e foro no Brasil, ou com filial, sucursal, escritório, estabelecimento ou representante legalmente estabelecido no país", segundo lei de outubro de 2017.
Além disso, está proibido o uso de ferramentas de automatização, como os softwares de disparo em massa.
A contratação de empresas estrangeiras para enviar mensagens de WhatsApp evidencia a dificuldade de contabilizar gastos de campanhas efetuados por terceiros em favor de candidatos.
Questionado pela Folha de São Paulo, o empresário espanhol negou que tenha trabalhado para políticos brasileiros.
"É mentira, não trabalhamos com empresas que tenham enviado campanhas políticas no Brasil", afirmou.
"Tanto faz se gravaram sem permissão uma conversa informal. Repito pela enésima vez: não trabalhamos com campanhas políticas no Brasil", disse à reportagem o empresário espanhol.
No áudio obtido pela Folha de São Paulo, Novoa afirma que não sabia que empresas estavam usando o seu software para beneficiar candidatos e só tomou conhecimento disso após o WhatsApp iniciar o corte das linhas.
Ou seja, pode ser que ele de fato nunca tenha sido contratado por uma campanha política brasileira, mas somente por brasileiros que se identificavam como empresas.
"Estávamos tendo muitíssimos cortes, fomos olhar os IPs, era tudo do Brasil, olhamos as campanhas, eram campanhas brasileiras", diz Novoa, ainda no áudio.
Segundo a Folha de São Paulo apurou, os brasileiros compraram cerca de 40 licenças de software na agência espanhola. Cada linha pode disparar até 500 mensagens por hora - portanto, o pacote permitia até 20 mil disparos políticos por hora nas últimas eleições.
Alguns usavam números da Colômbia para enviar mensagens a números do Brasil, também através do software comprado de Novoa.
Os pagamentos eram feitos pela plataforma PayPal. As contas ficaram ativas durante alguns dias durante a campanha. Os brasileiros contratavam o software por meio dos seis diferentes websites que pertencem à empresa.
Segundo o site da Enviawhatsapps, a licença para um mês sai por 89 euros, a anual custa 350 euros, e o WhatsApp Business API, voltado especificamente a empresas, sai por 500 euros ao ano.

Eleições em Espanha

Nas eleições espanholas deste ano, o espanhol Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps, foi responsável pelas campanhas de disparos em massa de WhatsApp dos partidos Podemos e PSOE.
A plataforma suspendeu as contas desses partidos e do PP durante a campanha eleitoral, ao alegar que as legendas estavam violando as regras de uso da plataforma ao fazer envios em massa.
A Folha de São Paulo apurou que Novoa também prestou serviços para o partido de extrema-direita Vox. Questionado sobre o assunto, o partido não retornou pedido de entrevista.

ENTENDA O CASO

Empresários
A 18 de outubro de 2018, a Folha de São Paulo revelou que empresários impulsionaram disparos por WhatsApp contra o PT na campanha eleitoral. O serviço foi vendido pelas agências Quickmobile, CrocServices e Yacows. Uma ação foi aberta no TSE para apurar o caso.

PT
Uma semana depois, o UOL mostrou que o PT também usou o sistema de envio de mensagens em massa e que a agência responsável pela campanha de Bolsonaro teve registros de uso do sistema da Yacows apagados após a reportagem da Folha.

Fraudes com Cadastro de Pessoas Físicas 
Em dezembro, reportagem baseada em relatos de um ex-funcionário, fotos e documentos apresentados à Justiça do Trabalho detalhou o submundo dos disparos em massa que se instalou no Brasil durante as últimas eleições. Uma rede de empresas recorreu ao uso fraudulento de nome e CPF [equivalente ao número de contribuinte em Portugal] de idosos para registar chips de telemóvel e garantir o envio em massa de mensagens em benefício de políticos.

Multa
Em março deste ano, o TSE multou a campanha de Fernando Haddad por ter impulsionando um site com ataques a Bolsonaro no mecanismo de busca do Google. Na decisão, o ministro Edson Fachin considerou que o impulsionamento feriu a lei eleitoral e causou desequilíbrio na disputa.

TSE
Até agora, ninguém foi ouvido na ação que apura os disparos contra o PT. O processo é relatado pelo corregedor-geral eleitoral, ministro Jorge Mussi

Empresário espanhol
Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps, afirma, em gravação obtida pela Folha, que empresas brasileiras compraram seu software para fazer disparos em massa pelo WhatsApp de mensagens a favor de Bolsonaro.

Capa do jornal OEstadoCe


Pracinhas da modernidade

Governo do Ceará entrega nona Praça Mais Infância, em Sobral

O equipamento faz parte do Programa Mais Infância Ceará, idealizado pela primeira-dama do Estado, Onélia Santana, e já beneficiou oito cidades cearenses
A cidade de Sobral, na Região Norte do Estado, recebe nesta quarta-feira (19), às 17 horas, a Praça Mais Infância, que será inaugurada pela vice-governadora Izolda Cela. Crianças e suas famílias ganharão uma ótima opção de lazer, que estimula o desenvolvimento infantil e o vínculo familiar. A primeira-dama do Estado, Onélia Santana, e a secretária da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos, Socorro França, participam da inauguração do nono equipamento instalado no Ceará.
A Praça Mais Infância de Sobral tem uma área total de 2.574,36 m², composta por quadra poliesportiva, playground, academia ao ar livre, espirobol, bicicletário, área para picnic e pergolado e ainda bloco de apoio com banheiros acessíveis, fraldário, administração e depósito.
O equipamento foi construído por meio do Programa de Apoio às Reformas Sociais (Proares III) com o investimento total de cerca de R$ 1 milhão, sendo 80% financiado pelo Governo do Ceará através do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e 20% do município, que também cede o terreno para a construção da praça, como contrapartida.
Municípios contemplados
Além de Sobral, Aquiraz, Amontada, Acaraú, Maranguape, Pacatuba, Pentecoste, São Benedito e Viçosa do Ceará, mais 23 municípios receberão a Praça Mais Infância: Acopiara, Boa Viagem, Camocim, Canindé, Cascavel, Caucaia, Crateús, Crato, Fortaleza, Granja, Icapuí, Icó, Iguatu, Itapipoca, Itarema, Juazeiro do Norte, Mauriti, Maracanaú, Quixadá, São Gonçalo do Amarante, Tauá, Tianguá e Trairi.
As Praças Mais Infância estão dentro do pilar “Tempo de Brincar” do Programa Mais Infância Ceará. Além das Praças Mais Infância, já foram implantados nos municípios pelo Governo do Ceará 35 brinquedocreches e 85 brinquedopraças.
Proares III
Em sua terceira fase, o Programa de Apoio às Reformas Sociais (Proares III), conta com recursos totais de US$ 71,428 milhões, dos quais US$ 50 milhões foram contratados pelo Governo do Ceará junto ao BID e os outros US$ 21,428 milhões a contrapartida do Estado.
ServiçoPraça Mais Infância de Sobral
Dia: quarta-feira (19)
Horário: 17 horas
Local: rua Juriti, 124, no bairro José Euclides Ferreira Gomes

Meu avô Pompeu ensinava:não se briga com padre, polícila e puta

Política

Rodrigo Maia diz que crítica de Paulo Guedes 'uniu o parlamento'

Após mudanças na proposta de reforma da Previdência feitas pelo relator Samuel Moreira (PSDB-SP), o ministro Paulo Guedes, da Economia, fez críticas à Câmara. Para Guedes, o modelo do relatório seria insuficiente. Rodrigo Maia afirmou que as críticas deixaram o Legislativo mais unido. Nesta segunda, apoiadores da proposta de Guedes subiram hashtag pedindo 'economia de R$ 1 trilhão', como o ministro havia prometido.

Taxís intermunicipais em debate

Projeto regulamenta atividade dos taxistas intermunicipais 

Na manhã desta terça (18/6), o secretário de Relações Institucionais do Estado, Nélson Martins, recebeu o deputado estadual Acrísio Sena (PT) e representes de entidades dos taxistas intermunicipais no Palácio da Abolição. Presentes, Cel. Andrade, chefe da Casa Militar; o superintendente do DETRAN-CE, Igor Vasconcelos; e o presidente da ARCE, Rinaldo Cavalcante. A categoria realizou manifestação do lado de fora do Palácio. Segundo Acrísio, que articulou o encontro, a intenção é levar adiante projeto apresentado pela ex-deputada Rachel Marques, de regulamentação da atividade em todo o Ceará. “Está é uma luta antiga que mereceu toda atenção do governador Camilo Santana”, explicou Acrísio. Hoje, são 780 veículos atuando em 32 municípios. Segundo Nélson, o projeto será enviado, em forma de mensagem, na próxima semana para a Assembleia Legislativa.

Audic comemora

AUDIC COMEMORA INAUGURAÇÃO DE DUAS CONQUISTAS DO SEU MANDATO EM TAUÁ, AO LADO DO GOVERNADOR, NO DIA 27 DE JUNHO

Resultado das articulações e encaminhamentos de mandato do deputado Audic Mota (PSB) junto ao Governo Estadual, Tauá receberá no próximo dia 27, as obras da Areninha, no bairro Bezerra e Souza, e a Escola Estadual de Ensino Médio Raimundo Adjacir Cidrão de Oliveira, localizada no Distrito de Marrecas.


Audic Mota, por sua vez, comemora os dois feitos garantidos oficialmente, ainda em maio e setembro do ano de 2017. 

Primeiro, quando da visita do governador ao município, por ocasião das comemorações aos 189 Anos da Festa de Santa Rita de Cássia, no distrito de Marruás. 

A localidade, também  sediará uma escola estadual de ensino médio, com estrutura similar a de Marrecas. 

Em seguida, a Areninha de Tauá foi anunciada por Camilo em grande solenidade realizada em setembro de 2017, na Arena Castelão, em Fortaleza.

A programação de entrega das obras começará na tarde do dia 27, em Marrecas, na inauguração da Escola. À noite, é a vez da Areninha abrir os portões ao tauaenses.

A Caixa fala no Ceará

LIDE Ceará recebe presidente da Caixa 
Econômica para apresentar projetos da nova 
gestão do banco

No próximo dia 28 de junho (sexta-feira), o LIDE Ceará recebe o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, em um almoço-debate para discutir o tema "Nova Gestão da Caixa: Produtividade e Bem-estar Social". Os debatedores serão Emília Buarque e Geraldo Luciano Mattos Jr., presidente e conselheiro do LIDE Ceará, respectivamente.

O evento é exclusivo a filiados e convidados da entidade e acontece no Hotel Gran Marquise. O almoço-debate tem patrocínio da Dibra – Dias Branco Participações e do Grupo Servnac.

Brasil do "engano" foi para na Europa

Empresas pagaram mensagens pró-Bolsonaro no WhatsApp Informação aparece em gravações obtidas pela Folha de São Paulo; dono de agência ...