segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Só faltou dizer que é culpa do "boi"


Estiagem se espalha no País e causa prejuízo bilionário
A estiagem que compromete importantes bacias hidrográficas pode prejudicar a já combalida economia nacional
Foto: Valter Campanato/ABr
Foto: Valter Campanato/ABr
Há uma regra elementar que se aplica em períodos de secas severas: se a água escassear, a prioridade é o consumo humano. Isso significa que, antes de as torneiras de casa secarem, a água falta na agropecuária, nas indústrias e nos serviços. É o que ocorre hoje em várias partes do Brasil.

A estiagem que compromete importantes bacias hidrográficas pode prejudicar a já combalida economia nacional, simplesmente porque o País não está preparado para lidar com ela. “Diferentemente de outros países, o Brasil não tem mecanismos para aliviar perdas econômicas com a falta de água”, diz Jerson Kelman, especialista no tema, que dirigiu as agências nacionais de Água e de Energia.

Prejuízos. A seca começou espalhando prejuízos no Nordeste. Segundo a Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês), entidade que monitora eventos climáticos extremos, a região sofreu perdas de R$ 20 bilhões entre 2010 e 2013. No setor de energia, a conta é maior. Só para manter as térmicas ligadas e compensar a falta de água nas hidrelétricas, de 1.º de janeiro de 2011 até 14 de outubro deste ano foram gastos R$ 49,4 bilhões. O cálculo é da consultoria PSR, com dados do Operador Nacional do Sistema.

Neste ano, a estiagem se espalha pelo Sudeste. Segundo levantamento da consultoria MB Agro, os produtores de cana-de-açúcar, carro chefe da agricultura paulista, amargam uma perda de 18% na receita. (O Estado de S. Paulo).

Não deu certo invenção de Aécio em Sobral (Este blog antecipou)


Centenas de pessoas acompanham ato de Aécio no Rio
Candidato do PSDB participou de ato político na Praia de Copacabana
Foto: Marcos Fernandes
Foto: Marcos Fernandes
Ao lado de simpatizantes, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, percorreu neste domingo a Avenida Atlântica, em Copacabana, na zona sul do Rio. Centenas de pessoas começaram a se concentrar para o ato perto do Posto 6.
Aécio acenou para eleitores de cima de um carro de som, acompanhado de sua mulher, Letícia Weber, do senador eleito José Serra (PSDB-SP) e do ex-jogador Ronaldo, entre outros.

Estímulo ao consumo


Pesquisa revela: 99% dos consumidores pretendem comprar na Black Friday

Uma pesquisa realizada pelo Zoom (www.zoom.com.br), site comparador de preços e produtos, com cerca de 10 mil pessoas revela que a Black Friday está ganhando cada vez mais força no Brasil, já que 99% dos entrevistados pretendem comprar no evento, realizado dia 28 de novembro, e mais da metade (59%) confia que encontrará descontos reais. O cenário é ainda mais otimista visto que 58% pretendem gastar mais de R$ 1.000 e 73% gostariam de antecipar suas compras de Natal. A intenção de 56% dos entrevistados é investir em um novo smartphone, 43% em uma televisão, 29% em um notebook, 23% em tênis, 21% em tablets, 20% em videogames e 18% em condicionadores de ar.
As pessoas também estão mais conscientes sobre utilizar a web como ferramenta para obter informações sobre os produtos. Dos entrevistados, 96% realizam pesquisas sobre os itens de desejo e 88% buscam o apoio de comparadores de preços e produtos para checar a relevância das ofertas.
Além disso, apesar do cenário econômico menos otimista, a data, por estar conquistando a credibilidade dos brasileiros, promete impulsionar o comércio eletrônico, uma vez que 81% dos respondentes da pesquisa acreditam encontrar promoções mais relevantes em lojas online do que em lojas físicas. Também é possível notar o aumento da confiança dos consumidores nas compras online, já que 66% costumam aproveitar o evento apenas pela internet e 82% confiam que receberão o produto comprado.
“O e-commerce deve crescer de 20% a 25% em 2014 e a Black Friday será uma importante fatia do faturamento desse setor, principalmente porque o tíquete-médio para a data está bem alto”, analisa Thiago Flores, diretor executivo do Zoom. “O evento está muito mais consolidado no comércio eletrônico e os consumidores estão contanto com o apoio do Zoom para ter certeza que aproveitarão as ofertas em lojas confiáveis. Para deixar os nossos clientes ainda mais seguros, eles podem contar com o serviço Zoom Garante, que assegura a entrega do produto comprado nas lojas parceiras ou o dinheiro de volta (até R$ 3.000,00)”, explica o executivo.
A pesquisa revela ainda que em 2013, apenas um terço dos entrevistados compraram na Black Friday, porém mais da metade afirma que encontrou descontos reais na ocasião. Smartphones (44%), televisões (22%) e notebooks (13%) foram os produtos mais comprados por essas pessoas.
REDAÇÃO O ESTADO ONLINE
Fonte: Zoom

Tem uma coisa raivosa na campanha pro governo do Ceará.


Primeiro debate na TV é marcado por acirramento
O primeiro debate do segundo turno na TV entre os candidatos ao Governo do Estado do Ceará foi marcado pelo acirramento entre os concorrentes. O peemedebista Eunício Oliveira, diferentemente dos debates do primeiro turno, ateve-se a confrontar o seu adversário Camilo Santana (PT). Entre críticas ao petista, Eunício afirmou que Camilo foi escolhido porque vai ser “dócil” no Governo e ressaltou que não tem apadrinhamento político. Já Camilo Santana defendeu o debate programático, mas alfinetou Eunício Oliveira, dando conta de que o peemedebista faltava com a verdade, e disparou que, quando Eunício era aliado do governador Cid Gomes, afirmava que o Ceará tinha o melhor Governo. O debate foi realizado pela TV O POVO.
Os temas referentes à educação e segurança pública fomentaram o início do debate. Camilo Santana foi o primeiro a discorrer sobre a qualidade da educação no Estado e destacou a construção de 106 escolas profissionalizantes pelo atual Governo, ponderando que esse era o melhor modelo de educação para o Ceará. “De 2011 para 2013, aumentamos de quatro mil para 11 mil alunos na escola. Queremos transformar a escola do ensino médio e as profissionalizantes”, destacou o petista.
“A escola de tempo integral não aconteceu no Ceará”, disparou Eunício, frisando que de 400 mil alunos, apenas 10 % estão na escola de tempo integral. O peemedebista prometeu que, caso seja eleito, irá destinar 10% do PIB para a educação, o que possibilitará o ingresso de 200 mil estudantes no programa, durante sua gestão.
No questionamento sobre segurança pública, Eunício criticou o distanciamento entre a Polícia Civil e Ronda do Quarteirão. “O Ronda foi criado como uma terceira força e não resolveu a questão da violência. [...]Temos cerca de 60 mil mandados de prisão que não são cumpridos. O que vemos é pessoas de bem trancadas dentro de casa. Não foi dado às polícias a oportunidade de fazer os seus trabalhos”, disse o peemedebista, ressaltando que as polícias foram desintegradas.
Já Camilo Santana, respondeu que o problema da segurança pública não pode ser tratado com demagogia, mas com responsabilidade. “Vamos ampliar as equipes do Raio para 150”, disse, salientando que implantará, nas áreas mais críticas do Estado, o ‘Programa Abraça’, que levará para as comunidades mais carentes escolas de tempo integral, mais iluminação, esporte e cultura.
Em contraponto, Eunício afirmou que o petista não diz a verdade ao cearense. “Quando ele fala parece que foi ele que fez as coisas no Ceará, parece que o governo não é o Cid. Por que não resolveu a questão da Polícia? [...] Por que demorou tanto tempo para aumentar as equipes do Raio? Por que em vez de comprar helicópteros caros não fez isso?”, criticou Eunício Oliveira.
Cultura
O acirramento maior deu-se quando Camilo Santana tratou sobre a expansão de investimentos da cultura no Ceará. O petista assumiu o compromisso de destinar 1,5% do orçamento do Estado para a cultura e reverberou ser o único candidato a se comprometer com o assunto. Eunício retrucou e questionou o porquê de nos últimos oito anos, o atual governo não investiu na área. “A cultura cearense foi completamente desprezada, eu tenho condições de assumir esse compromisso”, disse, salientando não ter padrinho político.
Por sua vez, o petista criticou  Eunício Oliveira, dando conta de que, até quatro meses antes da eleição, o peemedebista apoiava o Governo de Cid Gomes.“É uma contradição muito grande você, Eunício, porque até quatro meses atrás você dizia que esse era o melhor governo do mundo, você dizia que o governador Cid era o melhor governador da história desse Estado. Como é que se muda? Você indicou vários cargos para esse governo, inclusive o secretário-executivo da Segurança Pública, seu correligionário Aloísio Carvalho, indicou o secretário de Recursos Hídricos. Que contradição é essa? Reflitam, cearenses”, criticou.
“Eu saí do Governo, porque o PMDB tem condições de fazer essa disputa e fazer uma mudança no Ceará. Se eu quisesse permanecer no governo e elogiar, eu estaria aí. O senhor que é o candidato do governo e que vai dar sequência ao que temos hoje. O senhor fala em diálogo e em dobrar orçamento para cultura, isso não é verdade, porque não fez antes?”, retrucou Eunício.
“Olho pra sua cara e digo que tenho orgulho de fazer parte desse governo. Muita coisa boa aconteceu no Ceará nos últimos sete anos, batemos recorde de emprego. Parece que o Eunício não sabe os dados do Ceará”, rebateu Camilo Santana.
Em um outro momento, Camilo chegou a afirmar que o candidato Eunício chegou a procurar o governador Cid Gomes para ser o seu candidato a sucessão Estadual. “Mas ele não aceitou, aliás, disse publicamente os três motivos dele porque não lhe apoiava”, complementou.
FECOP
Ainda nos enfrentamentos, o candidato Eunício Oliveira questionou a Camilo Santana se era correto usar dinheiro do Fecop (Fundo Estadual de Combate à Pobreza) para se apropriar de casas e criar cargos em agências para doar para aqueles que não foram eleitos na chapa majoritária da eleição passada?
Camilo respondeu ressaltando que “o dinheiro do fundo de combate à pobreza é utilizado para cuidar dessas questões de pobreza. Desconheço e nem é real o que o senhor está dizendo. Somos pioneiros no Brasil nessa área. Não fui governador, fui secretário, tive autonomia para criar bons projetos, como a regularização fundiária das propriedades rurais do Ceará que tiveram esses recursos. Para garantir casa, moradia digna. Hoje temos 58 mil unidades”, finalizou.
BASTIDORES
Candidatos repercutem sobre o debate político
Em entrevista à imprensa, após o debate, o candidato Eunício Oliveira (PMDB) reiterou o fato de não ter “padrinhos políticos”, o que, segundo ele, fará toda a diferença na hora de governar. “Quem tem padrinho político vai obedecer ao padrinho político que escolheu o seu candidato. Eu vou fazer a diferença, porque vou ter independência”, afirmou. O peemedebista criticou a atual gestão, afirmando ter se fechado para o diálogo com a sociedade. “Prometer diálogo, agora, é uma farsa para buscar o voto do eleitor”, alfinetou.
Questionado sobre estar em segundo lugar nas pesquisas, Eunício salientou que os 10% dos eleitores vão decidir o seu voto no dia da eleição. “Então, muita coisa vai acontecer nesses últimos dias. A pesquisa soberana que vale não é a boca de urna, mas o que vale é a pesquisa dentro da urna.
Eunício disse ainda que, caso não se eleja, se manterá na oposição, contra a atual composição política que administra o Ceará. “A democracia é isso, o partido que ganha vai para o governo, o que perde, vai para a oposição”, disse.
O peemedebista lamentou ainda que para o segundo turno ocorra com segurança, seja necessária a presença das tropas federais. “É lamentável que o Estado do Ceará, no século XXI, volte a fazer uma política do tempo dos coronéis de 1940. E necessário foi pedir as forças para que venham coibir o que aconteceu no primeiro turno como compra deslavada de votos. Foi o que aconteceu no interior do Estado, em Fortaleza e Região Metropolitana”, pontuou.
CAMILO SANTANA
Ao conversar com a imprensa, Camilo Santana reiterou que buscou apresentar propostas nos debates programáticos e em seus programas eleitorais de TV e rádio.  “O debate é importante, porque é o momento de a gente dizer quais nossas propostas para a área da saúde, onde quero construir dois hospitais, e, em todos os municípios que ainda não têm Unidades de Pronto Atendimento”, afirmou.
Sobre as críticas de seu adversário político, que não o aponta “independente” para gerir o Estado, Camilo Santana foi enfático. “Parece desespero do meu adversário.  Eu sou muito grato a população do Ceará que me deu mais de dois milhões de votos no primeiro turno, e tenho muito orgulho de ser apoiado pelo governador Cid”, respondeu, disparando que: “Não fui eu que fui atrás do governador para ser candidato”.

PDT reafirma apoio a Camilo Santana e comemora “bons resultados” no primeiro turno


O deputado federal André Figueiredo, presidente estadual do PDT, comemora os bons resultados do candidato ao Governo, Camilo Santana (PT), no primeiro turno. De acordo com o pedetista, Camilo tem grande chance de ser o novo governador do Ceará, em razão de ter saído na frente na primeira etapa da disputa, com votação maior do que o seu adversário político, Eunício Oliveira (PMDB).
Figueiredo também ressaltou que o petista continua bem na campanha do segundo turno, tendo em vista as suas propostas de governo que, segundo avaliou, estão sendo bem recebidas pela população. “Nós vamos eleger Camilo Santana para substituir o governador Cid Gomes, que continua fazendo um Governo de muito progresso em todas as áreas”, arriscou.
Para o pedetista, o eleitorado vai eleger Camilo Santana, por representar a continuação do atual governo, aprimorar o que não está funcionando bem e mudar o que não está dando certo. “Quem não quer um candidato que vai continuar tudo que vem dando certo no Ceará?”, indaga Figueiredo.
PARLAMENTO
Conforme o parlamentar, o PDT estadual saiu-se bem nas eleições de cinco de outubro passado ao representar a terceira maior bancada em número de deputados estaduais na composição da Assembleia Legislativa a partir de 2015, com a eleição dos deputados Ferreira Aragão, Evandro Leitão e Heitor Férrer.
CORRIDA PRESIDENCIAL
O parlamentar informa que tem muito respeito e consideração ao senador Aécio Neves (PSB), candidato a Presidência da República, mas que vai continuar apoiando a presidente Dilma Rousseff (PT). “Vejo muita condição de vitória da presidente Dilma, porque ela tem o que mostrar”.

Opínião

A arquitetura do Jornal Nacional para eleger Aécio

Coincidentemente, as gravações vazaram para o Jornal Nacional de quinta-feira, data do início da propaganda eleitoral do segundo turno na TV.

Luiz Carlos Azenha - Vi o Mundo Vi o Mundo
 
(*) Publicado originalmente no Vi o Mundo.
 
E a tão falada “vantagem numérica” de Aécio Neves sobre Dilma Rousseff, segundo o Jornal Nacional — que trombeteou assim o resultado — se resume a dois míseros pontos percentuais, dentro da margem de erro.

No Datafolha, em votos válidos, 51% a 49%. No Ibope, 51% a 49%.

Já a soma dos que consideram o governo Dilma ótimo, bom ou regular, é de 72% no Ibope e de 77% no Datafolha.

Jamais se esqueçam: o Ibope foi aquele que, no dia do primeiro turno de 2014, em pesquisa de boca-de-urna no Rio Grande do Sul, disse que Tarso Genro (PT) teria 35% a 29% dos votos válidos contra Ivo Sartori (PMDB); Sartori teve 40%, Genro 33%.

Datafolha é aquele que, em pesquisa de boca-de-urna, disse que Fernando Henrique Cardoso seria eleito prefeito de São Paulo, derrotando Jânio Quadros… que venceu (clique aqui para ler).

Agora temos explicação para as duas pesquisas divulgadas anteriormente às do Ibope e do Datafolha, do Instituto Paraná e do Instituto Véritas, trombeteadas pelo site 247.

Na pesquisa do Instituto Paraná, dirigido por uma pessoa que está na lista de possíveis nomeados para compor o futuro secretariado do governador Beto Richa, do PSDB, Aécio tinha 54% a 46%. A pesquisa foi divulgada com grande alarde pelo site da revista Época… adivinharam, das Organizações Globo!

Já a “pesquisa” do Instituto Véritas, alardeada pelo site 247, dava Aécio com 54,8% contra 45,2% de Dilma.

Pesquisas encomendadas para dar a impressão de que Aécio tinha uma vantagem insuperável? Quem sabe? Quem pagou para fazê-las? Quem pagou para disseminá-las? Só o tempo dirá.

Chamou a atenção, quinta-feira, a paginação do Jornal Nacional, ou seja, a sequência das notícias determinadas pelos editores.

Para quem não tem intimidade com televisão, os telejornais seguem o que é chamado, no jargão dos telejornalistas, de “espelho”.

O espelho, ou seja, a sequência de notícias, é determinada pelos chefes. Por gente graúda. Eles é que escolhem a notícia supostamente “mais importante” do dia.

Eles é que determinam o que virá primeiro, no momento de maior audiência do telejornal.

Eles é que determinam o que será falado com destaque, naquele pingue-pongue entre os apresentadores, na abertura do telejornal: as manchetes ditas com grande ênfase pelo William Bonner e a Patrícia Poeta.

Pois bem, como começou o Jornal Nacional de quinta?

Abertura acusando sem provas três partidos de terem recebido propina em esquema montado na Petrobras: PT, PP e PMDB, com direito a sílabas vagarosamente pronunciadas por William Bonner.

Em seguida, as pesquisas registrando “vantagem numérica” de Aécio Neves.

Depois, 10 minutos e 8 segundos dedicados à denúncia de véspera de eleição.

Independentemente das denúncias serem verdadeiras ou falsas — qualquer pessoa pode dizer o que bem entender ao Ministério Público Federal –, os depoimentos “coincidentemente” foram marcados para esta quarta-feira e as gravações vazaram… para o Jornal Nacional de quinta, data do início da propaganda eleitoral do segundo turno na TV.

Como me disse um advogado esta tarde, é a desmoralização da “delação premiada”, usada para fins eleitorais.

Coincidência destas a gente só viu… em 2006.

Então, as fotos do dinheiro supostamente usado pelo PT para comprar um dossiê contra o candidato José Serra, do PSDB — fotos feitas dias antes — “coincidentemente” vazaram para os jornais e as emissoras de TV na antevéspera do primeiro turno.

Naquela ocasião, ajudaram a levar a eleição para o segundo turno.

Naquela ocasião, o delegado da Polícia Federal Edmilson Bruno assumiu o
vazamento das fotos para os repórteres.

Sem saber, ele foi gravado por um dos repórteres no momento em que fazia o vazamento.

Nunca ficou esclarecido porque, a certa altura da gravação, o delegado disse: “Esta aqui é a foto da Globo”.

Ele fez uma foto para sair na Globo? Uma foto especial para o Jornal Nacional? Uma foto impressionante, com uma parede de dinheiro?

Tipo a que aparece abaixo?

As fotos, diga-se, foram feitas durante uma perícia oficial!

Será que o delegado Bruno montou uma parede cenográfica de dinheiro para sair na Globo? Ou foram os peritos e ele apenas tirou proveito da ocasião?

Desta vez, curiosamente, o resultado das pesquisas e a longa reportagem sobre as denúncias do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef foram seguidas… pela propaganda eleitoral do PT.

O Jornal Nacional sabia, com certeza, que logo depois da longa denúncia, viria a propaganda de Dilma.

Sabe o que separou a denúncia da Petrobras da propaganda eleitoral do PT?

Uma notícia sobre um campeonato de vôlei e um anúncio do programa global The Voice.

Como se vê, foi tudo muito bem arquitetado no Jardim Botânico.

Ah, sim, a pesquisa propagandeada pelo 247 (Aécio 54% x Dilma 46%), que saiu primeiro no site da revista Época, das Organizações Globo, foi reproduzida no programa eleitoral de Aécio Neves.

Outra coincidência.

Entenderam?

PS do Viomundo: No ótimo programa de Dilma Rousseff, Fernando Henrique Cardoso foi justamente detonado por dizer que os 40 e tantos milhões de eleitores da petista são ignorantes!

Luiz Carlos Azenha é jornalista e trabalhou também na Rede Globo.

Opinião


Wanderley: a Petrobras
não é feita de ladrões

Ladrões são os que queriam privata-la – PHA


O Conversa Afiada reproduz artigo de Wanderley Guilherme dos Santos:


A PETROBRÁS


A PETROBRÁS NÃO É FEITA POR LADRÕES, MAS TEM SIDO VÍTMA DE VÁRIOS TIPOS DE CRIMINOSOS. DESDE OS QUE NÃO DESEJAVAM QUE FOSSE CRIADA AOS QUE A RIDICULARIZAVAM DIZENDO QUE O BRASIL NÃO TINHA CAPACIDADE PARA FABRICAR SAPATOS QUANTO MAIS PARA PRODUZIR PETRÓLEO. AINDA MAIS: OS QUE DESEJAVAM ASSOCIAR O CAPITAL ESTRANGEIRO AOS NEGÓCIOS DO PETRÓLEO (QUE, INSISTIAM, NÃO EXISTIA) TRANSFORMARAM-SE NOS QUE PROPUNHAM VENDÊ-LA A PREÇO DE BANANA PODRE, ANTES DA DESCOBERTA DO PRÉ-SAL, JÁ PRESSENTIDO PELOS ENORMES INVESTIMENTOS DE PROSPECÇÃO EM ÁGUAS PROFUNDAS. DESCOBERTA UMA DAS MAIORES RESERVAS MUNDIAIS DE ÓLEO, PRESSIONARAM PARA ENTREGAR ESSA RIQUEZA ÀS AVES DE RAPINA INTERENCIONAIS.


NÃO, A PETROBRÁS NÃO É FEITA POR LADRÕES E OUTROS TIPOS DE CRIMINOSOS. ELA É FEITA POR   DEZENAS DE  MILHARES DE TRABALHADORES QUALIFICADOS, POR   CENTENAS DE   ENGENHEIROS DE DIVERSAS ESPECIALIDADES, POR MEGULHADORES, REPARADORES, DEZENAS DE PESSOAS RESPONSÁVEIS PELA SAÚDE, ALIMENTAÇÃO E SEGURANÇA DE TODOS OS QUE SE ARRISCAM, DIA A DIA, PARA FAZER O QUE ELA DE FATO É. APESAR DE TODOS ESSES CRIMINOSOS, A PETROBRÁS NÃO É UMA EMPRESA OCUPADA POR ASSALTANTES, ELA É UMA DAS MAIORES EMPRESAS DE PETRÓLEO DO PLANETA, BATE SUCESSIVO RECORDS DE PRODUÇÃO, DETEM A PRECIOSA TECNOLOGIA DE PESQUISA EM ÁGUAS PROFUNDAS E, COM BASE NA RIQUEZA JÁ CONHECIDA, ESTÁ PREPARDA PARA SE TORNAR UMA POTÊNCIA MUNCIAL, GARANTINDO A SOBERANIA E INDEPENDÊNCIA DO PÁÍS.

OS LADRÕES E CRIMINOSOS ESTÃO OU IRÃO PARA A CADEIA, MAS A PETROBRÁS CAMINHA PARA UM SUCESSO SEM PARALELO NA HISTÓRIA DO PETRÓLEO NACIONAL.

Está no Conversa Afiada


Mino pergunta:
querem o FHC de novo ?

“Se Aécio Neves vencer, teremos de admitir que brasileiro é o Demônio”




O Conversa Afiada reproduz editorial de Mino Carta, extraído de Carta Capital:


Retorno a FHC



Se Aécio Neves vencer, teremos de admitir que brasileiro é o Demônio

Ao entrevistar Lula na semana passada, recordei dois episódios do passado que envolvem Fernando Henrique Cardoso. Tempos da greve de 1980 em São Bernardo e Diadema, momento da mais expressiva resistência pacífica à ditadura. A primeira lembrança me coloca ao lado de Lula em um bar de São Bernardo, às costas da fábrica da Volkswagen. Chega FHC, faço menção de me retirar, e Lula diz “fica, fica”. Em silêncio, ouço a peroração do príncipe dos sociólogos a favor da moderação. Está claro que as arengas às dezenas de milhares de trabalhadores aglomerados na Vila Euclydes o deixam bastante incomodado.


Orgulho-me de ter percebido no então presidente do Sindicato dos Metalúrgicos uma liderança capaz de transcender o papel que então desempenhava. FHC também percebeu, mas isto não o alegrou. A segunda lembrança confirma a primeira. O episódio começa pela conversa telefônica Rio-São Paulo que costumava manter com Raymundo Faoro nas manhãs de domingo. O amigo caríssimo gostaria de galgar o palanque da Vila Euclydes e eu propus: “Venha, será uma honra escoltá-lo”.


À chegada de Faoro no Aeroporto de Congonhas um estranho indivíduo surgiu em cena. Emissário de FHC, e até hoje não sei como soubera dos propósitos do meu amigo. Convidou-nos para parar, a caminho de São Bernardo, na casa da mãe do sociólogo, onde o próprio nos esperava e onde tomamos um chá em louça de Sèvres. Ele sugeria que Faoro desistisse do seu intento. Não o convenceu, e ao cabo nos comunicou que uma assembleia de autoridades nos aguardava no Paço Municipal de São Bernardo. Fomos. Sentado à cabeceira de uma longa mesa perfeitamente encerada, FHC reeditou seu apelo. Levantei-me e disse: “Esta conversa não me diz respeito, eu estou aqui para cobrir um evento relevante e vou cumprir minha tarefa”. Faoro seguiu-me, sem pronunciar uma única, escassa palavra.


Aquele que, 18 anos após, compraria votos de parlamentares para conseguir sua reeleição à Presidência da República, esforçava-se com insólita paixão para impedir a presença de uma personalidade do porte de Faoro no epicentro da greve, a avalizar a ascensão de Lula. Passados 34 anos, FHC aí está, sombra compacta por trás de Aécio Neves. Condescendente, generoso, ao esquecer uma frase fatídica de vovô Tancredo: “Fernando Henrique é o maior goela da política brasileira”. Não sei, aliás, se ao adversário de Dilma Rousseff convém citar o ilustre avô: ele não tinha especial apreço pelo tucanato.


Imaginar o retorno a FHC, em caso de vitória de Aécio, é inevitável. De lancinante obviedade. Donde a ameaça da tragédia, e creio não exagerar em vaticiná-la. Trágico seria o retorno ao passado, com a vitória da reação mais medieval do mundo, empenhada em manter de pé a casa-grande e a senzala. No debate de terça-feira 14, Aécio pretendeu que os adversários insistissem no conflito entre dois Brasis. São os tucanos, no entanto, que proclamam a desinformação dos pobres no mesmo instante em que avulta a desinformação dos ricos. Ou a hipocrisia. E, de todo modo, clamorosamente, o ódio de classes.


Uma vitória de Aécio significaria o enterro de uma política social nunca dantes praticada, por mais insuficiente. De uma política exterior habilitada a desatrelar o Brasil dos interesses de Washington em proveito dos nossos. Bem como o retorno a uma política econômica de desbragada inspiração neoliberal, com todas as implicações, a começar pelo corte do salário mínimo e a alteração da CLT, de resto já anunciadas pelo candidato a ministro da Fazenda de Aécio, Arminio Fraga, presidente do BNDES no governo do eterno goela. E já que se fala de ameaça a uma herança getulista, não nos obriga a espremer as meninges imaginar o triste destino reservado à Petrobras, que o ex-presidente sociólogo pretendia privatar quando no poder, e ao pré-sal, de súbito lotizado.


Há, nisso tudo, exercícios de puro humorismo. Muitos, a bem da verdade factual. Citaria um apenas, retumbante. Sustenta o aludido Arminio que a crise econômica global arrefeceu de cinco anos para cá. Confia na ignorância dos nativos abastados. Se houver dúvidas, sugiro uma investigação elementar junto às Bolsas de todo o mundo diante do recrudescimento de uma situação encerrada, conforme o ex-discípulo de George Soros e Fernando Henrique Cardoso. O qual entende de economia como eu de numismática.

Maílson de volta à cena


Ex-ministro Maílson da Nóbrega fala com empresariado cearense
O ex-ministro da Fazenda, Maílson da Nóbrega, ministrará, hoje à noite, uma palestra no auditório Waldyr Diogo, da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), com o tema “Brasil: Aspectos macroeconômicos, políticos e institucionais. É possível manter o otimismo em relação ao futuro do Brasil, frente a um cenário de incertezas?”. O evento é bem apropriado ao momento de desaceleração pelo qual passa a economia brasileira que, há meses, está vendo as suas expectativas de crescimento sendo reduzidas a níveis muito baixos. A situação é tão complicada que especialistas de mercado já estão prevendo um crescimento do nosso Produto Interno Bruto (PIB – soma de todos as riquezas produzidas no País) abaixo de 1%. O palestrante realizou ainda diversas viagens de estudo sobre os mecanismos de financiamento à agricultura nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, França e Japão.
O encontro é aberto e faz parte da estratégia adotada pelo presidente da Fiec, Beto Studart, de reunir, mensalmente, o empresariado local para discutir aspectos de interesse do setor produtivo. Debater novas estratégias de ação e as tendências de mercado também fazem parte desse modelo de trabalho que está sendo implantado pela nova diretoria da entidade.

Agora vai


TSE autoriza envio de tropas federais para o Ceará
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), através do ministro João Otávio de Noronha, autorizou a presença da Força Nacional nos municípios de Caucaia, Maranguape, Maracanaú, Pacatuba e Fortaleza, no 2º turno das eleições, dia 26 de outubro.
A decisão foi comunicada, ontem, ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE).  Nela, o ministro destaca que “o governador do Estado do Ceará concorda com o emprego das forças federais nos municípios indicados pelo TRE-CE. Ademais, as justificativas apresentadas pelo Ministério Público Eleitoral indicam a necessidade de atuação de força federal naquelas localidades”.
Hoje, a presidente do TRE-CE, desembargadora Iracema do Vale, enviará ofício ao Comando da 10ª Região Militar e ao Governo do Estado para tratar dos detalhes da integração do contingente da Força Federal a ser disponibilizado nos municípios cearenses destacados, com o efetivo de segurança do Estado para atuação no 2º turno das eleições.
O pedido das tropas federais foi enviado ao TSE na última quinta-feira (16), pelo TRE-CE, após o governador Cid Gomes posicionar-se a favor da presença das tropas.

Coluna do blog



Desconstrução e mentira
“Entre as formas de mistificação presentes na sociedade moderna, a propaganda comercial talvez esteja entre as mais inocentes. Até o mais ingênuo dos seres, quando submetido a ela, sabe que alguém está tentando manipulá-lo para achar que um sabão em pó lava mais branco que o outro. E que preferir Omo a Rinso é uma escolha que representa ganhos econômicos para alguém. Depois que descobriram o marketing político e ele se fundiu à ideologia - ainda que usada apenas como excipiente para a mais sórdida fisiologia - como mostra o andamento da atual campanha eleitoral no País, a receita desandou em veneno. Aqui é mais grave, porque trata-se de mistificar fatos que conduzem a escolhas políticas que determinam o futuro de um país. Não se trata apenas de escolher entre dois tipos de sabão em pó, mas entre formas de conduzir, tratar e administrar a coisa pública. A campanha eleitoral em andamento no Brasil, mostra que a máquina de moer conceitos da propaganda aplicada à política não tem sequer a pretensão de confrontar fatos reais e defender a superioridade de uma política sobre a outra. Os adversários não existem para ser confrontados, mas para ser aniquilados. Ou para serem desconstruídos, para usar a palavra da moda. Esta não é uma guerra de posições, como diria Gramsci. Esta é uma guerra de extermínio. E a primeira arma da guerra é sempre a mentira.”

A frase: “...o carro é o cigarro do futuro”. Satanização do carro em favor da bicicleta em Fortaleza.


Tocando a boiada (Nota da foto)
Já tem candidato tangendo gado pra dentro e alguns currais vendendo o ferro pra ser candidato a Prefeito de Caucaia. Começou cedo, muito cedo e nem sempre Deus ajuda a quem cedo madrugada. Há experiências e controvérsias.

Lá no Juazeiro
Os coleguinhas de lá dizem que o prefeito Raimundo Macedo, apesar de peemedebista, tem permanecido neutro nesta segunda etapa do processo eleitoral, não apoiando diretamente nenhum dos postulantes.

Dois estribos
Por outro lado, o filho dele, Mauro Macedo, também do PMDB, esteve presente no jantar de adesão da campanha de Camilo Santana, realizado na última terça-feira (14).

De onde vem
Essa história toda aí acima nasceu porque estão denunciando um vereador do PT de Juazeiro do Norte de estar constrangendo servidores do município que estariam sendo pressionados pelo Prefeito a ser Camilo e Aécio. Que horror!!!

As rabecas do Ceará, os circos de Minas Gerais, as oficinas de bordado de Goiás e a defesa das Apacs do Rio são alguns dos vencedores do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, promovido pelo Iphan, que será entregue no dia 4 de novembro, no Clube do Choro, em Brasília.
 
Homenagem a Lina...
Criado em 1987, o prêmio chega à 27ª edição lembrando O centenário da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi (1914-1992), responsável por inovações estéticas na arquitetura nacional.

Desconfiança
Não dá mais pra confiar em nada mesmo. Furaram a TV Verdes Mares que comprou a pesquisa do Ibope mas deram primeiro que a emissora que pagou, espero eu, caro pelos números apresentados na sexta feira.

Como foi
Eram 18 horas e 38 minutos do dia 16 de outubro deste ano, sexta feira passada, quando recebi o seguinte e.mail: “A TV Verdes Mares divulgará, em instantes, o resultado da última pesquisa realizada pelo Instituto IBOPE sobre a intenção de votos do eleitor cearense para o Governo do Estado.”

E segue
“Os resultados do levantamento apontam a diminuição da diferença de votos entre os candidatos, com Camilo Santana (PT) pontuando 51% e Eunício Oliveira (PMDB) dispondo da preferência de 49% dos consultados”.

À disposição
O original está à disposição de quem interessar possa pra que sejam atestadas todas as informações e comentários feitos por esta coluna como muito mais cedo do que se pensa, as notícias “vazam” dos Institutos ou de quem manipula os dados para divulgação fora dos veículos que pagam por eles. Aí fica difícil dar crédito até a quem paga.

Na casa do vizinho
Campina Grande, PB, será tomada por contadores brasileiros e portugueses. Vai acontecer lá o 5° Encontro Luso-Brasileiro de Contabilidade (ELBC), nos dias 20 e 21,hoje e amanhã. É que a Paraíba conta com cada vez mais investidores portugueses, sobretudo na área da construção civil.

E por falar disso...
Também serão realizados o VI Encontro Paraibano da Mulher Contabilista e o I Colóquio Paraibano de Coordenadores e Professores de Ciências Contábeis. Segundo o Conselho Federal de Contabiliade, as mulheres já são 42% do total de 500 mil profissionais brasileiros. Na Paraíba, o índice chega a 43%.



Bom dia

A última semana e quem for podre que se quebre.

domingo, 19 de outubro de 2014

Inverídica não será a mesma coisa de mentirosa



Justiça eleitoral suspende propaganda com acusações inverídicas contra irmão de Dilma

Liminar ajuizada pela Coligação Com a Força do Povo e pela candidata Dilma Rousseff foi acolhida pelo ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na noite deste sábado (18), suspendendo trechos de propaganda eleitoral do candidato Aécio Neves (PSDB), veiculados na sexta-feira (17) na televisão, envolvendo Igor Rousseff, irmão da candidata à reeleição.
A referida propaganda relata de forma inverídica que Igor Rousseff “foi nomeado pelo prefeito Fernando Pimentel, no dia 20 de setembro de 2003 e nunca apareceu para trabalhar”. A defesa anexou aos autos declaração oficial do ex-prefeito e atual governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel, atestando que Igor Rousseff “trabalhava com regularidade e eficiência”.
Na representação ao TSE, a coligação com a Força do Povo alega que a propaganda utilizou trechos editados do debate realizado no SBT com a nítida intenção de degradar a imagem, a honra e a dignidade da candidata, caluniando Dilma Rousseff, “que à época da nomeação de seu irmão na prefeitura de Belo Horizonte sequer era presidente da República”.
Liminarmente, a coligação requereu que a veiculação do trecho seja imediatamente suspensa e que os representados se abstenham de exibir em sua propaganda eleitoral, desde a presente data até o final do período eleitoral em curso, peças de prop aganda com conteúdo igual ou semelhante, sob pena de multa diária por descumprimento. No mérito, que será julgado posteriormente, requereu direito de resposta.
Segunda liminarCom o mesmo entendimento, o ministro também concedeu liminar idêntica ajuizada por Igor Rousseff. Preliminarmente, Admar Gonzaga esclareceu que o TSE pode apreciar e julgar os pedidos de direito de resposta de terceiros em razão de ofensas e inverdades divulgadas em propaganda eleitoral gratuita.
Na representação protocolada no Tribunal, Igor Rousseff alegou que “a afirmação veiculada  teve a inflexível determinação de agredir sua irmã, e utilizou de uma mentira para lhe atribuir ato de improbidade administrativa e ofender sua honra”.
Nova percepçãoAo decidir pela concessão da liminar, o ministro Admar Gonzaga enfatizou que na sessão do último dia 16 de outubro, o Plenário do TSE fixou, ao apreciar a Representação nº 165865, entendimento no sentido de apenas permitir publicidades de cunho propositivo.
Sendo assim, somente as propagandas destinadas a transmitir ao eleitor o ideário da campanha, circunscrito aos projetos, propostas e programas de governo, poderão ser veiculadas. Estão impedidas, por conseguinte, a veiculação de críticas e comparações, mesmo que amparadas em matéria jornalística ou qualquer outro elemento que lhes dê suporte.

Pessoal do Ceará

Hoje (19/10), última oportunidade para ver dois shows maravilhosos:(1) Carlinhos Patriolino ( bandolim, violão e guitarra baiana) (2) Téti, com participação de Rodger Rogério, e mais a filha Flávia e a neta Júlia. Acompanhados dos músicos Tito Freitas ( teclados), Miquéias (baixo), Adriano Azevedo(bateria) e Eduardo Holanda ( viola).
O primeiro show começa às 20 e o segundo às 21,30 horas. Tudo de graça, no Anfiteatro do Dragão. Imperdível.

Aniversariantes

Domingo, 19 de outubro
Segunda, 20 de outubro
Terça, 21 de outubro
Quarta, 22 de outubro
Quinta, 23 de outubro
Sexta, 24 de outubro
Sábado, 25 de outubro
Domingo, 26 de outubro
Segunda, 27 de outubro
Terça, 28 de outubro
Quarta, 29 de outubro
Quinta, 30 de outubro
Sexta, 31 de outubro